sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O Teorema Katherine - Jonh Green (Resenha)

Muito bem, eis que volto para vocês com a última leitura de fevereiro, este mês eu li apenas quatro livros - sem contar com Eu Sou o Número Quatro que eu apenas terminei de ler na primeira semana do mês. - isso por culpa da péssima série da Alyson Noël da qual ainda me restam três livros. As coisas na faculdade estão me impedindo de ler como eu gostaria, mas estou me esforçando ao máximo para avançar na minha meta antes que as coisas piorem... Inclusive, estou deixando de escrever para ler o que é ao mesmo tempo que um pouco "triste" muito benéfico. Por exemplo, graças a esse livro eu chamo a minha irmã de kafir toda vez que ela pisa na bola hehe. Bom, agora chega de enrolação e vamos para a resenha. Eu levei exatos seis dias para terminar o teorema Katherine, o livro se mostrou diferente do que eu pensava, mas foi uma surpresa boa. A resenha NÃO TEM SPOILER então pode ler sossegado ok?

O Teorema Katherine

Esse foi meu segundo livro do John Green – dinheiro não dá em árvore não u.u’ – e eu não pude deixar de perceber que ele tem um certo fascínio e, devo admitir, completa desenvoltura, em criar personagens com aversão completa ao anonimato. Assim como Augustus Waters, Colin Singleton tem medo de não ser importante, de não colocar uma marca no mundo e quando se sente fracassado por não ser “reconhecido” por algo ele se afunda completamente em uma depressão interna.
A história acompanha Colin levando um fora da sua décima nona namorada chamada Katherine – e creia em mim um dos motivos de eu ter comprado esse livro antes de A Culpa é das Estrelas foi exatamente pelo fato de o meu nome estar nele! –que tecnicamente é a primeira Katherine eu sei isso é meio confuso, mas você entenderá melhor depois de ler. Enfim, ele fica altamente deprimido, aliás como sempre, e recebe a visita de seu único e melhor amigo Hassan, um iraquiano não terrorista metido a engraçadinho e tão nerd quanto Colin. – tá, talvez um pouco menos. – Colin é um daqueles meninos prodígio que lê aos dois anos de idade e aos nove já sabe a raiz quadrada de pí e fala pelo menos cinco idiomas, no caso do Colin, onze. E ele tem a estranha preferência de se apaixonar e namorar apenas Katherines não sendo essa sua menor esquisitice. Ao ver o amigo deprimido e na tentativa de salvá-lo – e salvar também a si mesmo. – Hassan o carrega em uma viagem de carro em busca de esquecer um pouco da sua vida monótona e momentaneamente sem significado e apenas ver coisas diferentes.
Assim, temos dois nerds na estrada que acabam indo parar no Tennessee, em uma cidade, se é que pode-se chamar assim, conhecida como Gutshot (nome horrível, eu sei.) onde eles conhecem Lindsey e sua mãe Hollis duas adoráveis “caipiras”        que lhes oferece um emprego, moradia e refeições. Em meio aos trabalhos dados pela rica senhora dona de uma fábrica que produz os “cordões de tampão” Colin, Hassan e Lindsey tem que entrevistar e gravar histórias de todos os moradores da cidadela para compor um arquivo histórico no qual os futuros habitantes do lugar poderão conhecer a riqueza “cultural” de sua pequena cidade. Colin também se defronta com o namorado de Lindsey, O Outro Colin, carinhosamente apelidado de OOC por Hassan e a partir desse momento o nerd passa a desenvolver um teorema matemático que dirá quando um casal vai terminar o relacionamento e quem vai terminar com quem, ele aplica suas teorias baseados nas suas 19 Katherines, mas o que esse teorema acaba lhe mostrando, assim como a pequena cidadela e seus habitantes acalorados, é uma viagem emocionante ao centro de suas próprias convicções, verdades e desejos reais. Colin descobre que o passado não pode ser mudado, o futuro é algo desconhecido e que tudo que verdadeiramente importa é o presente e o que tem nele. Muitas vezes, para ser extraordinário basta apenas que você seja você.

O que eu achei do livro: Em primeiro lugar, não foi como eu imaginava. Nem de longe. Em segundo lugar eu não entendi bulhufas dos gráficos, das expressões matemáticas e tals. E, por fim, reforcei minha ideia de que o John Green é um nerd da mais alta patente! Nem mesmo o R. fica nessa categoria tão alta embora eu desconfie que ele é o nerd brasileiro numero um. A minha admiração pelo João Verde ficou maior quando ele postou no twitter em favor da Sthephanie Meyer, ele é um exemplo do que o fandom de HP deveria ser. Ele se redimiu com os fãs da saga de Meyer e com a própria por todas as vezes que ele se deixou ir nas idiotices de gente que não respeita o gosto e o trabalho dos outros. O Teorema Katherine é um livro ótimo, engraçado e romântico no ponto certo de ser altamente interessante. O final foi apenas levemente previsível, pelo menos para mim. Quando cheguei no capítulo dezoito eu meio que já sabia o que vinha depois e acho que essa foi a coisa que me fez marcar o livro como muito bom e não excelente no skoob. De fato, tirando a matemática – que nem mesmo o apêndice conseguiu me fazer entender – eu adorei cada página do livro. Mas eu definitivamente NÃO acredito no John quando ele diz o disparate de que não é bom em matemática ¬¬ isso é o cúmulo da mentira para um cara que escreveu um livro como esse.

4 comentários:

  1. rsrs de novo meu comentário sumiu sem ser publicado... isso é uma perseguição pessoal (y)

    Tenho os dois livros mencionados ("A culpa é das estrelas" e "O Teorema Katherine"), porém sem tempo para ler por hora :B

    Sua resenha ficou muito bem feita!! o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk vou processar o google!
      Ambos são espetaculares. Você vai curtir muito.
      Obrigada anja! E obrigada por comentar!

      Excluir
  2. Ótimo texto de resenha. Meus parabéns! Amei a maneira que vc usou para se expressar, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura...a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=78725243

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliano Cesar, tudo bem? Muito obrigada por ter lido a minha resenha e ter comentado (muito embora eu não tenha ideia de como você achou o meu blog rsrsrsrs) fico feliz que você tenha gostado e se você ainda não leu eu super recomendo esse livro, viu?
      Nunca ouvi falar nesse livro, mas vou me informar melhor. Não que eu seja contra nem nada, mas eu tenho muito cuidado com esses livros que mexem com religião, não sou muito fã de desrespeito com as minhas crenças. Mas vou dar uma olhada sim! Muito obrigada por ter vindo e volte sempre que quiser! Um prazer ler seu comentário anjo!
      Super beijo!

      Excluir