sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Edward e Bella... O ínicio da Eternidade


"Entrelacei minhas mãos nas dela, segurando-a firme contra a cama, e experimentei mudar um pouco o peso e a forma como eu me movia;  testando os movimentos com cuidado para não machucá-la. Ela se ajustou a mim prontamente, apertando minhas mãos com força. Eu ainda estava envergonhado pela minha falta de controle, e por ter perdido aquele momento inicial mergulhado em desejo, e prolonguei aquele primeiro reconhecimento dela, ouvindo o ritmo do seu coração, de sua respiração, sentindo as mudanças no seu cheiro, que se misturavam com o meu...." (Edward)
"Ele me deitou de costas na cama, me ajeitando sobre os travesseiros. Depois se deitou ao meu lado e me puxou de encontro ao corpo dele, se colando a mim a cada curva. Ficamos os dois com os corpos entrelaçados, deitados de lado. Minha respiração falhou e eu puxei o ar com força. Ele passou uma das mãos com preguiça nas minhas costas. "Nervosa?" Ele perguntou, impassível. "um Pouco" Admiti. "Não fique. Somos feitos um para o outro." E então ele começou a me beijar e meu corpo pegou fogo ainda mais rapidamente..." (Bella)
"Confesso que tentei resistir um pouco, porém os segundos iam se passando, e a intensidade do toque ia me levando cada vez mais longe de tudo que não era ela... E todas as proteções de minha mente caíram, todas as preocupações, hesitações. Quando dei por mim estava dentro dela, sentindo seu corpo ao redor do meu, me aceitando, me enchendo de calor em todas as partes, me pressionando. Eu ouvi o eco de um gemido de dor. Foi apenas por isso que consegui parar, porque meu corpo queria continuar se movendo dentro dela, cada vez mais forte, cada vez mais rápido, ate que eu explodisse em sensações, calor e prazer. Tudo era desconhecido, eu não sabia como aquilo funcionava em meu organismo, só o que eu sabia era que tinha uma vontade não saciada de esquecer o resto do mundo e me afundar na mulher que era minha. Não importava quantas vezes eu ouvira falar sobre aquilo, ou lera nos pensamentos alheios. não tinha me preparado para aquela sensação de abandono pleno em meu corpo e minha mente." (Edward)
"Com o passar dos minutos ele ia se tornando mais selvagem, mais intenso, e eu comecei a me acostumar com o predador que ele era, sabendo que eu podia ser sua presa eternamente, voluntariamente, e talvez aquilo o saciasse. E percebi, em um determinado momento, que eu não queria mais me tornar um vampiro; Eu queria permanecer exatamente daquele jeito sendo o calor que ele não podia mais encontrar de outras formas a não ser no sangue, vendo sua expressão transtornada de prazer e alegria" (Bella)
                                                                    ***
If You could Live Forever, what do you live for?
                                                       A New Stage it's beginning!


Nenhum comentário:

Postar um comentário