sábado, 8 de fevereiro de 2014

Série Os Imortais: Para Sempre - Alyson Noël (Resenha)

Sinopse: Ever, de 17 anos, sobreviveu a um acidente de carro que matou seus pais, sua irmã mais nova e seu cachorro. Agora ela vive com sua tia na Carolina do Sul, atormentada não só pela culpa de ter sobrevivido, mas também por uma nova habilidade de ouvir os pensamentos de todos ao seu redor. Ela tenta diminuir essas distrações ao colocar seu capuz e deixar seu iPod bem alto, até Damen, o bonitinho garoto novo da escola, a convencer de que precisa sair de sua zona de conforto. Damen, contudo, é assustadoramente esperto – e tem a estranha habilidade de produzir tulipas do nada e desaparecer em momentos críticos.

Eu demorei mais do que deveria para ler esse livro, novamente envolta naquela maldita mania de escrever mais do que lê, mas decididamente ontem eu finquei um pé e declarei guerra! Ou eu terminava ou eu terminava. E enfim terminei às onze da noite. Cara, o livro é tipo MUITO bom, quem leu a saga Hush Hush vai se familiarizar com o gênero de narração, até mesmo de certa forma com a montagem do enredo, fazendo sempre você desconfiar das pessoas erradas e das coisas erradas.

O enredo gira em torno de Ever, uma garota de 17 anos que tinha a vida inteira pela frente, era popular, tinha o “namorado perfeito”, era absolutamente linda, até morrer. Ever tem certeza de que morreu, lembra do seu corpo, lembra-se de ver os espíritos da sua família caminhando em direção da luz e, sobretudo, lembra-se dos lindos olhos que lhe trouxeram de volta à vida. Ela se culpa pela morte da sua família, não consegue aceitar que ela esta ali e eles não, imagina que ela causara o acidente de carro que ceifara friamente a vida dos pais, da irmã mais nova e do cachorro. Agora, Ever se vê na mansão da tia, cercada por todos os luxos que uma adolescente pode querer, mas completamente vazia, esconde-se por meio de seu moletom e das calças largas, priva o mundo completamente da sua beleza e da sua vivacidade oferecendo-lhe apenas morbidez e tristeza. A agonia de respirar involuntariamente todos os dias, mas há algo que Ever também esconde de todos: Muito mais que o fato de ter sobrevivido ao acidente, mas o fato de ver as auras das pessoas e de ouvir seus pensamentos, além de ver sua irmã morta. Lutando bravamente para conter o ritmo frenético de pensamentos que lhe invadem, ela usa a música para isso, até que Damen aparece na sua vida. Ele é o tipo perfeito de garoto – esqueça qualquer Peeta Melark, Edward Cullen ou Patch Cipriano que você já conheceu – com exceção merecida apenas do perfeito Augustus Waters u.u’ e quando Damen está perto a mente de Ever simplesmente “volta ao normal”, ele consegue acalmar seus pensamentos de todo o turbilhão de pensamentos, mas embaralha completamente seus sentimentos, Ever se sente completamente envolvida e atraída por ele, mas Damen parece estar envolvido em tudo que dá errado em sua vida, mesmo demonstrando nítido interesse nela, ele está nitidamente envolvido com a perfeita Drina e o que Ever mais quer é que tudo na sua vida volte à estaca zero, onde ela era a garota esquisita que todos odiavam, com exceção de Miles e Haven, mas Damen traz consigo a certeza de que sua vida nunca mais será a mesma.


A narrativa é em primeira pessoa, o livro é impecavelmente bem escrito, a leitura prende completamente a sua atenção, o clima de suspense é quase constante, mas como eu disse antes, se você leu sussurro e foi um bom observador consegue matar a maior parte das “charadas” antes de chegar ao final do livro. Estou muito curiosa quanto a sequencia, e vou começar a ler imediatamente, tentando dessa vez levar menos tempo! Somos divididos entre a relação de Ever com a irmã morta, com Miles e Haven - seu amigo gay e sua amiga neurótica. - Com Damen, o misterioso, com Sabine, sua tia e por fim com Ava, com quem ela tem um contato bem frágil nesse primeiro livro. Com o passar dos capítulos nós vamos tendo noção de como a vida de Ever foi e de como é, compreendemos melhor a personalidade dela. Todos os personagens são muito bem construidos, a narrativa e o enredo são impecáveis e o livro é bem equilibrado. Damen - que é muito óbvio foi meu personagem favorito - não é nada do que parece ser, é romântico e doce no ponto certo *U* ou, traduzindo: apaixonante. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário