quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Oh Holy Night


Feliz Natal!

Eu escolhi passar a véspera de Natal e até mesmo um pouco do dia de hoje, sozinha. Fiquei o dia e a noite trancada no quarto, só saí para tomar um banho e beber água umas duas vezes. Foi legal esse momento meio solitário, embora a minha mãe tenha ficado uma fera, mas até o jejum eu curti. Assisti uns filmes e óperas, escrevi, e hoje passei a tarde inteira cantando no karaoke, que é uma das coisas que eu mais amo fazer! Mas o motivo de eu estar interrompendo o hiatus é que eu quero desejar a todos vocês, que acompanham o BOD, um feliz natal cheio de paz e alegria. Aqui em casa tudo é sempre muito simples e sem nada de diferente, mas eu espero que o de vocês seja extraordinário e lembrem-se do verdadeiro dono da festa, que não é o papai Noel ;)
Eu fiz um vídeo com uma música natalina que eu gosto muito, não ficou muito bom, mas mesmo assim eu vou postar aqui quando ele enviar no youtube.

É isso blogueiros, nos vemos de fato mesmo ano que vem! o/ no fim do ano venho lhes desejar boas festas, até lá!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Fofura de Leitora

Gente, eu aqui no meio de uma tristeza e preocupação sem fim, quando recebo um e-mail da minha linda leitora e parceira de escrita Roberta (Clara) com desenhos que ela fez de Congelada *U* eu fiquei tão fascinada que queria dividir com vocês! As legendas das fotos são as mesmas que ela colocou no email.
- Saber que algo que eu escrevi chega a cativar um leitor a esse ponto é muito motivador, de verdade! Deixa dentro da gente aquela sensação de bom trabalho, mostra que o que a gente faz vale a pena! E nada no mundo Rob pode substituir o valor disso. Quem escreve não é nada sem o leitor, são pessoas como você que faz valer a pena o que a gente faz! Não existe no mundo coisa mais gratificante que esse carinho, essa resposta! Nossa, eu amei cada um, vou guardar com todo o carinho, ficaram lindos, você desenha super bem! Muito obrigada mesmo, é maravilhoso ver meus personagens ganhando vida sob a ótica de um leitor! Eu vou chegar lá um dia, e quando esse dia chegar quero você comigo viu? Obrigada mesmo sua linda! -
 O da Bells, que ainda não terminei. Vou ver se pinto ele e ajeito o olho, o cabelo e o nariz que saiu torto também, rs

Bells e Ayel. O da Bella saiu estranho, acho que puxei muito os cilios, mas até que pintei bem nesse, hahah  Olha lá o erro na cor: Ayel de olhos azuis. Tsc tsc...

Olho da Sandi e do Henry, de cima pra baixo. O dele saiu errado na cor, como você pode ver ;-;  Mas, assim como o do Ayel, eu gostei tanto que achei que devia te mostrar. 

 Bella flutuando no vacuo e Peter no luto. Ele saiu melhor do que eu pensava que ia sair!

Que foto boa, nem saiu escura e apagando detalhes, tsc tsc... A legenda já está na foto, mas vale repetir, rs  Carpatos Team: Alice, Ayel e Henry na sequencia.

  Roberta de la Croix provando que eu não sei fazer mãos o/

Bells e Ayelicia de novo. A cabeça dele ficou muito pequena e achatada, coitado, mas quando eu vi já era tarde hahahah ;-;

Bells e Ayelicia no cap 14. Acho que foi o melhor dos que fiz!

Leave's Eyes - Symphony Of The Night (Cover)


Ok, não ficou muito bom porque o microfone da camera não aguenta as notas... :P mas tai.

HIATUS

Depois de tantos dias sem atualizar eu dei por mim que não podia sumir sem dar satisfação né? Bom, agora que eu estou de férias, ao contrário do que eu planejava fazer que era atualizar todo o dia, eu estou tirando férias também das rede sociais. Ultimamente tenho dedicado meu tempo a ler e assistir filmes... No caso de hoje, óperas. Eu não tenho me disposto a escrever, estou a três dias quebrando a cabeça com o desafio do Nyah, a vontade das palavras, assim como de todo o resto, parece ter tirado férias também. Eu estou absolutamente desestimulada com tudo, durmo muito tarde, acordo mais tarde ainda e passo o dia no quarto, minha mãe já começou a reclamar disso, diz que eu não vejo "nada do mundo fora do quarto" inclusive da impressora nova que o meu pai comprou e eu não sabia. Fui ao aniversário de Bel no domingo passado, foi muito legal, principalmente porque a minha irmã estava comigo e dessa vez não houveram surpresas desconfortáveis, fiquei feliz que ela tenha escolhido a mim, me senti um pouco importante.
Não sei se lembram que, ha um tempo atrás eu comentei com vocês que tinha ido fazer um exame de sangue para doar medula à um primo meu que estava com Leucemia... Bem, ao que parece, mesmo depois do transplante ele não se curou. Soubemos ontem que ele estava novamente internado e em estado grave. O pesadelo vai recomeçar. Nesse sábado estamos indo para o casamento de uma prima, ela não teve como cancelar já que a notícia pegou todo mundo de surpresa, eu não posso dizer a vocês que estou desesperada com isso e tals porque é mentira, eu nem conheço esse garoto! Nunca o vi na minha vida. Mas eu estou realmente comovida porque eu sei que ele é jovem, tem uma família que está sofrendo muito, ao que me parece tem uma filha também, e as poucas vezes que vi minha tia, sei que mesmo que ela seja uma mulher forte, como demonstrou na morte do meu avô, ela deve estar sofrendo o pão que o diabo amassou. É triste sentir a impotência de não poder mudar as coisas.
De resto, a minha vida segue do mesmo jeito, estou vendo filmes mais do que escrevendo e lendo, é muito errado, mas a minha disposição só chega até ai. A noite, vou com a minha irmã para escola, ela ainda tem aula essa semana e não gosto que ela suba sozinha à noite, vou com ela para fazer companhia. Chego em casa e fico vendo filmes, seriados ou ópera até madrugada, vou dormir e acordo para fazer a mesma coisa. As vezes saio para comer, as vezes não. Estou em um profundo estado de não sei. Apática. Vou dar um tempo, entrar de vez em quando nas redes só pra olhar o que está acontecendo, mas vou me afastar um pouco, me desprender disso tudo, já não estou escrevendo, encerrei a postagem de congelada, vocês já sabem dos possíveis planos que eu tenho então não há mesmo mais nada a ser dito, nada que eu possa tornar publico pelo menos. Não haverá postagem das tags por enquanto, ok? Me deem esse tempo. Depois voltamos a nos ver amigos. Ainda planejo pelo menos um post para hoje se der certo, cover que estou devendo à Clara.

Até a volta amigos.

domingo, 15 de dezembro de 2013

A Menina Que Roubava Livros - Resenha

Sinopse - A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak

A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.

Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.

A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público.


Finalmente consegui concluir esse livro, já não era sem tempo. Fui desleixada quando à leitura, mas mesmo assim me decidi a continuar e agora vamos comentar um pouco sobre ele.
Sempre que vemos alguma coisa relacionada ao Nazismo, seja um filme ou um documentário, o foco está sempre no holocausto, mas o diferencial desse livro é que podemos ter uma percepção que vai além disso, não é um livro sobre judeus morrendo em campos de concentração ou sendo perseguidos, é um livro sobre o poder das palavras, sobre amizade, amor e ideais. Nós vemos aqui um outro lado da Alemanha Nazista, o lado dos alemães que viviam à margem da guerra, tentando sobreviver no duro mundo de preconceito e fogo, conhecemos alemães complacentes com a dor do judeu, que é gente como ele, vemos a pobreza devastadora surgindo com o céu constantemente rubro de fogo e sangue. E acompanhamos no meio do caos Liesel. A roubadora de livros.
Deixada pela mãe, tendo o irmão levado pela morte, sobrevivendo em um bairro pobre da Alemanha, onde há meninos jogando futebol, onde apenas o mais forte dá as cartas, onde quase tudo é escasso, nos deparamos com a frágil menina – aparentemente – assustada e sem palavras. Liesel não tinha nenhuma palavra sua, embora as carregasse consigo muito bem protegidas dos olhos curiosos, ela furtara aquelas palavras, mesmo sem saber o que significavam, ela sentiu necessidade de tê-las para si. O Manual do Coveiro. É fascinante a maneira como se dá a relação de Liesel com o mundo letrado, aos poucos podemos vê-la submergir no mundo nas palavras, conhecendo aos poucos o seu peso, o seu poder, a sua magia. E torna-se impossível não fascinar-se também pelas palavras como ela, apaixonando-se desesperadamente – e ainda mais – pela magia que um livro é capaz de trazer.
E há também Max. Rudy. A mulher do prefeito. Hans. Liesel nos mostra diferentes dimensões do amor e da amizade, Max era um judeu e mesmo assim ela fez dele seu amigo, ela o trouxe para o seu mundo e salvou-o, salvando também a si mesma. Rudy era seu melhor amigo, seu parceiro de furtos, seu diário, seu amor entubado. A mulher do prefeito, fora a relação de Liesel que mais me tocou, depois de Hans. Ela salvou a mulher de si mesma, ela transformou a vida dela de tal forma que me levou a pensar no peso que a culpa e o remorso tem sobre nós, as vezes só precisamos que alguém nos diga a verdade, nos faça enxergar a realidade que tentamos ignorar, perdoar a si mesmo é uma tarefa árdua e fora a senhora Hermman que ensinara a Liesel a escrever sua própria história. Já Hans é o tipo de pessoa literalmente boa. O patamar de sua bondade está muito além do ser humano mesquinho e egoísta. Ele ama tão amplamente e profundamente que chegamos a ser tocados por sua doçura, assim como Rosa, sua esposa, mas de jeitos completamente distintos.
Enxergar esse lado da Alemanhã nazista, ver além da conhecida frieza e indiferença a que normalmente somos apresentados, me fez encarar A menina que roubava livros de uma maneira altamente positiva, não é apenas porque o livro carrega consigo uma história verdadeira e de certa forma emocionante, mas porque ele é dotado de lições preciosas. A perda é algo inevitável seja de um jeito ou de outro, mas a forma como a encaramos é que torna as coisas diferentes. Liesel Menmiger me ensinou a nunca desistir, a honrar e lutar pelas pessoas que eu amo não importa quantas feridas sejam impostas a mim por causa disso, ela me mostrou o poder das palavras, da amizade, da verdade. Hans me ensinou que humildade e bondade são as chaves para cativar corações, para salvar vidas, inclusive a sua. Ser generoso é uma obrigação do ser humano, para que ele possa ser realmente humano. Eu não consegui encarar a morte de outra forma, por mais “humanizada” que o autor tenha tentado externa-la, eu não consegui vislumbrá-la além do que já tenho em mente, a forma assustadora, agonizante e cruel. Mas mesmo assim, sua fúnebre narrativa fora válida, esse livro é capaz de fazer você repensar muita coisa sobre si mesmo e sobre o que realmente vale a pena.


Se tenho algo a reclamar desse livro são as inúmeras palavras e expressões em alemão, muitas vezes sem tradução, mas é só. Em 2014 seguirá a adaptação cinematográfica do livro, eu não tenho expectativas quanto a isso, nem sei se terei mesmo coragem de assistir depois de tudo que li, mas sei que por melhor que se faça, nunca chegará aos pés do livro. Isso é algo que tenho por certo. Se você ainda não viu, segue o trailer:

sábado, 14 de dezembro de 2013

Avisos, planos, novidades :D

Minha irmã e eu fomos ao cinema hoje! Foi tão divertido, o cinema da cidade foi reformado e já não era sem tempo! E ficou muito legal mesmo! Nós fomos ver Insidious chapter 2 e gostamos muito, fazia muito tempo que não íamos ao cinema e que não tínhamos um momento juntas só pra gente, a última vez foi o ENEM, mas não é lá um programa muito agradável. O filme não me surpreendeu em nada, segue a mesma linha do primeiro, mas não significa que não seja bom, rende uns sustos legais e tem partes bem tensas. A gente curtiu demais, teria sido melhor sem as garotas estéricas gritando desnecessariamente ¬¬' velho nem eu que sou medrosa como só eu fiquei daquele jeito, assisti o filme todo sem dar um pio! Me poupe né? Não podia aparecer um fantasma que elas começavam a dar piti! Por Deus! Mas a melhor parte, sem dúvida, foi ficar com ela, a minha irmã transforma qualquer coisa em uma aventura, com ela tudo sempre é bom! Já marcamos de ver Carrie lá. Em chamas já chegou aqui, estréia na quinta que vem - meio atrasado né, mas o que se esperar de uma cidade desse tamanho? Pelo menos chegou. - Mas a gente não vai ver, primeiro porque não somos fãs da série - me julgue por isso! - e segundo porque não nos interessa mesmo. O primeiro filme já foi suficiente para eu saber que não quero ver os próximos. Não gostei e ponto.
Passamos a tarde vendo livros, finalmente ela conseguiu comprar Branca dos Mortos e os Sete Zumbis! Ainda estou me decidindo em que livro vou escolher para o "natal". E se não fosse a cólica que ta me atacando, eu teria aproveitado bem mais o dia! Amanhã eu vou tirar o dia para ler o resto de A Menina que roubava Livros, já está passando da hora de concluir esse livro e postar a resenha. E isso me leva a alguns avisos e também planos.
Em primeiro lugar, para quem acompanha congelada no Nyah ou mesmo no Imaginary Girl, gostaria de informar que apenas a primeira parte do livro vai ser disponibilizada. Eu vou continuá-lo apenas no "off", ponderei muito sobre a situação e vi que era o melhor a ser feito, eu me decepcionei demais com a recepção do livro no site.
Em segundo lugar, queria informar dos planos e novidades que tenho para quem me acompanha. Em 2014, se Deus assim me permitir, eu vou concluir Congelada e aproveitarei boa parte das férias para isso, e quando eu concluir e apenas quando concluir, eu vou recomeçar a postar no Nyah, eu já havia dito que daria um hiatus no site e acho que já está mais que na hora de fazê-lo, vou me dedicar mais à leitura por enquanto e Congelada será o único livro no qual eu vou trabalhar, mas quero deixar vocês a par do que vem por ai:
Eu vou trabalhar em uma short fic que em breve vocês vão poder conferir, ela será baseada na letra de uma música, mas no momento não vou dar mais detalhes sobre isso.
Vocês vão poder conferir muito em breve uma OneShot para o desafio do Nyah do qual eu vou participar também.
Eu já estou fazendo rascunhos de Primavera Antecipada cujo trailer logo vocês vão poder ver e ainda estou ponderando se ela vai ou não para o Nyah. É uma reescrita de Sombras ao Sol sob a perspectiva de Adam, mas não vai ser igual só que diferente eu planejo fazer algo novo a partir daquele, e vai ser um desafio e tanto para mim, estou animada.
Para 2014 eu tenho planejado 03 livros para o Nyah: Folhas Mortas, Beauty and The Beast e uma outra que será em parceria com a Clara. Eu vou me organizar o máximo que eu conseguir para postar uma de cada vez. Muito provavelmente, Beauty and The Beast será a primeira em que vou trabalhar após Congelada.
Eu não curto muito essa coisa de planos para o futuro então, sabem como é né? Se Deus me permitir assim, assim será, se não as coisas seguirão seu curso. No momento só posso dizer que planejo ler muito. Como hoje ainda é dia 14 eu vou tentar ler pelo menos mais dois livros para fechar o ano, embora eu duvide que vá conseguir. Só quero dizer que muito provavelmente eu vou dar uma meia trégua das redes sociais, vou entrar, olhar as novidades e sair, me dedicar mesmo a avançar nos livros que tenho para ler. Então peço que me desejem sorte e orem por mim.
Amanhã é a comemoração do aniversário da Bel. Minha irmã topou ir comigo, vamos ver no que dá e se der tempo quando eu chegar conto tudo a vocês. Por hora é só blogueiros, vem cover novo por ai também - embora fazer vocês me ouvirem seja quase tortura e.e - obrigada a todos que leem o blog viu?

Beijos e até mais!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Tag: Testei

Pois é pessoas, essa é uma tag nova que eu estou fazendo aqui no blog não vai ser muito atualizada, não é sempre que eu ando "testando" coisas, mas sempre que aparecer oportunidade eu vou  fazer um post. Bom, quem não viu a propaganda do Rexona? Seja ela qual for, sempre com a mesma frase: Rexona não te abandona.
Bom, eu tenho que dizer que, no que se refere ao antitranspirante, abandona sim! Eu moro em uma região pavorosamente quente, e comprei o produto com a intenção de testar, para ver se assim como ele diz, é vinte e quatro horas "sequinha", mas não funciona não viu? Você fica realmente perfumada, não importa o quanto sue, mas vá por mim, você soa, e aqui onde eu moro, soa MUITO! O que eu mais gostei nele é a praticidade, assim que passa você já pode se vestir, ao contrário de outros como AXE que eu já testei - E esse é que não funciona mesmo! Em nenhum aspecto! - ele não te deixa molhada, é como se fosse realmente em pó, não mancha a roupa e é realmente seco. Mas no que diz respeito ao efeito antitranspirante, não resolve. Você acaba suando do mesmo jeito. Em matéria de desodorante, um que eu usei e realmente funcionou foi o Dove rol-on. Ele é muito bom e me manteve sequinha por doze horas!

Bom, esse é o primeiro Testei do blog :D

Entenda a Letra: Ghost Love Score - Nightwish

Eae? Bom, cá estamos nós novamente com a tag música, e hoje eu estou trazendo para vocês outra majestosa criação do Nightwish *U* essa música é uma verdadeira obra prima da música gótica e outra das minhas favoritas da banda! Haja fôlego para cantá-la, e é da inconfundível era Turunen! Então aproveitem e apreciem!

Partitura do Amor Fantasma
Costumávamos nadar nas mesmas águas da luz da lua
Oceanos distantes do dia que está para nascer


Tudo nas letras do Nightwish é amplamente interpretativo, mas vamos tentar. Luz da lua, as tais “águas”ai representam a fluidez de uma relação estável, porém não estagnada, eles caminhavam juntos e enfrentavam as mudanças juntos também, na segunda estrofe vemos o que poderia representar o destino, algo inalcançável e ao mesmo tempo inevitável.

Minha queda será por você
Meu amor estará em você
Se você for aquele que me ferir
Eu sangrarei eternamente

Bom, essa música tem aquele lirismo romântico que hoje é considerado a famosa relação “não saudável”. Dá pra ver nitidamente que o eu lírico doa-se completamente para seu amado (a) colocando toda a sua esperança e vida nas mãos dele (a) ambos são um só e se ele chegar a ferí-lo será uma ferida que jamais cicatrizará. Eu gosto mais porque isso me lembra a geração do romantismo, longos vestidos, sacadas, chás e declarações de amor sussurradas.

A essência do mar antes do despertar do mundo
Me leva até você
Dentro da triste memória

Bom, até aqui está bem claro que estamos falando de um amor impossível, porque na verdade ele está morto. Daí o nome da música. E como sempre o que resta? Lembranças. Os primeiros versos falam sobre um estado de estupor, o despertar do mundo me parece algo como a volta da realidade, como se o eu lírico estivesse agonizante, louco.

Minha queda será por você
Meu amor estará em você
Se você for aquele que me ferir
Eu sangrarei eternamente

Dentro da triste memória...

Uma sereia das profundezas veio até mim
Cantou meu nome, meus desejos
Enquanto ainda escrevo minhas canções daquele meu sonho
Que valia tudo que eu ainda poderei me tornar

Aqui reforça a minha teoria de que ele perdeu completamente a razão, né? Mesmo assim, é como se ele conseguisse vê-la, o objeto de sua devoção, e agora sabemos que é uma mulher, o que torna nosso eu lírico um homem (nada contra os homossexuais ta?) em forma de seria ela aparece para ele, despertando o amor e a luxúria dormentes em sua pele, ele poetiza os sonhos, tenta manter viva a esperança de que ainda há um futuro, mas o que ele me passa é que é uma pessoa que perdeu tudo.

A criança nascerá novamente
Aquela sereia o carregou até mim
O primeiro deles ama verdadeiramente
Sentado nos ombros de um anjo
Sem se importar com o amor e a perda

Esse primeiro verso me remete à pureza, inocência, através da alma doce de uma criança (pelo menos nas de antigamente u.u). Era isso que ela fazia dele, um eterno menino, carregava sua inocência em si, ele a amou mais que qualquer coisa, agora ela estava em algum lugar inatingível, insensível a qualquer sentimento. (Em resumo: morta né?)

Me leve pra casa ou me deixe sozinho
Meu amor no coração escuro da noite
Perdi o caminho à minha frente
Aquele atrás de mim me guiará

Acho que essa é uma fala dela... Não tenho certeza. Mas é nítido o sentimento de confusão, mas o desejo de libertar-se do sentimento aprisionador que o mantem no cárcere da loucura, os sentimentos em completa neblina densa, sem caminho, guiado por um fantasma distante e inalcançável. 

Me pegue
Me cure
Me mate
Me leve para casa
Em todos os caminhos
Em todos os dias
Só mais uma volta no pescoço do enforcado

O desejo de morte, o ápice da dor que parece nunca findar, ele anseia ficar ao lado dela, anseia que ela atenue seu sofrimento... Ele se sente sufocado pela vida, pela dor, por si mesmo... Mais um pouco de dor já não faz a mínima diferença.

Me leve, me cure, me mate, me leve pra casa
Todo caminho, todo dia
Eu ainda fico nos vendo dormir

Reviva o velho pecado de Adão e Eva
De você e eu
Perdoe o monstro adorador

...Aprisionado pela presença dela, incapaz de deixa-la partir imerso na luxúria insaciável que ela deixou em cada parte do seu ser. Sente-se um “monstro adorador” que a venera acima de qualquer coisa.

Me faça voltar até a infância
Mostre-me a mim mesmo sem a concha
Como a chegada de Maio
Eu estarei lá quando você disser
Hora de nunca segurar nosso amor

Minha queda será por você
Meu amor estará em você
Você foi quem me feriste
Agora eu sangro para sempre

Ele anseia a sensação que ela podia lhe ofertar, a magia de seu coração de menino que agora está envelhecido pela amargura deixada por sua perda, ele espera ansiosamente pelo chamado silencioso da amada, pela eternidade ao lado dela onde nada mais existe além do amor que compartilham. Ela está nele, ele está nela e ambos estão condenados a sangrar para sempre até que possam unir-se novamente.

Viram porque eu amo essa música??


Uma aventura e tanto!

Sabe quando tudo dá errado e as coisas saem melhor do que se tudo tivesse dado certo? Isso acontece raras vezes comigo e ontem foi uma dessas vezes.
Como eu tinha avisado a vocês, a minha mãe tinha decido me arrastar para a premiação de um concurso de poesia que eu tinha participado, alguém enfiara na cabeça dela que eu podia ser mencionada. Desde o começo eu não queria ir, primeiro porque eu detesto viajar, segundo porque eu tinha certeza absoluta de que não tinha ganho nada e terceiro porque eu não ia poder ler durante a viagem o que era um saco triplo!
Mas enfim, às três horas da tarde a gente saiu de viagem rumo à Recife, que escolha eu tinha não é? Quando a minha mãe coloca uma coisa na cabeça só Jesus na causa! A gente viajou mais de cinco horas o dia inteiro e não achou o bendito lugar, e foi tão engraçado e divertido que acho que se eu tivesse chegado a tempo não teria tido graça! Eu vi cidades novas que eu não conhecia, eu tinha ido a Recife há muito tempo atrás e passei a viajem toda dormindo (¬¬') vítima de um remédio contra enjoo :p mas ontem eu pude "apreciar" a paisagem, passamos por um povoado que eu tenho quase certeza que se tiver muita gente tem 200 pessoas! E literalmente no meio do nada! Eu conheci a cidade  onde se fazem as pipocas Gravatá e além de linda por incrível que pareça a cidade inteira cheira a pipoca rsrsrs a gente comprou biscoitos no meio da estrada, e como em HP tem feijão de todo sabor, lá tem biscoito de todo o sabor, queijo, bacalhau, calabresa, alho, é literalmente o paraíso dos biscoitos caseiros! E são muito bons viu?
Vi um antiquário, pela primeira vez na vida, e me encantei com a quantidade de coisas antigas lindas que tem lá! Caras demais para que eu possa ter alguma u.u', eu percebi, quando cheguei em Recife, que literalmente todas as vezes que me imaginava morando em um lugar grande eu sempre me imaginei dentro de casa, numa sala, com um livro e um copo de café. Eu não me acostumaria nunca com aquele transito infernal, as pessoas mau-educadas e principalmente as ruas estranhas! Eu vi como é e onde é a UFPE e ela é horrível! Se eu não passei pelos fundos e a fachada for melhor, ela é realmente horrorosa, um prédio gigantesco que mais parece uma prisão caindo aos pedaços!, consegui apreciar todas as luzes de natal de todas as cidades pelas quais passamos na volta, e provei uma das melhores sopas de carne fora de casa que eu já comi! A gente gargalhou a viajem toda e foi muito divertido. No fim das contas, das 10 poesias selecionadas eu não estava classificada em nenhuma - recebi um email com os ganhadores hoje de manhã. - a viagem foi tranquila apesar de que quando eu cheguei em casa quase não sentia minhas pernas, e eu me diverti demais, foi muito melhor do que teria sido se eu tivesse conseguido chegar ao evento, ficado horas lá quase dormindo e voltar para casa tarde e Deus sabe o que podia ter acontecido. Foi uma aventura e tanto, o rapaz que levou a gente é amigo da família há um bom tempo, uma pessoa tão agradável de viajar que mesmo quando as coisas dão errado a diversão é garantida. Agora eu só preciso me recuperar para a próxima tortura: O casamento da minha prima na semana que vem. Esse infelizmente vai ser um evento do qual eu não vou poder fugir, mas pelo menos é mais perto de casa - umas duas cidades só. - e com certeza não vamos nos perder de novo, só espero que seja pelo menos divertido.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Avisos e afins

Oi povo, post rapidinho porque eu estou igual a velho, onde escora dorme! Amanhã eu estou de partida para o SESC do Recife, minha mãe encasquetou que quer ir para a premiação do concurso de poesia que eu participei... A coitada deve achar que eu venci em algum lugar, na verdade eu nem queria ir, eu detesto viajar e são 04h de viagem da minha cidade até lá. Sem contar que eu detesto eventos em dobro! Mas fazer o que. Ela quer ir né, então...
Bom, a música da semana se tudo correr bem sai na sexta-feira, agora que eu estou quase de férias vou poder me programar direitinho e logo vocês terão uma espécie de cronograma de tudo que eu planejo fazer ok? O posto como eu disse vai ser rapidinho porque eu to muito cansada mesmo e amanhã o dia vai começar como eu mais odeio: CEDO.
Logo trago notícias! Até blogueiros!

WeekGame

Ok, então vindo aqui o jogo da semana. Eu tenho uma quedinha por jogos de survivor horror, embora eu seja uma tremenda molenga quando o assunto é terror. Então quem gosta de Resident Evil e toda essa coisa de Zumbi vai curtir o jogo que eu escolhi :D

sábado, 7 de dezembro de 2013

Days Passing

Eu não fui feita para fazer compras! Saí sexta com a minha mãe e irmã para comprar umas "coisinhas" para o casamento de uma prima. Casamento esse que eu nem planejava ir! Mas como diz a minha mãe é uma oportunidade - raríssima - de sair de casa com o meu pai, embora eu não acredite mesmo que isso vá mudar alguma coisa. Meu pai é o tipo de pessoa que parece um pouco comigo - bem pouco - ele prefere evitar festas e tumultos e é nisso que nos parecemos. Voltando às compras, saímos às 10 da manhã e voltamos às 17 h da tarde! e três horas dessas foram gastas no banco! Tudo para fazer a senha da conta da minha irmã, fala sério! Bancos definitivamente foram criação do inferno, ou melhor burocracia é uma criação do inferno! Eu cheguei em casa quase sem sentir as minhas pernas e por pouco não comi um búfalo! Ainda nesse mesmo dia, decidi ir para a escola com a minha irmã - nem me perguntem de onde eu tirei coragem para isso blogueiros! - ela tinha aula de espanhol e eu estava interessada em ver, já que não tinha aula na faculdade. No fim das contas quase que eu dei aula no lugar da professora, porque por alguma razão torpe ela acreditava mesmo que eu dominava qualquer idioma! Por Deus! Eu estudei espanhol sozinha na sétima série com um livro ridículo que mal me ensinou os pronomes, tudo porque eu queria falar algo que não fosse português e o meu professor de Inglês nem sabia o verbo to be! Ok, eu canto em sete idiomas, CANTO, isso não faz de mim poliglota e nem quer dizer que eu sou fluente em todos eles. Mas acabou que não teve aula, não sei exatamente se para minha sorte ou azar. A saída foi legal, fomos tirar umas fotos de um novo projeto meu e passamos pela praça da cidade que está toda decorada para o natal, a minha irmã é uma excelente fotógrafa, se eu quero e preciso de algo bem feito ela PODE e faz. Comemos Churros, foi a minha estréia, nunca tinha provado, e ela acabou me comprando dois um recheado com chocolate e o outro com doce de leite, o segundo venceu no meu gosto! Também comemos coxinha que é o salgado favorito dela.
Hoje (sábado) o dia correu como de costume. Acordei meio tarde, com a casa toda para arrumar e o almoço por fazer. A minha sorte é que a minha irmã se dispôs a arrumar a casa e me deixou de cozinheira - claro, sempre supervisionando para eu não incendiar a casa. - eu não cozinho mal, sério. Mas realmente não devo me arriscar a isso. Eu nem preciso dizer que a minha irmã cozinha divinamente não é? TUDO em absoluto que ela faz é melhor que eu, literalmente falando, eu sou uma imprestável. Tudo que eu faço é ler e escrever. Só. Minha vida se resume apenas a isso e estudar. E mesmo assim ainda sou uma completa estúpida, burra e loira como manda o figurino. De resto, passei a tarde revendo filmes que eu adorava, como De Justin para Kelly e High School Musical, fiquei morrendo de dor de cabeça e não saí do quarto para jantar (minha mãe também não chamou.).
A minha semana de prova começa na segunda, não que eu vá ter todas as provas, vou ter as piores delas, mas não todas. Mesmo assim não consegui estudar nada, nem li e nem escrevi mais. Eu ando meio que em um estado de torpor. As coisas passam, acontecem e eu fico apática. Não tenho a mínima vontade de fazer nada, nada além de dormir. Eu sei que é bem idiota, mas eu queria ficar em coma por uns três meses. Descansar um pouco dessa realidade tosca e dessas pessoas frias, principalmente da faculdade. Eu acho um tremendo cinismo eles passarem o ano inteiro tentando puxar o meu tapete, falando nas minhas costas, me humilhando descaradamente e no fim do ano me convidarem para amigo secreto e confraternização. Pelos céus, como eu vou participar de um amigo secreto se eu não sou amiga de ninguém ali dentro?! E confraternizar o que? As risadas e cochichos que eles davam quando eu estava apresentando trabalho? Os insultos que eles falavam quando eu estava fora da sala? As piadas sem graça e indiretas que lançavam pra mim? Os dedinhos apontados e caras viradas porque eu tirei tal nota em tal matéria, fiquei em tal lugar no vestibular, apresentei tal trabalho de tal jeito? Não, eu não sou hipócrita, não tenho nada que confraternizar com essas pessoas e nem tenho a cara de pau tão grande de tirar um deles no "amigo" secreto e falar um monte de mentiras que a ética obriga. Meu caráter vai além disso.
Estou demorando mais que o previsto para terminar A menina que roubava livros e isso está me chateando muito! Também não consegui mais escrever uma só linha... Meu cérebro simplesmente entrou em modo de espera... A coisa ta apertando. Bom, é melhor eu ir ficando por aqui... Queria finalizar o post com um agradecimento e boas vindas à Uma Menina que começou a acompanhar o Book Of Days... Agora eu sei que realmente alguém lê esse blog fora a Roberta Machado rs. Obrigada anja e bem vinda sempre!

Até mais blogueiros! Logo trago notícias.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Entenda a letra: Primavera In Anticipo

A música de hoje não é de origens do Inglês. Vamos dar um pulo para Itália hoje, e o motivo disso - além de eu amar a Laura Pausini - é que essa música fez parte de um projeto muito especial que em breve eu conto para vocês, por hora vamos curtir a letra linda dessa música.

Primavera Antecipada

Para descontar eu não dou
Nada disso que eu tenho
Nem mesmo um mínimo calafrio, agora não
...é o ar que eu respiro
...é minha queda a seus pés
...é a minha canção
Eu canto quando você for embora
Confesso que eu não entendi muito bem essa música, fazendo uma "análise" por assim dizer, dela junto ao vídeo, a letra fala de encontro e procura. Nessa primeira estrofe a gente vê que ambas as pessoas (porque é um dueto) são bem decididas, mesmo com a perda eles não se deixam abater e quando se apaixonam. E versos como "é minha queda a seus pés" me passam a ideia de que já estão apaixonados.
Confesso, és a minha razão primeira
Agora em mim
De tudo o que existe de bom
Até aqui, nós percebemos que é uma declaração de amor, mas não esses "amores de hora" que vem como um vendaval e só deixam destruição por onde passam, estamos vendo aquele amor que cresce aos poucos, capaz de, como diz a letra da música, antecipar a primavera mesmo no mais árduo inverno.
Ahahah... eu sei
És a primavera antecipada
Ahahah... é a prova que demonstra o efeito que você tem em mim
Porque...
...todas as minhas esperanças e os meus medos (minhas esperanças e meus medos)
Neste momento estão claros
Você é o escolhido
Minha lua, minhas estrelas, meu sol.
Como dito na estrofe anterior, o amor que muda estações, eu acho a relação deles tão lindinha - por mais que isso tenha soado meio gay! - e olha só, não é por nada não, mas noventa por cento das garotas de hoje em dia ( e não estou generalizando) acharia "careta" ouvir esse último verso, "você é o escolhido minha lua, minhas estrelas, meu sol." e os garotos também, vivemos numa sociedade onde o verdadeiro romantismo está morto e enterrado. Infelizmente. Felizmente não para os nossos eu-líricos, que usam de todo esse carinho suave para declara-se.
Por isso, nos pulmões o ar muda
Afinal de contas, você sabe
És tudo de bom que existe
Ahahah... eu sei
És a primavera antecipada
Ahahah... é o exemplo que demonstra quanto efeito que você tem em mim
Flores que nascem das amoreiras
Aqui fora cicatrizam os meus erros
Agora, vamos olhar um pouco além da metáfora, é mais que o amor que simplesmente transforma inverno em primavera, é o amor que transforma a vida - para melhor - na minha concepção, o inverno simboliza a vida triste e vazia que havia antes de o outro aparecer, a constante procura por algo - ou alguém - capaz de doar-se em calor e afeição. E o encontro de alguém capaz de mudar essa realidade, que no caso é representada pela primavera, e aceita-lo do jeito que ele é, com seus defeitos, ignorando os seus erros do passado e em conjunto construir um novo presente e um novo futuro.
É você, sem nenhuma dúvida, o criador desta primavera que há, em mim,
Aqui fora
No nosso auto-retrato
Primavera in anticipo fala sobre a busca de alguém que consegue completar você, de um amor sincero e, no meu ver, até um pouco utópico. Alguém capaz de te fazer enxergar a beleza que há em você e na vida, capaz de transformar o mundo à sua volta e preencher os vazios que há dentro do seu coração.

E ai? Gostaram?

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Dia QUASE perfeito

Fazia muito tempo que minha irmã, eu e minha mãe não saíamos juntas, e hoje nós fomos fazer as compras de supermercado. Foi não só altamente divertido, como fez eu me sentir muito bem, com a chegada das festividades de natal e ano novo, que nós já fazemos planos, tivemos um gostinho a mais nesse tempo juntas e um gasto a mais também. Por um lado, tem sido bom desde que a minha irmã saiu do seu trabalho semi-escravo, ela tem estado mais relaxada e nós temos passado mais tempo juntas e confesso que eu sentia muita falta disso, agora que a minha mãe está de férias do trabalho o mês de Dezembro está sendo consideravelmente bom. E o meu dia hoje tinha tudo para ser ótimo, não fosse algo que me deixou profundamente chateada.
Finalmente consegui do meu pai dinheiro para comprar um livro, ao longo da minha vida ele me deu apenas 03 livros: O morro dos ventos uivantes (por livre e espontânea pressão), O Teorema Katherine (Por livre e espontânea súplica: minha.), Romeu Imortal (Depois de reclamar meia hora da situação apertada) e quando finalmente ele ia me dar A Culpa é das Estrelas por livre e espontânea vontade sem pestanejar e nem ao menos criticar nada, o livro tava esgotado nas lojas americanas da minha cidade, na livraria (única) que tem aqui, e não tinha em nenhuma banca de revista. Eu juro que fiquei a beira das lágrimas hoje! E ainda vem a minha mãe reclamando que eu tenho livros demais! Isso é um absurdo! Nunca se tem livros demais e eu só tenho 78 livros U_U' como ela ousa dizer que eu tenho livros demais?! Depois de escrever, o único prazer real que eu tenho é ler... Ela não pode querer começar a dosar isso ou me impedir de comprar livros. Fora esse episódio, posso dizer que tive um dia muito bom. Quase chegou a ser o dia perfeito... Bem perto. Mas novamente, essa cidade escrota e atrasada conseguiu estragar isso. Espera, não é? É sempre isso que me resta.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Entenda a Letra: Valentine - Xandria

Eae!
Então eu to voltando com o entenda a letra dessa semana - acho até que eu vou colocar isso como tag de sexta! - e nessa semana a gente volta com o bom e velho metal sinfônico dentro do gothic metal, com a linda e maravilhosa Manuela Kraller, e essa profunda e belíssima música que é Valentine. O motivo de eu ter escolhido essa letra foi uma colega de curso de inglês que se chama Valentina, a minha personagem de Beauty and The Beast que também se chama Valentina e também o fato de eu ter me re-apaixonado pela música nessa semana. É uma letra bem ambígua e interpretativa, então possívelmente eu não vou me dar muito bem com ela, fiz pouca pesquisa e dei a minha visão sobre a letra. Então fiquem a vontade para complementar e dar seus pontos de vista - com educação u.u'.
Valentim
Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos sonhos
Esta é a época da colheita, provar o vinho vermelho-sangue
Desta arte dourada, que é derramada a partir do meu próprio
Coração
A letra dessa música não é só intensa, mas interpretativa e até mesmo histórica. Eu obviamente não sou “estudada” o bastante para analisa-la profundamente, mas vou tentar. Valetim se refere à um bispo romano que realizava casamentos em uma época que Claudio II, imperador de Roma, impediu que os jovens se casassem a fim de formar um enorme exército. Quando a letra refere-se Valentim, é como os namorados assinam as cartas entregues ao amado no Valentine’s Day. Mas ao que parece o eu lírico dessa música não está muito feliz. Vendo de maneira interpretativa, a segunda estrofe revela muita coisa, entregar-se – possivelmente – de corpo e alma à uma ilusão, um amor que não vai durar, a época da colheita pode ser interpretada como o dia dos namorados por exemplo, a arte dourada que é a conquista, o sentimento derramado do coração puro que conhece o amor pela primeira vez e a dor de tê-lo desfeito.

É tão difícil ver a meu rosto
Na desgraça fria do espelho
Eu quero saber o que é isso que me tornei
Um desejo infantil abandonado
Tão fácil para seduzir
Parece que é apenas um passo para cair
Viu como eu disse que a letra da música é altamente interpretativa?
Bom, aqui nas três primeiras versos fica bem na cara que o eu lírico dessa letra se odeia – bem like me – e a confusão sobre si mesmo pode ser originada de n possibilidades entre elas a amargura de ter sido constantemente magoada. Esses últimos versos contradizem o fato de ter sido muito magoada, mostram que o eu lírico pode ser uma “iniciante” na arte do coração, e assim fácil de ser seduzida e, consequentemente, magoada, apenas um passo para sua própria destruição.

Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos
Sonhos
Eu não falo do refrão duas vezes, mas essa parte dele me chama a atenção, ela fala diretamente para a pessoa que gosta e pede que ele lhe parta o coração, porque é o que ela espera que ele faça. No segundo verso, o brilhante e inalcançável sonho é o amor que ela acredita ser impossível.
Mal posso escrever estas linhas
Porque eu já assinei
Meu nome através da parede de orações
Agora, eu ouvi meu nome
Soando como uma culpa
Eu fecho meus olhos e começo a cantar minha canção
É nítido que essa garota (ou garoto né) ta sofrendo. O terceiro e quarto verso me chamam a atenção, escrever o nome através da parede das orações pode implicar dizer que ele ou ela reza para alguém o que me reforça a ideia de São Valentim dita na primeira estrofe. Nos versos seguintes, é como se o sentimento que ela nutria dentro de si, e que se permitiu viver tivesse sido interpretado como um erro, provavelmente até mesmo pela pessoa objeto de sua devoção, daí o nome “soando como uma culpa”.
Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos
Esta é a época da colheita, provar o vinho vermelho-sangue
Desta arte dourada, que é derramada do meu coração

Se eu estou olhando para trás
Esquecendo-me do tempo
Há algo que está queimando sem parar
Só há – para mim – uma maneira de encarar essa estrofe: revivendo o passado que não pode voltar para desfazer, nada queima tanto por dentro do que lembranças, principalmente lembranças de algo que você anseia esquecer.

Oh, oh, oh pactum, fraudis! (X4)
Sanguinans!
Para os que não falam Latim (nós temos uma noção mínima em letras) “Pacto, Fraude, Sangue!” Isso até me lembra Romeu e Julieta. Pacto pode representar as promessas feitas para serem quebradas, fraude é o momento da descoberta de que elas não eram verdadeiras, e ainda mais, pode ser interpretada pela maldade de sentimento de quem mente. Sangue... Bem... As consequências deixadas por essa atitude cruel. Lembram que na quarta estrofe o eu lírico escrevia, possivelmente ele pode estar escrevendo uma carta de suicídio? É uma letra gótica (gothic metal, doom metal) é muito possível.
Eu vivo em memórias, lançado em melodias
Eles morrem em harmonia com a ganância e traição
Reforçando a estrofe anterior ao latim, viver em lembranças, lançada em melodias pode significar uma maneira de amenizar a dor. Já o segundo verso fala da pessoa que a feriu, e o fato de “Morrer” não está diretamente ligado ao fim da vida, mas ao caminho que essa atitude vai levar as pessoas que o trilham.
Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos
Esta é a época da colheita, provar o vinho vermelho-sangue
Desta arte dourada, que é derramada do meu coração

Como eu posso fugir dessa dor sem fim?
Se ela estava mesmo escrevendo uma carta de suicídio e tudo nessa letra indica um desejo profundo de morte, eu não preciso mesmo responder a essa pergunta não é?

---////---

Um dado Histórico:
São Valentim (ou Valentinus em latim), é um santo reconhecido pela Igreja Católica e igrejas orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
O imperador Cláudio II, durante seu governo , proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objetivo de formar um grande e poderosoexército. Cláudio acreditava que os jovens, se não tivessem família, alistar-se-iam com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega, Astérias, filha do carcereiro, a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram apaixonando-se e, milagrosamente, a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270.
Entretanto, desde 1969 sua data não é mais celebrada oficialmente pela Igreja Católica em função da precariedade de comprovações históricas que levam em questão até mesmo a sua existência.1
[FONTE: Wikipédia]