terça-feira, 30 de dezembro de 2014

E lá se vai 2014!

Olá blogueiros,

Mais um anos tá indo embora e eu não poderia deixar de vir aqui me despedir de vocês e agradecer. Não posso dizer, exatamente, que 2014 foi o ano que eu esperava, mas seria uma mentirosa se dissesse que foi um ano ruim. Não foi. Muitas coisas ruins aconteceram, sim, mas as coisas boas superam tais tristezas e é assim que deve ser, é no que temos de nos focar: No bom.
Não sou muito daquelas que gosta de fazer "retrospectivas", até porque tenho uma memória tão ruim que mal consigo me lembrar o que comi de manhã rs, mas se há alguns momento esse ano que acho que valem a pena ser lembrados porque me fazem lembrar o quanto a vida vale a pena, são esses que vou compartilhar agora com vocês:
A possibilidade de publicar Sleeping Beauty, para mim, foi o ponto alto desse ano. Eu e a Lily trabalhamos arduamente na correção, reescrita e formatação da história, é um projeto tão completamente meu em cada detalhe que foi a minha realização mais plena. Escrever esse livro foi um dos maiores presentes que recebi esse ano e mesmo que as vendas dele tenham sido poucas eu estou feliz por todos que já leram e gostaram da história, porque eu dediquei um amor especial a ela. Nunca imaginei de fato que ela fosse virar livro, quando comecei a postar no Nyah e recebi as respostas positivas, respostas inclusive de gente que é acostumado a ler grandes autores como Paula Pimenta que escreveu O livro das Princesas, eu optei por fazer um remake da Bela Adormecida em um tempo onde não havia muito da história além da Disney, mas ela só ficou pronta no mesmo ano da publicação de Princesa Adormecida, Malévola e Sleeping Beauty (adaptação de 2014), esse último, um filme que eu vi e sinceramente não gostei nada. 
Mesmo assim, em meio a essas novas releituras, o meu livro consegue ser original à sua própria forma, trata do conto dos Grimm de maneira mais realista, mas sem perder a magia e o romance da Disney além de trazer inovações próprias como uma princesa de personalidade própria e diferenças significativas no enredo da história. Estou muito orgulhosa de ter conseguido escrever algo tão incrível quanto este livro e foi uma realização tamanha para mim enquanto leitora e em uma vida criando histórias que até então ninguém tinha lido.
Publicar por uma editora é um sonho que eu tenho desde que comecei a escrever aos sete anos de idade. Esse ano isso finalmente foi possível, assim como em 2010 eu pude ter a experiência de cantar para mais de dez pessoas sobre um palco. Confesso a vocês que a experiência não foi bem o que eu esperava, embora as respostas que o livro recebeu foram muito boas, principalmente considerando o fato que não é minha história mais emocionante rs o que vale salientar desse momento, realmente, foi a chance de conquistar algo por mérito meu, escrever alguma coisa tão boa a ponto de ser aprovada por alguém que lê milhares de livros todos os dias. E também a chance que isso me deu de me aproximar mais de pessoas que eu já estimava e conhecer um cara incrível como o João Paulo, revisor do livro, a quem eu permaneço como um amigo muito querido.
A magia de publicar Um Novo Começo foi justamente essa. Ter a possibilidade de me aproximar mais deles, a possibilidade de conhecer tanta gente legal, como a Aly por exemplo, que foi tão fofa comigo. É o bom de escrever, de alguma forma isso coloca um monte de gente legal no seu caminho, faz abrir portas para muitos corações que muitas vezes você não imaginaria cativar, mais cativa (tipo a tia do Raul que leu esse livro 6 vezes!) e esse foi outro momento que eu não quero deixar de lembrar aqui foi esse momento em que eu levei o livro autografado pro Raul, foi um dos momentos mais incríveis desse ano, quase como se eu dissesse a mim mesma que "passei por essa fase" e que finalmente posso seguir em frente. Escrevi Um Novo Começo quando tinha dezenove anos, no meio de umas aulas de português do normal médio (magistério) das quais eu fazia questão de não prestar atenção, sem contar nas de filosofia, geografia e, principalmente, didáticas e pedagogias. Inicialmente, até então, era um dos meus enredos mais inteligentes, mesmo que um tanto mal desenvolvidos, e foi a abertura para um mundo de novas possibilidades literárias para mim, tendo em vista que, até então, a maioria das histórias que eu escrevia eram bem dramáticas e se passavam basicamente no mesmo lugar.Retrabalhei ela inteira quando foi aprovada pela editora e dei o manuscrito para o revisor como uma forma de agradecer pela amizade maravilhosa que ele me concedeu. Foi um momento muito tenso esse ano, mas não posso negar que também foi bem gratificante.
Esse ano também, durante quatro meses, eu trabalhei em Conto de Falhas.Escrever essa história foi muito libertador, além de contar como eu me senti durante os muito "tocos" que eu já levei na vida, ainda expressei meus desejos para um futuro que eu já não estou tão certa que vai mesmo acontecer e meio que "dei uma limpa" nos meus sentimentos, em coisas que eu realmente queria esquecer e queria tirar dos armários do meu coração. Assim como Conto de Falhas, esse também foi o ano de Folhas Mortas, essa história me surpreendeu muito, porque eu nunca imaginaria que as pessoas se interessariam por ela pela carga de drama que ela traz. Fiquei não só feliz, mas animada com a ideia de transformá-la em um bom livro e é meu primeiro projeto para 2015. Já tenho 28 capítulos prontos e ela está longe de acabar. Então, posso dizer que apesar de todas as coisas ruins, no caso literário, esse foi o ano do livro.
E ainda falando em livro, além de este ano eu ter ganhado o espacinho dos meus bebês, presente de aniversário da mamãe, esse foi sem dúvida o ano que eu mais comprei e ganhei livros. Só no mês do meu aniversário foram 15! Também foi o ano em que eu mais li, passei da marca dos 50 livros por ano! Oito desses só em Janeiro. E já estou feliz com o primeiro livro que vai chegar dia 23 de Janeiro, que é o meu tão aguardado diário da Seleção. A lista de compras e de leituras de 2015 já está enorme e por isso Janeiro será um mês de muitas resenhas no blog e 2015 será o ano da escrita. Eu vou me dedicar unicamente aos meus livros neste ano novo, não haverão projetos no Nyah, vai ser um ano inteiro dedicado à leitura e à escrita. Vou, inclusive, concluir Asking For Alexandra, ainda nas férias de Janeiro, para a partir de fevereiro me dedicar unicamente ao projeto do TCC e aos meus livros. Não vou dizer a vocês que o ano que vem tem novidade por aí, porque não posso garantir isso de nenhuma forma, o que eu posso dizer é que em 2015 eu tenho planos de mudar a minha alma, de escrever com mais afinco e de ler muito. Para mim, é o que me basta e o que tenho por certo. Mas, quanto a 2014, foi um ano difícil. Muito difícil mesmo. Mas esses acontecimentos bons e muitos outros que ocorreram durante esses 365 dias, fizeram as coisas valerem a pena. Obrigado a você que passou esse ano comigo, obrigado a você que esteve por aqui, me acompanhando e me enviando suas vibrações positivas. Obrigada de coração por tudo! 
2015 está chegando, vou trocar o Layout do blog e já em janeiro começam as resenhas novas. Obrigada por esse 2014! Graças a vocês ele foi suportável, foi melhor!

Feliz ano novo, blogueiros!

sábado, 27 de dezembro de 2014

Academia de Vampiro #3 - Tocada pelas Sombras

Informações:

Título Original: Shadow Kiss
Título no Brasil: Tocada pelas Sombras #3
Série: Academia de Vampiros
Autor: Richelle Mead
Gênero: Fantasia, Romance, Ficção
Ano de Lançamento (Original): 2008
Ano de Lançamento (Brasil): 2010
País de Origem: EUA
Editoras: Contraponto (Portugal)
                  Razorbill (EUA)
                  Agir (Brasil)


Sinopse: Rose Hathaway sabe que é um erro se apaixonar por um de seus instrutores. Lissa, sua melhor amiga e última princesa do clã dos Dragomir, deve vir sempre em primeiro lugar. Rose precisa protegê-la. Mas, infelizmente, quando se trata de Dimitri Belikov, algumas regras parecem existir apenas para serem quebradas. Justamente quando Lissa e Rose veem seu pior inimigo, Victor Dashkov, a um passo de sair da prisão, imagens sombrias começam a invadir a mente de Rose, prenunciando algo terrível à espreita da Escola São Vladimir. A tensão ronda o mundo dos Moroi mais do que nunca. Os Strigoi desejam vingança pelas mortes causadas por Rose em Spokane. Numa batalha de tirar o fôlego, ela viverá seus piores pesadelos ao ter de escolher entre o amor de sua vida e sua melhor amiga. Será que essa escolha significa que apenas um deles sobreviverá?

Enredo: No terceiro livro da série, voltamos a acompanhar a rotina de Rose de volta à escola depois dos acontecimentos em Spokane, que levaram à morte de seu melhor amigo, Mason. Abatida e sob efeito da constante pressão do teste prático pelo qual os guardiões em formação precisam passar, Rose acaba se deparando com o fantasma do seu melhor amigo morto nos arredores da escola São Vladimir. Aturdida com a visão e achando que sua sanidade está à prova, Rose esconde o fato de todos, inclusive de Lissa e Dimitri, que estão cada vez mais preocupado com ela. Sendo momentaneamente guardiã experimental de Christian, Rose tenta lidar com os fantasmas e as sensações avassaladoras que sente por Dimitri por quem está cada vez mais apaixonada, e quando descobre que Victor Dashcov, tio de Lissa, está para ser julgado, os ânimos se afloram entre os dois, tanto por Victor saber de seu caso secreto quanto pela chance de ele ser solto pela rainha Tatiana.Graças a Adrian Ivashcov, Lissa e Rose conseguem comparecer ao julgamento para depor, e por bem pouco o caso de Dimitri e Rose não é exposto pelo Moroi. Ainda na corte, além de sofrer uma alucinante dor de cabeça povoada por visão dos mortos, Rose é confrontada pela rainha sobre o interesse que Adrian tem nela e ainda é ameaçada de ser tirada como guardiã de Lissa. Com a condenação de Victor, todos retornam a escola e Rose é novamente atacada pelos fantasmas tendo então de revelar a Dimitri que os vê. Diagnosticada sob possível efeito de estresse pós traumático, ela é levada à terapia e tem sua experiência de campo reduzida pela metade. Aos poucos, com a presença de Adrian e estranhos alertas de Alice, uma fornecedora aparentemente senil, as peças começam a se juntar e Rose e Dimitri descobrem que seu amor é muito mais difícil de resistir do que imaginam e que o perigo está mais perto do que pensam.

O que eu achei: O clima da trama segue sem muitas mudanças, além é claro da personalidade de Rose que está visivelmente modificada após o horror em Spokane. SPOILER A PARTIR DE AGORA Finalmente rolou uma coisa de verdade entre ela e Dimitri e foi tão perfeito... A primeira vez dos dois e os planos para o futuro foram lindos, e por isso a transformação dele em Strigoi doeu mais. LEIA NOVAMENTE A PARTIR DAQUI a sensação de suspense recorrente durante toda a história e os quebra cabeças que você é forçado a tentar resolver só deixam o livro mais delicioso e te fazem ter pequenos "infartos" enquanto lê. A história segue bem, e em certas partes, por mais que essa coisa do "eles vem primeiro" começasse a incomodar, além da falta de confiança de Rose em Dimitri, você não consegue odiá-la a ponto de a leitura se tornar insuportável. Valeu a pena ter lido.

Avisos: Bem pessoas, essa é minha última resenha de 2014! Os próximos três livros da série vão entrar na meta de leitura do ano que vem o/ espero que vocês tenham gostado de todos os livros apresentados esse ano e quero muito agradecer por me acompanharem direta ou indiretamente! Brevemente, o blog fará um sorteio de um exemplar do Livro Um Novo Começo, lançado esse ano, então fiquem ligados ;) beijos e até 2015!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Acontecimentos perigosos

Oi blogueiros,
bem, não posso dizer que ultimamente ler está sendo fácil, assim como escrever e fazer qualquer outra coisa. Espero de coração que eu esteja de TPM, do contrário tenho motivos sobrando para começar a me preocupar.
Algumas coisas boas tem acontecido esses últimos dias, mas as ruins tem sido mais "alarmantes", As provas foram relativamente bem, com exceção de literatura brasileira em que eu ainda não sei se fui aprovada ou não, mas, por pior que tenha sido esse período - e acreditem, foi um real pesadelo - nem se compara com o inferno que será o sexto.
Eu finalmente abri um skype para falar com uns leitores do Nyah, e de verdade tem me feito bem de certa forma, tive conversas realmente agradáveis e divertidas... amenizaram um pouco as minhas tensões, mas não as dissiparam de nenhuma forma. Nos últimos dias eu tenho estado em estado de alerta ao menor sinal de recaída, embora eu creia que já esteja caindo ha muito. Não tenho comido direito, posso passar o dia inteiro sem colocar nada no estômago e sequer apercebo-me disso. Falta-me apetite tanto quanto ânimo para fazer qualquer coisa. Ontem dormi cedo, acordei com uma sensação de renovação, como se eu não dormisse há meses, é outra coisa que tem me preocupado um pouco, tenho dormido muito mal. Vou para a cama às três ou quatro da manhã, acordo onze ou doze horas do dia seguinte e passo o resto da tarde sem querer sequer sair da cama. Não consegui sair do primeiro capítulo do meu trabalho de conclusão de curso, mal consegui avançar no livro que estou lendo - e por isso a resenha está tão atrasada - e nem mesmo escrever. Falta-me a vontade, a paciência, o ânimo, tudo. Tenho estado em tal ponto de letargia e melancolia que estou começando a me preocupar com uma possível recaída. Voltou com força a vontade de ir para uma casa de repouso, desejo esse que eu tinha jogado de lado, no fundo da minha mente, quer dizer, quando minha mãe ia me deixar ir por vontade própria para um manicômio? Por mais que ela viva dizendo que eu sou "adulta" jamais concordaria com isso, sem contar que eu precisaria do aval dela para isso. Não sei o que fazer.
As coisas vão mal, blogueiros... Acho que estou voltando a entrar em colapso e, possivelmente, quanto mais isso acontece, menos provaveis são as chances de volta.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Rangers A Ordem dos Arqueiros 1# Ruínas de Gorlan

Informações:

Título Original: The Ruins of Gorlan
Título no Brasil: Ruínas de Gorlan
Série: Rangers: A Ordem dos Arqueiros #1
Autor: John Flanagan
Gênero: Aventura, Fantasia
Ano de Lançamento (Original): 2004 
Ano de Lançamento (Brasil): 2009
País de Origem: Austrália
Editoras: Radom House (Austrália)
                 Penguin Books (EUA)
                 Fundamento (Brasil)

Sinopse: Durante a vida inteira, o pequeno e frágil Will sonhou em ser um forte e bravo guerreiro, como o pai, que ele nunca conheceu. Por isso, ficou arrasado quando não conseguiu entrar para a Escola de Guerra. A partir daí, sua vida tomou um rumo inesperado: ele se tornou o aprendiz de Halt, o misterioso arqueiro, que muitos acreditam ter habilidades que só podem ser resultado de alguma feitiçaria. Relutante, Will aprendeu a usar as armas secretas dos arqueiros: o arco, a flecha, uma capa manchada e... um pequeno pônei muito teimoso. Podem não ser a espada e o cavalo que ele desejava, mas foi com eles que Will e Halt partiram em uma perigosa missão: impedir o assassinato do rei. Essa será uma viagem de descobertas e aventuras fantásticas, na qual Will aprenderá que as armas dos arqueiros são muito mais valiosas do que ele imaginava

Enredo: No livro nós acompanhamos diferentes pontos de vista da história, inicialmente somos transportados por Will e seu receio em ser chamado como aprendiz para a escola de guerra. Em certa idade, os garotos protegidos do baronado de Arald são escolhidos por mestres para aprender um ofício e servir ao baronado e à corte de Araluen. Will, órfão ao nascer e sem saber nada sobre seu passado, sequer seu sobrenome, deseja ser um soldado, assim como crê que foi seu pai, a quem ele nunca chegou a conhecer. Mas as chances de Will ser aceito na escola de guerra são mínimas, devido a sua estatura pequena e frágil. Quando é recusado pelo mestre de Guerras, Will se vê desolado e, para piorar tudo, Halt, o arqueiro, parece saber algo sobre o seu passado que o próprio garoto não sabe. Determinado a descobrir o que é, Will invade o escritório do barão Arald para tentar descobrir o que havia no misterioso papel e descobre que tudo não passara de um teste, pois ele era o escolhido do misterioso Halt para ser aprendiz de arqueiro.
Enquanto isso, acompanhamos Horace, inicialmente inimigo de Will na casa dos protegidos, em seu primeiro dia na escola de guerra, quando ele é vítima da crueldade de três alunos do segundo ano que, além do bullying verbal e psicológico das humilhações ainda o agridem fisicamente tornando seus dias e seu treinamento cada vez mais difícil e afastando todos os alunos de sua sala dele, fazendo com que Horace fique levemente deprimido.
Do outro lado, Will tenta lidar com o temperamento difícil de seu mestre ainda tentando se adaptar à decepção de ser um arqueiro e ao mesmo tempo intrigado com as tarefas dos misteriosos colaboradores do rei, um grupo seleto, de quem se sabe o mínimo e se inventam boatos. Aos poucos, enquanto passa pelo treinamento, Will começa a perceber que a vida de um arqueiro comporta muito mais emoção e responsabilidade do que qualquer outro posto do baronado e do reino. O garoto imerge com afinco não apenas na tentativa de se superar, mas de agradar ao seu mestre por quem passa a ter respeito e admiração. 
O destino de todos se cruza e intercala dando reviravoltas quando os desafios impostos pelo destino os coloca lutando lado a lado e põe suas vidas em risco. Horace vai aprender que tamanho não é documento, Will vai descobrir o significado de coragem, lealdade, amizade e força, aprendendo que seu mestre e sua profissão são muito mais valiosos do que poderia imaginar.

O que eu achei: Ainda estou sem palavras para descrever esse livro, sério! Quando minha irmã comprou eu fiquei um pouco curiosa, mas desde então ainda não tinha tido atração o bastante para pegar nele, até que, por fim, me rendi, e não me arrependi nem um pouco. Como o vendedor havia dito a ela, o livro é realmente incrível e instigante! Eu não sou acostumada a ler fantasia, minha primeira fantasia foi A Lenda dos Cinco Povos, que por sinal, gostei muito. Por algum motivo esse livro me lembrou ele, é leve, engraçado, um pouco reflexivo, altamente eletrizante e impossível parar de ler. Foi uma viagem muito interessante por esse mundo fantástico criado por John, a gente acaba se apegando aos personagens e ficando preso na história. Eu achei o livro quase didático, supre bem o papel do autor em querer mostrar ao filho que nem todo herói é grande e forte, além de tratar de temas bem atuais como o bullying. Ao todo são 12 livros se não me engano, mas vale muito a pena. No momento, só compramos este, mas num futuro próximo espero ler os outros 11, eles são um pouco caros, mas vale muito a pena ler. Recomendo!

sábado, 6 de dezembro de 2014

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista - Jennifer E. Smith

Informações:

Título Original: The Statistical Probability of Love at First Sight
Autor: Jennifer E. Smith
Ano de Publicação no Brasil: 2013
Editora no Brasil: Galera Record
Ano de Publicação Original: 2012
Editora americana: Poppy


Sinopse: Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

O que eu achei: Por conta da faculdade e de alguns trabalhos que eu tinha para apresentar eu levei bem mais tempo pra ler esse livro, mal espero para ficar de férias logo. Mesmo com a demora (o que eu considero uma vergonha porque esse livro tem 222 páginas!) foi uma leitura maravilhosa! Gente, eu fiquei encantada, é o tipo de literatura que eu gosto de ler. O livro é da minha irmã - no sentido que foi ela quem comprou - e eu peguei para ler por curiosidade e porque era pequeno, daria para folhear no meio dos trabalhos e das coisas para estudar. Realmente é uma fábula como diz na contracapa, as chances de isso acontecer são basicamente nulas! Mas foi muito gostoso de ler, é um livro que trata sobre família, sobre amar imperfeições e não perfeições. Alguns chama de romance água com açúcar, mas esse tipo de leitura aquece o coração da gente, quer dizer, quem não queria encontrar um Oliver assim, por acaso, e se apaixonar? Eu confesso que queria. As questões familiares também foi algo que me chamou atenção, foi bacana explorar esse lado em um livro, raras vezes eu vi isso tratado de forma tão realista e acho que é o ponto forte desse enredo, porque, assim, como eu falei antes né, a chance de um amor em 24 horas é absurda rsrs.Não há muito que eu possa contar sem dar spoiler, então vou deixar que vocês leiam e tirem as próprias conclusões. Digo que é fofo, ideal para quem gosta de romances leves.

Com a minha semana de provas aí, não sei se vou conseguir começar outro livro já. Mas fica aí. Até a próxima :)

The Lost Girl.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Lançamento: Um Novo Começo ACONTECEU!

Nossa gente... Finalmente hoje eu tive uma folga e queria dividir com vocês um pouco do que foi o lançamento de Um Novo Começo. Nem preciso dizer que eu era só nervos, não é? É a parte mais complicada para mim: a interação. Enquanto eu estou escrevendo, sou só eu e o word, as palavras, a imaginação... Mas quando se trata de interação social é um problema para mim, eu realmente não sei lidar com pessoas e acreditem tinha quase 700 no congresso da faculdade, no evento da tarde que eu tive que comparecer, eu tive um ataque de pânico, imaginem o que é o medo de multidão. Bem, eu tenho fobia de 3 desconhecidos imagine mais de 100 juntos num mesmo local!
Cheguei de volta na faculdade pelas sete e quinze,  estava quase tudo pronto, a presença dos meus pais, da minha irmã e de Isabel, a minha fadinha, lá ao me lado ajudaram muito para que eu não quisesse sair correndo, acabei me divertindo muito! Foi uma experiência mágica ficar atrás de uma mesa, escrever autógrafos para as pessoas que estiveram ao meu lado desde que eu nem me entendia por gente, pessoas que acreditaram em mim quando eu mesma não acreditava! Todas as pessoas que eu realmente desejei que fossem, foram, e isso me animou demais! Apareceram outras pessoas que eu não conhecia também e foi uma experiência nova escrever para elas, vê-las felizes por estarem comigo, o que é algo raro de acontecer. No início, quando as pessoas ainda estavam espalhadas, eu chamei mais atenção do que gostaria, ter aquele monte de olhos virados para mim foi assustador, e eu tentava sempre focar Isabel, Karynny ou Tainan. Foi legal ver minhas madrinhas, meu primo Matheus, até outro primo meu que eu nunca imaginei que fosse, esteve lá! No fim da noite, ainda me surpreendi com o fato de R ter querido o livro, não apenas por ser um tipo de literatura quase oposta a dele, mas enfim... O autógrafo dele foi o mais difícil de escrever e o mais lisonjeiro também... O que me deixa ansiosa é o encontro, ele vai buscar na Segunda Feira, dia do meu trabalho sobre Avaliação. Mas a vista do que acontecia sempre que eu pensava nele, a dor é bem mais branda agora. Infelizmente, acho que eu cresci (risos). Muita gente foi atrás e isso também me deixou surpresa, a resposta no facebook também foi muito positiva, pessoas do meu curso (que inclusive nem conheço) se interessaram pelo livro, me adicionaram, deram todo o apoio e não apenas aqui onde moro, mas fora! Uma amiga minha de Brasília arrumou tudo comigo porque queria o dela autografado e isso para mim é algo mais que importante, é grande. Quando você escreve um livro, você não o faz para você, nenhuma obra escrita pode acontecer sem leitor. E eu estou surpresa e emocionada com o resultado que eu obtive com o meu livro, foi realmente uma noite incrível. Meus amigos marcaram presença, todos lá: Sandy, Claudimary, João Paulo, Aricélia, Paulo César, Julianna, Shirllene... Isso foi formidável. Foi uma experiência única para mim e mesmo depois de todo o medo e toda a pressão eu estou aliviada e muito feliz. Espero realmente que Um Novo Começo aconteça. 
Rolou, inclusive, uma breve entrevista durante o evento, confere só:
Não reparem na minha cara, tá? Tem uns vinte quilos de maquiagem aí U.U 

Se vocês quiserem adquirir o livro, ele está à venda no site da Editora Multifoco, CLIQUE AQUI
E não esqueçam de Sleeping Beauty: A história por trás dos olhos fechados, também está disponível no Clube de Autores!

Até mais, amores! Beijinhos literários!

The Lost Girl.

Aura Negra - Academia de Vampiros #2 - Um comentário

Título Original: Frostbite
Título no Brasil: Aura Negra
Autor: Richelle Mead
Série: Academia de Vampiros #2

Sinopse: A Escola São Vladimir está em alerta após um ataque dos sanguináreos Strigoi. Os Guardiões admirados por suas habilidades e seus grandes feitos, se preparam para entrar em ação. A escola envia seus alunos para um hotel de luxo e bem protegido, porém um imprevisto obriga Rose a deixar a segurança de seu lar e impedir que o pior aconteça. Apenas quando a vida de seus amigos está por um fio é que a heroína descobrirá força dentro de si.


O que eu achei: A esta altura nem vale mais a pena escrever uma resenha pra esse livro tendo em vista que eu demorei dois séculos pra conseguir voltar aqui! Eu expliquei todos os meus motivos, então, não me matem, please. Vou fazer um comentário meio breve dele, com o monte de trabalhos e toda a pressão do lançamento do livro, eu passei um tempão sem conseguir ler Aura Negra, mas a cada nova página lida eu me perdia mais na história, cara, esse livro é incrível, alucinante e intenso em todos os sentidos. Inicialmente, você fica meio que com raiva de Rose, com a possibilidade de humanos trabalhando ao lado de Strigois para matar as famílias reais moroi todo mundo vampírico está em alerta, cada vez mais os assassinatos vão surgindo, Lissa e Christian estão cada vez mais próximos e Rose se sente um pouco deixada de lado. Dimitri está se envolvendo com a tia de Christian, Tasha, e para curar seu coração partido, Rose acaba tentando se envolver com Mason, seu melhor amigo, mas quando Mason, Mia, e mais dois dampiros partem em uma caçada suicida aos Strigoi, Rose e Christian vão se envolver em problemas que podem acabar muito mal. Gente, eu chorei muito com esse livro, estou começando a desenvolver a síndrome do capítulo vinte e dois! Aura Negra é ainda melhor que o primeiro e peço que os outros continuem melhorando porque sagas de seis livros são perigosas! Aura Negra vale todas as estrelas!

Por causa dos meus últimos trabalhos e das provas se aproximando, eu dei um tempo de novo na saga e peguei um livro menor para "enganar" enquanto eu estudo para os trabalhos. Não sei quando sai resenha de novo, mas vocês sabem... Eu sempre volto!

Beijos literários!

The Lost Girl.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Satisfação de uma blogueira desaparecida '-'

Eu sei que andei desaparecida, e acreditem em mim, não tem acontecido NADA de bom em absoluto. Já era pra eu ter escrito a resenha de Aura Negra há séculos, mas não tenho tido tempo, mal tenho tido tempo para respirar! Final de período a droga da faculdade vira um inferno! E esse em especial está um inferno ao quadrado!
Estou preocupada com o lançamento do livro, com os livros que ainda não chegaram, e agora tem trabalho pra apresentar um em cima do outro sem sequer dar tempo de estudar! Estou num estresse só! Vontade tremenda de dormir e não acordar mais! É pressão demais, estresse demais, cobrança demais, eu to tão furiosa e desgastada que acho que nem se eu entrasse em coma por dois meses eu conseguiria me sentir melhor!
Estou cansada, com vontade de mandar tudo pros quinto e me internar numa clínica psiquiátrica! Principalmente quando penso que a tendência de tudo é piorar. Agora, eu preciso manter minha cabeça sobre o pescoço, cuidar dessa porra desse relatório de prática, dos dois trabalhos que tem que apresentar e ver se não surto por causa desse livro. Vou escrever e postar a resenha de Aura Negra assim que der, gente, juro. Isso se eu não tiver que ler o livro todo de novo com esse monte de estresse na cabeça.
Hoje eu chorei pra caramba naquela droga de faculdade (Se é que dá pra chamar assim), sinceramente não sei se eu era mais doente antes ou depois de inventar de fazer isso. Se eu pudesse voltar no tempo eu teria passado na frente de um carro em movimento para ser atropelada e perder aquele maldito vestibular! Isso tudo é uma droga. Quero o meu mundo particular e seguro de volta... Quero voltar a me esconder embaixo da cama, quero que minha maior preocupação volte a ser o medo do escuro. Eu não quero continuar crescendo! Não quero essa droga toda em cima de mim! Não quero pertencer a merda dessa realidade.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Não ria, a vida não gosta!

Já ouviram quando uma pessoa diz que vai ter raiva mais tarde depois de rir muito? Pois bem, aqui no nordeste a gente costuma dizer isso. Quando temos um ataque de riso significa que teremos raiva em algum momento do dia. Isso gera meio que um receio, como se a felicidade fosse prenúncio de uma tragédia e comigo isso é tão ao pé da letra que irrita. Sempre que eu tenho um momento de alegria, mesmo que mínimo, algo dentro de mim já fica em alerta, esperando pelo pior, e sempre acontece! Como hoje, por exemplo, que eu tive um dia de inferno! Será que as coisas não podiam dar certo pelo menos uma vez?! Tudo não podia sair direitinho, do jeito que foi planejado? Por que a vida insiste em - desculpe a palavra - foder com a gente? Eu estou ficando cansada disso, sério. Desde que eu me entendo por gente, a vida me trata como se eu fosse sua piada favorita, a diferença é que eu não rio. Okay, já entendi que algumas pessoas são destinadas à tristeza, vou me lembrar disso da proxima vez que eu alimentar a estúpida fé que as coisas vão dar certo!

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Ardente como o Verão - Linda Lael Miller: Um comentário.

Bom pessoas, eu comprei esse livro por acaso, na verdade, foi uma promoção. O livro que eu queria comprar trazia esse de brinde no pacote, ótimo, pensei, dois por um. Nunca ia imaginar uma vez na vida que me depararia com... Nossa.
Vamos ao enredo.
Após um divórcio complicado e a perda do enteado, Libby Kinkaid está de volta ao lar no rancho Circle Bar B, é levada até lá pelo rude e áspero Jess, que a trata de maneira dura, fria e indiferente por acreditar que Libby tem um caso com Stacey, irmão dele que é casado com Cathy, prima de Libby. Todos na região creem firmemente que Libby e Stacey estão tendo um caso, pois o próprio Stacey está gritando para os quatro ventos a mentira sobre isso. Então, como tudo que Libby queria em sua vida era paz, acabou encontrando novos problemas.
Ela e Jess se conhecem desde criança, e se odeiam desde criança também, mas o homem não pode negar a imensa atração física que sente por ela, o desejo avassalador que parece dominá-lo sempre que ela se aproxima. E por incrível que pareça, Libby retribui ao desejo ardente com total intensidade. Em meio ao emaranhado de sentimentos conflitantes, sucede-se uma teia de sentimentos dos quais é cada vez mais difícil conter, Libby tenta recuperar a si mesma dos pesadelos que viveu, Jess tenta protegê-la e resgatá-la de seus temores ao mesmo tempo em que descobre amá-la e Cathy e Stacey travam uma batalha interna para não por fim ao seu casamento.
É basicamente isso. O que eu posso dizer sobre o livro:
Primeiro, a história em si é muito boa, Jess é aquele tipo de personagem que você odeia e ama ao mesmo tempo, Libby é uma mulher sensível, marcada por coisas realmente complicadas, mas que irrita em determinados pontos por ser altamente submissa as vezes e se impor pouco. Leio Sabrinas e Biancas desde o ensino médio. Lembro que o primeiro que peguei foi Amor Sublime Amor, o conteúdo desse tipo de romance tem sua cota de sensualidade até pelo próprio gênero. Mas esse livro, em especial, foi demais. Tinha horas que dava até uma agonia pela sequencia seguida de acontecimentos acalorados. Ele é picante por três livros! Quase uma literatura erótica e fica difícil comparar porque nunca li nenhum livro desse gênero, nem pretendo por sinal, esse já me deixou com os nervos a flor da pele imagine um realmente de literatura "quente". Obrigada, dispenso. O resto da minha inocência deu adeus quando cheguei na última página. Libby e Jess são um caso sério nesse quesito, o cara mal olha pra ela e a garota já está afim. É tenso. Foi a única coisa que realmente me incomodou. A trama é muito bem feita, há momentos de tensão que me lembraram Doce Refúgio, um livro da série Fascinação que eu amei ler as 18 vezes que li e tem seus momentos doces também, mesmo que eles venham normalmente acompanhados de... Calor.
Então, se você não é muito fã de leituras de alta temperatura, sugiro que não leia esse livro e eu vou pensar seriamente antes de comprar outro livro dessa mulher rsrsrs.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Vídeo novo do Epica \o/

EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE saiu o vídeo oficial da música Victms of Contingency da Banda holandesa de Symphonic Metal Epica *--------------*

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Desafio de uma Vida - Diana Palmer

Informaões:

Nome: Desafio de uma Vida - Harden
Autor: Diana Palmer
Série: Irmãos Tremayne / Homens do Texas

Sinopse: Nascido em uma família de rancheiros, Harden Tremayne poderia ser considerado o homem mais rude e selvagem de todo o Texas. E também o mais solitário. Pelo menos, até conhecer Miranda Warren, uma adorável viúva vinda de Chicago que despertou nele sentimentos há muito tempo sufocados. Além do agonizante desejo por uma mulher que jamais poderia pertencer a ele. Miranda nunca sentira algo tão arrebatador quanto a paixão por aquele caubói alto e esguio. Seria o amor dela suficiente para amaciar um coração seco e, ao mesmo tempo, tão sedento de carinho?

Enredo: Harden está em um bar em Chicago para uma conferência no qual ele seria palestrante, mesmo contrariado. No momento em que uma belíssima mulher entra no bar, acompanhada de um homem, Hardem odeia as mulheres, incluindo entre elas sua própria mãe, já que ele é filho ilegítimo, mas aquela mulher despertou nele alguma coisa até então adormecida.
Miranda Warren era uma mulher marcada pela dor, pela culpa e pela perda. Harden percebera isso em seus olhos que carregavam tamanha angústia que lhe partia o gélido coração adormecido. Miranda estava bêbada, e o que pareceu ser apenas uma ajuda corriqueira de um cavalheiro, acabou se tornando uma obsessão que Harden não conseguia conter. Miranda se perguntava se conseguiria vencer a dureza daquele homem que se mostrava tão terno quando ela estava perto, mas ao mesmo tempo tentava manter distância dela. Harden via em Miranda toda a fragilidade e o sentimento protetor que nunca nenhuma mulher lhe despertara, mas como vencer os fantasmas de seu passado e render-se ao amor?

O que eu achei: De início, confesso que pensei que não ia gostar do livro (risos) mas com o decorrer das páginas fui me envolvendo com a história, esses antigos romances americanos, Sabrinas e Biancas da vida, são realmente fascinantes, você se prende a eles de um jeito que quando percebe já está na última página. Embora, talvez pelo muito tempo lendo esse tipo de literatura, eu já comece a achar as histórias quase previsíveis. Muda muito pouco de um enredo para o outro, você consegue sacar o que tem por trás dos personagens e o que vem a seguir, poucas vezes, depois de grande (porque quando eu lia esses livros na escola eu não era tão atenta) eu me surpreendi de fato com uma história desse tipo ao ponto de dizer "Sério? O tempo todo era isso?", mas nem por isso elas deixam de ser gostosíssimas de ler! Valeu a pena cada página. Harden é um personagem fascinante, apesar de inicialmente seco e rude, a gente se apega ao modo doce como ele trata Miranda, como ele a ensina calmamente a arte do... Ah, vocês sabem né? (Corada). E é outra característica marcante desses livros! TODOS, sem nenhuma exceção, trazem a marca "picante" em suas páginas. Alguns de forma mais explícita (Amor sublime amor que o diga! Foi um capítulo inteiro! Aquele livro quase me perverteu na época *gargalhadas*) e outros mais amenos, o que não é, exatamente, o caso desse e, ironicamente, é o caso do anterior que li e que trazia na capa "Homens sem limites". Nunca julgue um livro pela capa! Eu gostei bastante, além de já estar acostumada a esse gênero literário e, mais especificamente, a esse tipo de literatura por causa das Sabrinas e Biancas da minha vida escolar, eu sou um pouco suspeita pra falar deles. Fãs do gênero vão amar a história e eu gostaria muito que a Harlequim publicasse Sonhos do Passado e Ardiloso Sedutor.

domingo, 26 de outubro de 2014

Dezenove Luas - Série Beautiful Creatures #4

Informações:

Nome: Dezenove Luas - Beautiful Redemption #4
Autores:  Kami Garcia, Margaret Stohl
Editora: Galera Record (Brasil)
Ano: 2012

Sinopse: Emocionante final da saga Beautiful Creatures, que vendeu mais de 60 mil exemplares apenas no Brasil. Nesse novo volume, após ter se sacrificado para restabelecer a Ordem das coisas e salvar o mundo de um apocalipse iminente, Ethan precisa encontrar uma forma de retornar do mundo dos mortos e reencontrar Lena, seu único e grande amor. Enfrentando velhos inimigos e fazendo aliados improváveis, ele precisa acreditar que o verdadeiro amor conquista tudo. Será?

Enredo: No desfecho da saga das luas, acompanhamos Ethan tentando lugar contra o fato de estar morto e ter sacrificado sua felicidade para salvar o mundo e a garota que amava. Na dimensão da passagem entre os mundos, ele reencontra a mãe, Lila, e a tia Prue, descobrindo que sua morte não era para ter acontecido e que havia uma chance de revertê-la. Começa então uma batalha contra o tempo e o conselho distante para reverter o mal feito. Nisso, Ethan descobre que Angelus e Abraham estavam conspirando juntos por um final da humanidade mortal para dominar o mundo. Em meio a batalhas contra labirintos, Balseiros, os grandes e a si mesmo, o menino reencontra Sarafine, mãe de Lena, e tem de enfrentar o corrupto e perverso Angelus. Enquanto isso, Lena tenta sobreviver ao mundo sem o amor de sua vida enquanto segue as pistas que Ethan lhe deixa e enfrenta Abraham para conseguir o livro das luas, com a esperança de que ele ajude Ethan a voltar para casa. Esperança, sacrifício, coragem. O último livro da série Beautiful Creatures é de tirar o fôlego.

O que eu achei: Essa foi uma das melhores séries que eu já tive o prazer de ler. Eu amei cada livro, cada um a seu modo. Os personagens são envolventes e engraçados, você os ama e os odeia ao mesmo tempo e isso os faz parecer tão reais. Dezenove Luas não desaponta, somos transportados pela mente de Ethan para o outro mundo e ainda temos a chance de ter um ponto de vista de Lena, o que é muito bom, pois nos dá a chance de entender melhor a personagem dela. É inesperado, tenso, divertido e revelador. Valeu a pena cada página! Além do já conhecido "drama" do amor adolescente, tão comum em sagas como Crepúsculo, Imortais, Fallen etc, e da impossibilidade do amor entre um ser sobrenatural e um humano, o que encontramos na saga das luas é muito mais que um romance gótico teen. Para mim, é a melhor série de bruxos já feita (sim, achei melhor que HP me julgue por isso!) trazendo o amor em diferentes aspectos da vida de forma abrangente e total, traz personagens construídos de maneira realista, questões filosóficas em diferentes âmbitos da vida e dos sentimentos, além de uma aula de latim para ninguém colocar defeito! É uma crítica ao fanatismo religioso e ao preconceito contra religiões menos conhecidas, mas não menos praticadas. A saga das luas é completa, instigante, equilibrada e altamente bem construída e ambientada. Eu recomendo a todos os fãs do gênero.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Conversando sobre Publicação

Oi pessoal!

Sim, eu sei, eu meio que desapareci de novo e a última resenha saiu quase no fim do ano. Eu realmente demorei a ler dezoito luas bem mais do que o esperado, isso porque, além de estar naquele já conhecido Profundo estado de não sei, em que eu só quero chorar e dormir, dormir e chorar, eu ainda ainda voltei a narrar. Sim, o RPG narrativo está de volta (\o/) e eu espero que venham novas ideias para que eu termine Congelada assim que eu tiver tempo de voltar para ela.
Mas hoje eu estou aqui para conversar com vocês sobre a minha pequena experiência com publicação de livros. Como vocês já sabem, há alguns meses eu publiquei Sleeping Beauty de maneira independente e tive Um Novo Começo aprovado pela Editora Multifoco, com lançamento previsto para Novembro se assim o bom Deus me permitir. E eu já recebi inúmeros questionamentos acerca dessa coisa de publicar por editora ou publicar sozinho. Vou falar um pouco da minha experiência nos dois casos e se vocês tiverem alguma dúvida é só deixar nos comentários que, se eu souber esclarecer, eu vou esclarecer com prazer.
Eu sempre tive a fixação de querer ter um livro publicado por uma editora de verdade. Mas até então eu não tinha nenhum original pronto que realmente valesse a pena ser publicado e nem ideia de como começar. A primeira editora que eu procurei foi a Above Online depois que um dos professores aqui da cidade publicou seu livro através deles, mas o custo de publicação era altíssimo e dessa forma, o sonho de publicar um livro ficou de lado. Eu continuei escrevendo, pesquisando editoras, e aquela história que a minha mãe costuma dizer que as coisas só acontecem quando Deus quer, é realmente verdade. Meus originais começaram a evoluir mais, até que, em 2012, quando eu entrei na faculdade, conheci um autor que me apresentou o Clube de Autores, uma plataforma de autopublicação totalmente gratuita e simples. Assim como a Bookess.
A plataforma é muito simples, você se cadastra, e tem o passo a passo de publicar seu livro. A única dificuldade que tive, inicialmente, foi com a capa que para mim foi o mais complicado, mas se você entender só um pouco de design vai tirar todo processo de letra. O envio do livro para o site deve ser feito em PDF, portanto cuidado com a formatação quando converter do word para PDF, pois do jeito que ficar o arquivo em PDF é como ficará seu livro.Você também tem a possibilidade de vendê-lo no formato e-book. O passo a passo de montagem e publicação é super fácil, o site é seguro, não tem como errar.
Mais recentemente, eu recebi uma proposta da Editora Multifoco sobre um original que eu havia mandado para eles no ano passado, que era a reescrita de um livro que eu tinha escrito em 2009. O processo de publicar por uma editora é um pouco mais duro, pelo menos foi o que eu senti, há diversas regras regidas por contrato e isso te deixa um pouco acuado. Pedi a um amigo meu que faz direito para dar uma olhada no contrato, eu tive sete dias para olhar o contrato e dar uma resposta junto a alguns dados que eles me pediram a parte como uma foto, xérox de comprovante de residência, da identidade etc. Depois vem a revisão do original, você pode contratar o trabalho pela editora - pagando por fora - ou pode pedir a alguém para fazer isso por você. O detalhe é que não pode ser você mesmo a revisar. E a pessoa que revisa tem que assinar a revisão. No meu caso, eu pedi a um amigo fera em gramática pra me dar uma força. Tive trinta dias para revisar as 224 páginas e por bem pouco não conseguimos. O prazo vale a partir do dia que a editora entra em contato com você. Depois de pronto, vem o miolo e a capa para aprovação. Segundo o contrato, eu não podia opinar na capa, apenas fazer alguma alteração no texto dela caso fosse preciso, eu realmente não sei o que aconteceu, pois meu revisor e eu nos certificamos que todo o texto do documento estava impecável, passamos mais de duas semanas sem dormir para corrigir e recorrigir cada linha das duzentas e vinte e quatro páginas e, eu ainda li todo o documento antes de enviar para o editor. Mesmo assim, quando recebi o miolo para aprovação, não sei o que aconteceu quando eles formataram o texto, mas acabou surgindo erros que antes não estavam lá. E eu só tinha direito a 15 intervenções no total, capa e miolo. A cada 15 correções que passassem daquilo, o valor era de R$ 50.00.  No caso do evento de lançamento, ele é todo por conta do autor. A editora disponibiliza, no programa de publicação gratuita, 30 exemplares que devem ser vendidos no valor final de produção. O meu livro, depois de pronto, totalizou 235 páginas e ficou pelo valor de R$ 44,00 (:o). A editora trabalha com produção sob demanda, assim como o Clube de autores.
Tá, Katharynny, mas o que diabos é produção sob demanda?
É assim: Você publica seu livro. Okay. Quando alguém compra, seu livro é impresso, um único exemplar, e enviado para essa pessoa. A diferença da Editora pro Clube é que a Editora disponibiliza seu catálogo para todas as livrarias, então seu livrinho vai ser visto por ai se interessar. No Clube é você e você pra divulgar. Eu não sei direito como funcionam as editoras tradicionais, mas o processo é bem mais caro e mais rigoroso que esse outro tipo de publicação.
Então, eu finalmente realizei meu sonho de publicar um livro por uma editora, mas confesso que gostei mais da publicação independente, você tem um controle maior e total sobre sua obra e como ela fica, embora a editora pela qual fui contratada é realmente de destaque no mercado. O contrato dura dois anos, então até lá estou indisponível para qualquer outra publicação. Ainda não recebi os livros do lançamento, mas com relação ao Clube posso dizer que o acabamento do livro é impecável, demora um pouco para chegar na sua casa, mas chega.

Possíveis Perguntas:

1. Eu pago alguma coisa pra publicar no Clube de Autores?
R: Não, a publicação é gratuita, você escolhe quanto quer ganhar por livro vendido e em que formato quer vender o seu livro.

2. E nas editoras, há algum custo?
R: Nas editoras tradicionais sim. Na editora Multifoco você tem o pacote "Publique sem pagar" em que você não paga nada pela publicação do livro, mas tem o dever de vender os 30 exemplares que eles disponibilizam para o evento de lançamento. E sim, eles pagam direitos autorais pelos livros.

3. Tenho que registrar o meu livro?
R: Sim. Isso é o autor mesmo que faz, você pode entrar na página da Biblioteca Nacional: http://www.bn.br/portal/ e imprimir o formulário. Se não me falha a memória, a taxa é de 80,00.

Para quem é autor e ainda não foi publicado ou tem o famoso "medo" de enviar sua obra porque acha que ela nunca está pronta o boa o bastante, eu sugiro que teste a opinião de leitores sobre o que você escreve. Há sites muito legais para isso:
Nyah!Fanfiction
Novos Escritores
Wattpad
Divulgue um pouco do que você faz e veja opiniões, é muito significativo!
Qualquer dúvida a mais, deixa ai nos comentários, tá?

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Dezoito Luas - Série Beautiful Creatures #3


Informações:

Nome: Dezoito Luas - Beautiful Chaos #3

Autores: Kami Garcia, Margaret Stohl

Editora: Galera Record (Brasil)

Ano: 2011

Sinopse: Nesse novo romance, Ridley perdeu seus poderes, Link é um Incubus e as habilidades da família de Lena não andam muito acuradas. Nuvens de gafanhotos devoram todo o verde de Gatlin. Um calor sufocante deixa a grama marrom e os humores negros. Raios riscam o céu e tempestades assustam os animais. O equilíbrio está quebrado. Aparentemente, ao se Invocar Lena pode ter sido dado o pontapé inicial no Apocalipse.

Enredo: A décima sétima lua de Lena trouxe o caos para Gatlin, quando ela se invocou, nem para a luz, nem para as trevas, mas para os dois, rompeu o equilíbrio do mundo e agora Abraham Ravenwood está trazendo o apocalipse para a terra. Enquanto vão atrás de respostas, Ethan tenta convencer a namorada de que não é culpa dela, o paradeiro de Jonh Breed ainda é um mistério, Link se tornou um incubus e Ridley perdeu seus poderes. Macon e os outros conjuradores estão tendo dificuldades em controlar seus dons, Marian está sendo caçada pelo registro distante e a prima de Lena está colocando a escola de cabeça para baixo, conjurando de uma maneira que Lena não consegue descobrir, uma vez que a prima agora é mortal. Link passou de nerd derrotado para rei da escola e das garotas. Sarafine e Abraham estão cercando os Ravenwood procurando por John, Gatlin está cada dia mais imersa em caos e acontecimentos sobrenaturais, a mãe de Ethan continua enviando-lhe mensagens na música sinalizadora. Começa uma corrida contra o tempo para tentar entender o que se esconde atrás de John Breed, quem é Aquele que é Dois e a rainha demônio. Marian está em perigo, Amma está enlouquecendo e o tempo de Ethan e Lena é cada vez menor. Logo eles descobrem que Ridley havia trancado John Breed no arco voltaico de Macon e estava usando-o para ter poder de volta. Lena tenta entender o passado da mãe e faz descobertas sobre sua própria essência e Ethan vai precisar enfrentar a si mesmo para salvar as pessoas que ama.

O que eu achei: É um pouco melhor que o anterior, embora até agora o melhor tenha sido o primeiro. O penúltimo livro da série está marcado de tensão, suspense e revelações. O que eu mais gosto nessa série é que os personagens são construídos de uma maneira que fazem você gostar deles mesmo quando está com raiva. Foi bom entender um pouco o passado de Sarafine, Você julga muito mal Aquele que é dois, não sei se porque eu dei muitas pausas na leitura, mas mesmo suspeitando de quem fosse cheguei a errar bem feio na minha escolha inicial. Estou gostando muito da série, está valendo a pena ler!

sábado, 4 de outubro de 2014

Dezessete Luas - Série Beautiful Creatures #2

Informações:

Nome: Dezessete Luas - Beautiful Darkness #2

Autores: Kami Garcia, Margaret Stohl

Editora: Galera Record (Brasil)

Ano: 2010

Sinopse: Juntos, Ethan e Lena podem enfrentar qualquer ataque de Gatlin. Ao menos era assim que funcionava antes de Lena sofrer uma perda trágica e começar a se afastar e gaurdar segredos que estão testando o relacionamento. E agora que Ethan abriu os olhos para o lado negro de Gatlin, não há como voltar atrás. Assombrado por estranhas visões que somente ele consegue ver, Ethan vai sendo puxado cada vez mais para dentro da história confusa de sua cidade.

Enredo: Após a morte de Macon, Lena entra em profunda depressão e começa a afastar Ethan de si. Decidido a não entregar os pontos, o garoto insiste em ficar ao lado da namorada mesmo ela lhe dando um gelo e agindo de modo estranho. As coisas com Lena começam a ficar mais estranhas quando Ethan descobre que a namorada ainda não foi invocada e que o evento acontecerá na décima sétima lua, com medo de machucá-lo, Lena começa a passar por oscilações entre as trevas e a luz e acaba se envolvendo com Ridley e seu novo "amigo" John. Ethan fica furioso e quase a deixa sozinha completamente, mas o amor que sente por Lena fala mais alto, como fazer com que a garota veja que independente da maldição seus corações são capazes de vencer qualquer coisa? Invoque a si mesma, escolha a si mesma e escreva seu destino.

O que eu achei: Me perdoem a comparação a quem não gosta, mas eu gosto e me sinto no direito de fazê-lo, esse livro é Lua Nova dos conjuradores! ¬¬' eu passei as 300 primeiras páginas querendo torcer o pescoço de Lena eu mesma, mas assim como Dezesseis luas é basicamente impossível parar de ler, você vai mergulhando na história a um ponto que acaba se tornando parte dela! Eu dei três estrelas no Skoob por ser um livro meio maçante em certo ponto, essa coisa de Lena "Não quero te machucar" ficou muito Edward. Mas valeu a pena ler!

A resenha do próximo livro da série vai demorar um pouco, eu já fiz essa às pressas porque é a minha semana de prova e eu tenho um monte de coisa pra estudar! Então, não sei quando vou poder começar a ler o próximo!

Beijos blogueiros, até a volta!

The Lost Girl.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Dezesseis Luas - Resenha Livro + Filme

Informações:

Nome: Dezesseis Luas - Beautiful Creatures #1 

Autores: Kami Garcia, Margaret Stohl

Editora: Galera Record (Brasil)

Ano: 2010

Sinopse: Ethan é um garoto normal de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos e totalmente atormentado por sonhos, ou melhor, pesadelos com uma garota que ele nunca conheceu. Até que ela aparece... Lena Duchannes é uma adolescente que luta para esconder seus poderes e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mais que um romance entre eles, há um segredo decisivo que pode vir à tona. Eleito pelo Amazon um dos melhores livros de ficção de 2009. Direitos de tradução vendidos para 24 países

Enredo: Beautiful Creatures conta a história de Ethan, um garoto que vive em uma cidadezinha perdida nos confins dos EUA onde não há perspectiva alguma a não ser sair de lá! Recentemente, ele perdeu a mãe e vive com o pai que passa o tempo todo trancado no escritório desde que enviuvara e Amma, sua meio "babá" que passou a assumir a responsabilidade por ele desde a perda de Lila, sua mãe. A vida de Ethan se resume a frequentar as aulas, observar o que ele não quer ser quando crescer e os sonhos... Ou melhor: Os pesadelos. Há meses, o garoto vem tendo pesadelos estranhos que envolvem uma misteriosa garota por quem ele estranhamente está apaixonado, embora ela não exista tecnicamente, pelo menos é o que ele pensa até que Lena Duchannes chega na cidade, a sobrinha do assustador Macon Ravenwood traz consigo um mistério e, como um ímã, atrai Ethan com seus hipnotizantes olhos verdes e sua experiencia com cidades que ele desconhece. O maior sonho do garoto é sair de Gatlin. e ele vê em Lena a oportunidade de alguém com uma mente mais livre para uma conversa inteligente, uma vez que seus "amigos" na cidade tem um pensamento muito limitado. Mas o empecilho de sua família "mal vista" torna, inicialmente, difícil a aproximação dos dois, embora Ethan sinta-se inegavelmente atraído pela garota. Quando ele percebe que ela começa a ser atacada pelas garotas da escola, ele intervém e fica ao lado de Lena, causando um mal estar na escola. Quanto mais Ethan e Lena se aproximam e se conhecem, mais é evidente a atração que há entre os dois, que se intensifica quando eles descobrem a possibilidade de se falar em pensamentos, e encontram um antigo medalhão que lhes proporciona a visão da ligação entre seus antepassados. Mas para sobreviver no mundo de Lena, Ethan vai precisar de muito mais que coragem.

O que eu achei: Esse livro é FANTÁSTICO! Cara eu nem consigo expressar como foram prazerosas essas 485 páginas! Valeu a pena cada parágrafo! Ele é divertido, emocionante, romântico e tenso nos lugares e horas certas! Não achei essa coisa sombria toda que prometem, mas é definitivamente um livro incrível, a história te prende do início ao fim, não é apenas bem construída, mas versátil e eu diria até inovadora. Uma história de bruxos tão ou mais interessante desde o Círculo Secreto que é, para mim, a melhor história de bruxos já inventada! (Perdoe-me os fanáticos por Harry Potter).

O Filme: Como toda adaptação, esse filme não tem porra nenhuma a ver com o livro! (Desculpem o palavrão!) Pra começo, as coisas não acontecem como amostra ai, a cena final é tipo léguas de diferença do livro! A morte de Macon, a "morte" de Ethan, chega a ser ridículo. Eles cortaram mais coisas do que eu poderia descrever e só quem leu o livro pode se revoltar com o filme, eu digo isso porque assisti antes de ler e adorei, depois que li: 
Entendem o que eu digo? Há personagens que não tem no filme, há cenas realmente incríveis que eles não colocaram, deturparam a história e omitiram tanta coisa que se torna quase insuportável falar! Tipo a parte em que Lena faz Ethan esquecer dela, no livro isso nunca acontece! Assim como The Host essa está na lista de piores adaptações de livros já feita.

E é isso blogueiros, demorou, mas chegou. Já comecei a ler o volume dois! Beijos e aguardem novidades!

The Lost Girl.

sábado, 27 de setembro de 2014

Resenha Atrasada

Oi blogueiros, como estão? Espero que melhor que eu.

Eu estou passando para dar satisfações da resenha dessa semana que não saiu. Eu realmente estou na metade de Dezesseis Luas, mas não consegui terminar a tempo de completar a resenha dele por causa do livro que está para lançar pela Editora Multifoco. Deixe-me explicar:
Eu recebi as provas digitais por e-mail na quarta feira (24) e, como autora, eu tenho que aprovar e avaliar o texto na revisão final. Acontece que eu encontrei um monte de coisa pra consertar e ai lá vou eu correr atrás de alguém de última hora pra olhar o texto porque o revisor não podia. Eu sei que eu estou preocupada e tão angustiada com essa história do livro que não durmo direito ha dias! E, por conta dessas correções e também da pilha de trabalhos que tenho para faculdade, não consegui avançar na leitura e, por isso, a resenha dessa semana desandou. Dependendo de como as coisas saírem, eu vou terminá-lo amanhã.
Manterei vocês informados a respeito do livro assim que tiver mais detalhes concretos, por enquanto os poucos que tenho comigo quero manter, até porque não me sinto animada o bastante para compartilhá-los.

Abraços, blogueiros! Rezem por mim.

The Lost Girl.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Notícias de uma blogueira meio foragida

Oi blogueiros, decidi fazer esse post para dar notícias do que anda acontecendo nesses últimos dias e semanas em que eu só tenho postado sobre os livros que tenho lido e, esporadicamente, sobre músicas. Tomar a decisão de restringir o blog a um conteúdo mais relacionado aos meus gostos e criar um diário foi mais ou menos uma boa decisão, eu até gostava de dividir com vocês o que acontecia comigo durante o dia, mas com o passar do tempo as coisas foram ficando complicadas e eu tenho tido menos tempo, isso porque sempre vou dormir muito tarde, seja lendo, estudando ou escrevendo e acordo mais tarde ainda tornando meu dia menor. Já tinha dito a vocês que eu sou absurdamente desorganizada e isso é uma verdade incontestável.
Hoje (23) é feriado aqui onde eu moro. Dia da Padroeira da cidade, N.Senhora do Livramento. Por essa razão é quase uma da manhã e eu estou escrevendo isso sem preocupação de ter de ir para a prática daqui a sete horas. Sim, as práticas da faculdade já começaram (iupi!), conseguem imaginar o quão feliz eu estou? Acordar seis e meia da manhã é o sonho da minha vida! Principalmente quando eu sou incapaz de dormir antes de duas da manhã. Para completar, mandei meus óculos para a ótica ontem e tenho certeza de que o grau veio errado, porque quando coloquei-os fiquei mais cega do que sem eles! Se é verdade que o olho tem pressão, o meu olho esquerdo sofreu um pré-infarto. Ou eles colocaram o grau bem errado na lente ou a médica que eu consultei não entendeu quando eu disse que não via quase nada com o olho esquerdo. Resultado: minha irmã fez um ajeitado com as lentes antigas em uma armação antiga minha e eu estou usando isso até conseguir falar com a oculista - que é mais difícil que conseguir audiência com o Papa ou com Obama! - e ver o que deu errado nos meus óculos para, ou poder consertar, ou fazer um novo exame. Espero que isso não demore muito. Até lá, graças a minha irmã eu não estou de castigo sem ler ou escrever. Porque sem os óculos eu não posso usar o computador de jeito nenhum, muito menos ler, é um esforço que eu definitivamente não devo fazer.
De resto, não tem acontecido muita coisa na minha vida, ela tem se resumido a ler, e graças a Deus eu tenho lido o máximo que o meu tempo me permite, escrever Conto de Falhas, que está muito legal a cada capítulo novo, e ansiar cada vez mais com o livro da Editora Multifoco, cujo prazo da entrega digital de prova acaba hoje. Espero que tudo dê certo, mas confesso para vocês que estou tentando não me manter muito otimista, como disse Millôr Fernandes: "Encare a vida como um pessimista. Ele é feliz quando acerta e quando erra." não há como refutar essa afirmação. A faculdade anda de mal a pior como sempre, cada período que passa eu fico mais e mais maluca, acho que no passo que vai daqui para o oitavo período eu vou parar num hospício, no mínimo. A única coisa boa de lá é João Paulo, Sandy e Claudimary com quem eu fico sempre que dá pra escapar das aulas muitíssimo "interessantes", tipo quando eu começo a dormir ou algo parecido. Também estou muito viciada nas músicas da Leona Lewis, é o que eu tenho ouvido há umas duas semanas sem pausas, a mulher é maravilhosa e ponto. Já comecei a ler o livro da próxima resenha, que vai ser a série 16 Luas. Já estou em cem páginas do primeiro livro e devo dizer, é incrível. Estou amando. E não tem nada a ver com o flme (pra variar, né?). Não garanto que vá conseguir terminá-lo daqui para o domingo, porque como eu disse, além dessa história dos meus óculos a semana de provas está aí. Mas vou me esforçar um pouco mais.
É isso blogueiros, a vida não tem mudado muito... Ando preocupada e meio triste como sempre. Nenhuma novidade impactante. Espero que vocês estejam bem. Logo volto com mais uma resenha por ai.

Beijinhos!

The Lost Girl.

sábado, 20 de setembro de 2014

Coração Aventureiro - Natalie Anderson (Resenha)

Sinopse: Uma tarde louca na praia… Ter um caso pecaminoso com o ardente campeão de snowboard Jack Greene não é um comportamento normal para Kelsi Reid… Mas uma simples olhadela indecente de Jack faz com que Kelsi mande para o espaço todo o seu juízo (junto com suas roupas!). Afinal, quem melhor do que um atleta premiado por suas façanhas nas ondas e na cama para enlouquecer uma mulher?… Depois de uma noite incrível, Kelsi desaba ao descobrir uma terrível surpresa: ela terá um bebê. Porém, Kelsi e Jack não poderiam ser uma combinação pior: ele não passa de um caso passageiro, enquanto Kelsi anseia estabilidade. Seria possível manter os pés no chão depois de conhecer alguém capaz de colocar sua vida de cabeça para baixo?

Enredo: Kelsi conheceu Jack por acaso, enquanto dirigia atrasada para seu compromisso em um SPA, presente de seus amigos de trabalho, não que a webdesigner fosse a maior fã de se misturar com um monte de mulheres estonteantes para sentir-se ainda mais insatisfeita consigo mesma, mas uma sessão de massagens lhe faria bem, e talvez seu chefe tivesse razão quando disse que ela precisava tirar um tempo para si mesma. O que ela não contava era frear bruscamente em um sinal vermelho e quase atropelar Jack Greene. A primeira vez que Kelsi colocou os olhos no poderoso Jack Greene sentiu que o universo  parou de girar e o mundo à sua volta desapareceu, Jack, por outro lado, ficou de tal forma fascinado por aquela garota frágil e esguia que surpreendeu-se por estar tão encantado com uma mulher tão diferente dos seus padrões comuns. Ele queria Kelsi Reid. Uma tarde de paixão ardente na praia foi tudo que ambos precisaram para cair na armadilha do amor, mas Kelsi era incapaz de acreditar que Jack olharia para ela, ele estava de partida para o Canadá em breve e tudo que lhe sobraria seria a lembrança daquela tarde ardorosa. Isso, até Jack voltar subitamente de volta para sua vida e descobrir que ela estava grávida. Mas Kelsi o insentara de qualquer responsabilidade, sabia que alguém como ele jamais deixaria de lado sua vida de aventura como esquiador profissional e conquistador para ficar ao lado de uma mulher como ela. Ela definitivamente não fazia o tipo de Jack Green. Em contrapartida, Jack tentava de todas as formas driblar suas próprias concepções e lutar para aplacar a obsessão que sentia por Kelsi, ele precisava ficar ao lado dela e queria participar da vida de seu filho, mas como driblar o orgulho de Kelsi e o muro que ela envolveu em torno do seu coração?

O que eu achei: Cara, foi como reviver minha época de escola (só então percebi como estou velha!) lendo aquelas Sabrinas e Biancas que eu costumava ler. Lembro-me que a primeira que peguei foi uma Julia de nome Amor, Sublime Amor. Quando cheguei em determinado capítulo daquele livro que relatava a relação sexual entre o casal da trama fiquei pasma, e de tal modo chocada que quase não consegui terminar o livro rsrsr, Hoje, graças a eles, eu consigo desenvolver cenas "apimentadas" nas minhas histórias de maneira não exatamente explícita e sem nunca ter sido tocada por ninguém. É bem interessante você saber mais ou menos como algo funciona teoricamente tão bem como se já o tivesse feito. Há ainda algumas coisas que não entendo, mas vale. O livro é ótimo! Essa coisa de "Homens sem limites" ai na capa é só charme, porque o livro é, na verdade, até fofo. O orgulho do casal é o que os separa durante o livro inteiro, eles são tão incapazes de admitir seus sentimentos que acabam perdendo tempo. É um livro ótimo! Li rapidinho e recomendo!

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

O Doador de Memórias - Lois Lowry (Resenha Livro + Filme)

Sinopse: O Doador - Quarteto O Doador - Livro 01

Ganhadora de vários prêmios, Lois Lowry contrói um mundo aparentemente ideal onde não existe dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não existe amor, desejo ou alegria genuína.

Os habitantes da pequena comunidade, satisfeitos com suas vidas ordenadas, pacatas e estáveis, conhecem apenas o agora - o passado e todas as lembranças do antigo mundo foram apagados de suas mentes.

Uma única pessoa é encarregada de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis.

Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz idéia de que seu mundo nunca mais será o mesmo.

Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.

Premiado com a Medalha John Newbery por sua significativa contribuição à literatura juvenil, este livro tem a rara virtude de contar uma história cheia de suspense, envolver os leitores no drama de seu personagem central e provocar profundas reflexões em pessoas de todas as idades.

O LIVRO

Enredo: Em, O Doador, nós somos inseridos numa sociedade "perfeita", isenta de dor, de transgressão, onde tudo é devidamente organizado e as pessoas convivem em uma harmonia difícil de se imaginar em um mundo como o nosso. Mas também, vivem livres de todo e qualquer sentimento. Há apenas um homem em toda comunidade que detém as lembranças de todo o mundo, os sentimentos e a sabedoria. Jonas é o escolhido para receber as lembranças deste homem, e enquanto perdura seu treinamento nós vamos fazendo reflexões e pensando no que realmente seria se pudéssemos viver isentos de emoções, se pudéssemos ser "programados" para viver sob regras definidas e rígidas e qual seria o preço a pagar por essa sociedade tão perfeita.

O que eu achei: Como vocês puderam ver, eu não me estendi muito no enredo do livro, até porque é um livro bem pequeno, ele tem 189 páginas (porque tem um extra com uma entrevista, a história mesmo acaba em torno das 189), então, se eu me estendesse muito nos detalhes acabaria contando algum spoiler do livro sem querer. O Doador é o primeiro livro do que eu espero seja um quarteto que venha logo para o Brasil! A história não é somente fascinante e reflexiva, mas envolvente. Enquanto Jonas vai recebendo as memórias do doador, nós vamos imergindo em conceitos que são fundamentais na nossa vida e que foram deixados de lado, e vemos assim a consequência deles. O que a ausência de emoções nos levaria a fazer? O que seria um mundo sem cores? A sabedoria e as sensações nos trazem experiência, nos trazem pensamentos, e na comunidade não é interessante um pensador, os anciãos da comunidade não querem cidadãos pensantes e emotivos, querem membros que cumprem seus deveres e agem de acordo com seu sistema, é um paralelo interessante com o mundo no qual vivemos hoje, estamos inseridos num mundo ausente de emoções, onde o poder (principalmente aquisitivo) impera sobre todos os escrúpulos e conceitos antes tidos como fundamentais como caráter, amor ao próximo, decência, etc. Somos "treinados" para sermos robôs de um sociedade que impõe suas normas e nos submete a elas, onde não podemos nem devemos pensar, apenas obedecer. No livro, Jonas descobre o poder da escolha, que não deveria ser tirado de nenhuma pessoa, mas ora, se pudéssemos escolher correriamos o risco de fazer escolhas erradas, como ele mesmo aponta no livro, mas isso nos leva a pensar: Aprendemos sem os erros? Para que eles servem, afinal? De que resulta, então, a sabedoria? O livro como um todo é uma reflexão profunda sobre o que é ser humano, sobre o mundo que construímos para nós, sobre o que é importante na vida. Não que eu acredite que um dia teremos o poder de controlar o clima ou mesmo a capacidade de privar as pessoas totalmente da sensibilidade - embora admita que acredito ser possível - mas desde já observo o mundo no qual estamos inseridos, a sociedade que nos rege, e espero sinceramente não viver para ver o dia que a humanidade cairá ainda mais na mesmice de O Doador e quando as memórias forem um fardo destinado a apenas um.

O FILME

Assisti ao filme apenas na madrugada de ontem, por isso demorei tanto a postar a resenha do livro.
Estou começando a entender melhor o termo adaptação, não quer dizer que o filme vá seguir o livro, quer dizer que a ideia original do livro deu base para se criar uma coisa nova: o filme. Digo porque, desde o começo, o filme não tem basicamente nada a ver com o livro. A ordem de acontecimentos é alterada, a distribuição de tarefas é alterada, tudo foi alterado criando quase um filme desvinculado do livro.
Minha nota pro filme seria 7,0 numa escala de 0 a 10. Ele é bom, mas as diferenças com o livro são gritantes. Muita coisa que há no filme não há no livro e o que deveria, de fato, acontecer no filme porque acontece no livro, não aconteceu. Colocaram a cena da dispensa de Fiona quando, na verdade, Rosemary foi dispensada! A cena do beijo deles não existe no livro, muito menos as tais "injeções" diárias, eram pílulas. Os passeios com o doador nunca aconteceram, entre tantas outras coisas... Vale a pena assistir? Sim, o filme, como dito, é muito bom. Mas o livro é infinitamente melhor e ambos tem quase nada a ver um com o outro.

sábado, 13 de setembro de 2014

Eu Sou O Mensageiro - Markus Zusak (Resenha)

Sinopse: Ed Kennedy leva uma vida medíocre, sem arroubos. Trabalha, joga cartas com cúmplices do tédio, apaixona-se por uma amiga que dorme com todos os vizinhos do subúrbio e divide apartamento com um cão velho. O pai alcoólatra morreu há pouco; a mãe parece desprezá-lo.
Certo dia, ele impede um assalto a banco e é celebrizado pela mídia. O ato heroico tem consequência. Logo depois, Ed recebe enigmáticas cartas de baralho pelo correio: uma sequência de ases de ouros, paus, espadas, copas, cada qual contendo uma série de endereços ou charadas a serem decifradas. Após certa hesitação, rende-se ao desafio. Misteriosamente levado ao encontro de pessoas em dificuldades, devassa dramas íntimos que podem ser resolvidos por ele. Uma mulher é estuprada diariamente pelo marido, enquanto uma senhora de 82 anos afoga-se em solidão, à espera do companheiro, morto há mais de meio século.
A ele parece caber o papel do eleito, do salvador. Convencido disso, segue instruções e se perde entre ficções de estranhos e sua própria, embaçada, realidade. A certa altura pergunta-se: "Eu sou real?" Markus Zusak cria um personagem comovente capaz de confrontar o mistério e, por meio da solidariedade, empreender um épico que o levará ao centro de sua própria existência.

O Que Eu Achei: Há muito, muito tempo eu não fico arrepiada quando chego no final de um livro! Fantástico é um adjetivo mínimo para descrever o que foram estas 300 páginas de uma aventura enigmática e eletrizante. Eu Sou o Mensageiro é muito mais que uma ficção, é uma verdadeira reflexão sobre a essência do “ser humano”, sobre a vida em seu sentido mais sóbrio, palpável, completo.
Enquanto acompanhamos a evolução de Ed Kennedy, somos arrastados para reflexões como: E eu? Que mensagens ando levando? Que mensagens ando ‘passando’? É realmente válido tirar uma vida, por pior que a pessoa seja? Qual nosso papel enquanto pessoa, enquanto humanos? Markus Zusak criou um enredo cheio de mistérios e ensinamentos tão bem emaranhados e, ao mesmo tempo, soltos, que ao final da leitura você não apenas se arrepia, mas se emociona, começa a repensar o seu caminho e a pessoa que você se tornou. Estamos todos aqui com o propósito de nos amar, e esse livro passa aquele mandamento maior de Cristo: “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei.” A medida que Ed vai ajudando uma pessoa e aumentando a corrente do bem, nós vamos percebendo que é essa a maior função e realização da nossa vida: fazer a diferença na vida do outro. Quando agimos em presteza à alguém, não é apenas aquela pessoa que muda, mas nós. Transformar a vida de todas aquelas pessoas não foi benéfico apenas para elas, mas para o próprio Ed, ele mudou mais que qualquer uma das pessoas que ajudou, coisas simples como uma lâmpada, um sorriso, uma caixa vazia, um sorvete, fazem uma diferença tão grande. Não é com as surras da vida que temos que ficar preocupados, mas sim com o que faremos com o nosso corpo arrebentado depois disso. Quando Ed apanhou dos Rose, ele ergueu-se sorrindo, com o sentimento de missão cumprida. Poucas pessoas tem essa capacidade, de apanhar e erguer-se com um sorriso mesmo em meio às feridas (tiro por mim mesma, sou incapaz disso), nós ficamos tão concentrados na dor, que esquecemos a lição.
"Se um cara como você consegue fazer o que você fez, talvez todo mundo consiga. Talvez todos possam superar seus próprios limites de capacidade."

A maior parte do tempo, eu me sinto como Ed Kennedy no início deste livro: Um fracassado. Uma pessoa condenada a ser um zero a esquerda para sempre, mas aí, eu me dei conta que, mesmo de certa forma, eu faço a diferença com cada palavra que escrevo para as pessoas, é a forma que eu tenho de passar mensagens, de ‘ser’ mensagem, além daquilo que posso fazer concretamente. Quando cheguei ao fim deste livro, me arrepiei e quase chorei. Sensações que eu não tinha há algum tempo com um livro, comecei a me ver de uma maneira diferente (embora continue me odiando), mas admito que não me considero mais cem por cento ‘inútil’, de alguma maneira, cada pessoa que me conheceu até hoje, que “me leu” alguma vez ou que conversou comigo procurando alguma pessoa que simplesmente ouvisse, recebeu uma mensagem. De algum jeito, eu fui mensagem para alguma pessoa ao longo da minha vida, eu entreguei mensagens para alguém... E quando me dei conta disso, ao fechar o livro, me senti melhor. Ganhei este livro de presente de aniversário de uma amiga na faculdade, de algum modo, ela foi minha mensageira. Duvido bastante que ela tenha me dado este livro sem um propósito, ela queria me dar uma mensagem, ela queria me fazer sentir alguém. Ela é a minha mensageira.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

#Livro: Branca de Neve e o Caçador (Resenha Livro + Filme)

Oie blogueiros! Bem, terminei o livro no tempo certinho, se não fosse o trabalho que eu tinha de apresentar eu teria terminado um dia antes, até porque esse livro é bem pequenininho. Situação inusitada para mim, uma vez que temos um livro baseado em um filme e não o contrário. Este tesouro foi presente da minha irmã pelo meu 24º aniversário, este ano. Eu sou completamente suspeita para falar de Branca de Neve e o Caçador porque já ultrapassei a marca de cem visualizações desse filme desde sua estréia, em 2012. Então, a resenha de hoje é não apenas prazerosa, mas especial. Bem, mas chega de enrolação e vamos nessa!

Sinopse: Há dez anos, a vingativa Rainha Ravenna assassinou o rei na mesma noite em que se casara com ele. No entanto, dominar o reino tornou-se um sofrimento para a Rainha. Para salvar seus poderes, ela deve devorar um coração puro, e Branca de Neve é a única pessoa com esse coração. A fim de capturá-la, Ravenna recorre ao Caçador, o único homem que já se aventurou pela Floresta Sombria e sobreviveu. Branca de Neve será morta pelo Caçador? Ou será treinada por ele e se tornará a melhor guerreira que o reino já conheceu?

O Livro e o Filme:
Nessa maravilhosa releitura do conto dos Grimm, Branca de Neve e o Caçador nos leva à um reino dominado por uma perversa mulher que teve sua vida destruída pelo rei e deseja vingar a morte de sua mãe e de seu povo. Um rei destruído pela perda de sua esposa, e uma menina de sete anos que só deseja ser amada, mas que é deixada de lado pelo pai. Por dez anos, Branca de Neve foi trancada numa torre, sem nenhum contato humano, sem nenhuma compaixão, mas finalmente conseguiu fugir, levando com ela a dor da solidão e da perda, o medo do desconhecido e a esperança da salvação. É quando ela conhece Eric, um caçador destinado a caçá-la, mas que acaba por salvá-la de Ravenna. Um homem rústico, tomado pela dor silenciosa de sua perda. Inicialmente, ambos se odeiam, logo passam a amar-se à sua maneira.

Perseguida pelo irmão de Ravenna, Finn, Branca de Neve refugia-se na aldeia das mulheres, onde é acolhida. Eric, achando que ela está segura, decide deixa-la e a aldeia é atacada por Finn, o caçador descobre então que a única maneira de salvar a garota que o tirara da dor da perda de Sara, sua esposa, era matando o irmão de Ravenna. Eric queria proteger Branca de Neve, como ela o protegera de imergir ainda mais no inferno onde ele vivia, ele queria ser melhor por ela. Assim, com as perdas no caminho de pessoas que uniram-se a causa de salvar o reino, Princesa, Caçador e Jovem Duque se unem contra a Ravenna, a rainha sombria. Mas para Branca de Neve a batalha maior ainda esta por vir: O amor que ela traz em seu coração. Teria ela alguma chance com Eric?

O que eu achei:
Revi esse filme pela provável centésima vez, e sempre parece a primeira, eu nunca me canso. Fica difícil comparar livro e filme uma vez que a ordem de lançamento e criação é inversa. Aqui o livro surgiu do filme e não o contrário. Já havia ouvido que o livro dava pouca ou nenhuma informação extra sobre o filme, o que eu venho discordar. Há sim uma gama de informações extras que não temos noção ou não sabemos no filme, como, por exemplo, os sentimentos dos personagens. Temos uma dimensão maior disso no livro, a maneira como Branca de Neve se sente com relação a Eric e a maneira como ele se sente sobre ela. No livro a relação dos dois chega a ser até mesmo engraçada, eu diria cativante. A ordem dos acontecimentos muda muito de um para o outro, Há cenas no livro que não correspondem ao filme, e até mesmo descrições que divergem de um para o outro, mas posso dizer que, de uma maneira considerável, o livro é fiel ao filme e muitíssimo bem escrito, a leitura é agradável, a narração é fluida e bem trabalhada e eu abro um parêntese para a diagramação, é belíssima! Quando eu abri fiquei absurdamente encantada. Não sei se a edição que minha irmã me deu é de algum tipo de colecionador, mas sei que a diagramação é fabulosa. Digna do filme fantástico que esse é. Tanto os efeitos especiais quanto a história propriamente dita foi muito bem feito, permanece a essência do conto dos Grimm, mas com uma nova perspectiva e de uma maneira mais realista embora com sua leva de fantasia. Com relação ao filme a escolha do caçador foi o que mais me atraiu (*-*). Graças a este filme eu consegui completar minha releitura de A Bela Adormecida, começada em 2010 e engavetada até 2012 quando me deparei com esse clássico da releitura. Branca de Neve e o Caçador é um dos meus filmes favoritos e, na minha opinião, a releitura mais bem feita da história.

Então, é isso blogueiros! Nos vemos semana que vem com a próxima resenha! Beijinhos!

The Lost Girl.