quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Agonizante Desespero

Observo incrédula
para a inóspita realidade a qual me vejo acorrentada,
essas sangrentas correntes que corroem a carne de meus sonhos
como um veneno mortal gelando as veias da minha débil esperança.
Alegrias insípidas que povoam este mundo de céu cinza
que meus olhos diariamente contemplam.
E Ja não consigo mais encontrar a estrada
que me levará de volta ao onírico paraíso ao qual pertenço.
Me encontro sem forças
para me deixar sangrar nos espinhos
desta desesperadora agonia imposta a minha alma
por aqueles incapazes
de cumprir os próprios sonhos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário