quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Amor sublime

A você eu pertenço
corpo e alma entregues
sangue e pulsante coração
é por você que sobre a cama
meu corpo reclama a ausencia dolorosa
A você pertence a luz que em meus olhos brilha
os supiros ao se sentir extasiada pelo prazer
que apenas você tem a permissão
de proporcionar.
Se a isso chamam amor então que esta seja
a denominação a minhas
anônimas sensações explosivas,
equilíbrio em mim por você restaurado
vida por seu amor construida
Sonhos a você pertencentes
corpo que se faz teu sem recusas
lábios que te buscam com urgência
palavras que não se fazem suficientes
para nomear o que no presente vivo
no futuro anseio
na eternidade sonho...
E que seja eterno e infinito 
como o amor que nunca morre
o desejo que cresce
e a felicidade que apenas você 
Pode oferecer-me.

Nenhum comentário:

Postar um comentário