quarta-feira, 26 de julho de 2017

O Aprendiz - Caça Feitiços #1 - Joseph Delaney (Livro e Adaptação)

Título Original: The Spook's: Apprentice
Lançamento: 2008 (BR)
Série: Caça Feitiço #1
Gênero: Fantasia

Sinopse: Thomas Ward é o sétimo filho de um sétimo filho e se tornou aprendiz do Caça-feitiço. A missão é árdua, o Caça-feitiço é um homem frio e distante, e muitos aprendizes já fracassaram. De alguma forma, Thomas terá de aprender a exorcizar fantasmas, deter feiticeiras e amarrar ogros. Quando porém, é enganado e cai na armadilha de libertar Mãe Malkin, a feiticeira mais malévola do Condado, começa o horror. Então Tom tem que fazer a coisa certa para que ninguém saia ferido.


Cuidado: não deve ser lido à noite!
Essa é a advertência encontrada atrás da edição do primeiro livro da série de 13 livros escrita por Joseph Delaney. Recebi uma recomendação parecida de um conhecido quando ia começar a ler Drácula, mas confesso que apesar de ter gostado muito do livro ele não me assustou em momento algum. Ou eu estou ficando muito insensível ou estou desaprendendo a ler! (Risos).
A trama é narrada por Tom Ward, o sétimo filho de um sétimo filho cuja mãe faz um "arrumado" para que seja aprendiz de um mago. O livro inicia com as negociações para que o mago o aceite como seu aprendiz, ele faz um acordo com o pai de Tom de testá-lo por um mês, caso ele falhe o garoto será devolvido e o mago receberá uma quantia pela perda de tempo. Assim começa a jornada do jovem como o aprendiz de caça feitiço, contudo, esse termo meio que engana, não é exatamente algo envolvendo mágica, na verdade eles são mais do tipo caçadores, pessoas com habilidades físicas comuns, mas treinadas para deter e aprisionar demônios e bruxas. Mais ou menos como San e Dean de Supernatural.
Na casa do mago, Tom começa a aprender sobre o ofício de mago e o que ele enfrentará se for realmente aceito como aprendiz, não apenas em relação ao perigo que a profissão tem, mas principalmente em relação à rejeição das pessoas. Uma vida solitária que, inicialmente, ele não não quer abraçar. Percebendo isso o mago dá a ele alguns dias em casa para repensar sua decisão, contudo, a mãe de Tom o repreende e diz que ele nasceu para tornar-se um mago, foi concebido com esse intuito. Durante o livro não existe confirmação de que a mãe dele é uma bruxa, pelo menos não às claras, mas o autor dá pistas sutis disso de modo que a gente acaba descobrindo se prestar atenção.
É quando volta ao seu posto de aprendiz que Tom começa de verdade seu trabalho, primeiro aprendendo sobre demônios e, muito levemente, sobre bruxas. No jardim do mago ele descobre haver alguns "túmulos" onde bruxas mortas e vivas estão seladas entre elas mãe malkin, a mais perigosa e poderosa de todas. Ele é advertido a nunca chegar perto do poço onde ela está selada. O trabalho de Tom consistia, basicamente, em estudar e tomar notas sobre o ofício, cavar poços para entender a importância do trabalho milimétrico que implica selar uma criatura e fazer as compras da semana para a casa do mago. É neste último encargo que ele conhece Alice, na volta para casa ao ser abordado por garotos aldeões atrás de furtar alguns bolos e frutas do mago, Tom é ajudado por esta garota que diz ser sobrinha de uma bruxa nomeada Lizzie dos Ossos, ele desconhece qualquer coisa a respeito desse nome e, por um instante, julga ser mentira,  mesmo vendo o olhar apavorado dos garotos que fogem deixando-os a sós. 
Sem ter a permissão do mago para dar a ela qualquer coisa do saco, Tom acaba fazendo uma promessa, caso ela precise de ajuda ele a irá socorrer como puder. Aquele fora seu primeiro erro. Dias depois ela o procura novamente em um dia que o mago não está em casa e pede-lhe que leve três bolos ao poço onde mãe malkin está selada, inicialmente o rapaz se recusa, mas como prometera - e não vendo no pedido nada sério - aceita fazê-lo escondido do mago. A partir desse segundo erro uma série de problemas surgirão, quando a poderosa bruxa é libertada não apenas as pessoas do vilarejo, mas a família de Tom torna-se alvo da sua vingança, incia-se uma luta pela sobrevivência daqueles que ele ama e de si mesmo.
Achei a história muito simpática, apesar de não ter me assustado em nenhum momento, ela tem um ritmo muito gostoso que te prende e é escrita de uma maneira muito leve. As personagens são enigmáticas e aprofundadas superficialmente, até porque esse é apenas o primeiro contato, mais a parte introdutória da saga, acredito que do segundo volume em diante as coisas vão ser mais sérias. Achei o primeiro livro bem levinho. Gostei bastante da construção e da narrativa, para quem curte fantasia e mesmo para quem quer testar o gênero esse é um dos que indico. Vale muito a pena. 

O SÉTIMO FILHO

Título Original: Seventh Son
Ano: 2015
País: Inglaterra
Direção:  Sergei Bodrov
Gênero:  Fantasia / Aventura / Ação
Elenco: Ben Barnes
Julianne Moore
Alicia Vikander
Jeff Bridges
Antje Traue
Kit Harington
Djimon Hounsou
Olivia Williams

Sinopse: Thomas Ward (Ben Barnes) é o sétimo filho de um sétimo filho e se tornou aprendiz do Caça-Feitiço. A missão é árdua, o Caça-Feitiço é um homem frio e distante, e muitos aprendizes já fracassaram. De alguma forma, Thomas terá de aprender a exorcizar fantasmas, deter feiticeiras e amansar ogros. Quando, porém, é enganado e cai na armadilha de libertar Mãe Malkin (Julianne Moore), a feiticeira mais malévola do Condado, tem início o horror, convocando seus seguidores de cada encarnação, Malkin está se preparando para lançar sua terrível ira sobre um mundo despreparado. Há apenas uma pessoa em seu caminho: Mestre Gregory (Jeff Bridges). Em um reencontro mortal, Gregory fica cara a cara com o mal que ele sempre temeu que retornasse. Agora ele tem até a próxima lua cheia para fazer o que geralmente leva anos: treinar seu novo aprendiz, Tom Ward (Ben Barnes), para combater a magia negra como nenhum outro. A única esperança da humanidade se encontra em um sétimo filho de um sétimo filho.

Eu já resenhei esse filme AQUI, então vou me ater apenas as diferenças com o livro. Como eu já disse outras vezes quando falei de adaptações, elas são feitas para vender e não para fazer os leitores felizes, infelizmente essa é a realidade. Tal como The Mortal Insrtuments, The Host, Vampire Academy e tantas outras, Seventh Son não seria diferente. Quando eu vi o filme a primeira vez não tinha lido o livro como especifico na legenda, mas a verdade é que não faz muita diferença, são basicamente duas obras distintas. O que tem do livro no filme é pouquíssimo, se fizessem um livro do filme como aconteceu com Branca de Neve e o Caçador, seria outra obra. Posso dizer que o filme é uma fanfic visual do livro. Assim explica bem melhor.
Primeiro nos atemos ao início, o nome do último aprendiz de Gregory era Billy e não Will, ele fora morto por um demônio e não uma bruxa. Outra coisa que mudou pacas foi a história do Gregory se envolver romanticamente com Malkin, no livro isso não acontece. Nas negociações é o mago que recebe por Tom e não o pai dele. Eu não li o segundo livro ainda, mas acredito que deva ter elementos dele no filme, há muitas coisas que no livro não acontecem, podem estar no segundo livro, as visões de Tom, por exemplo, no livro diz que ele vê coisas que outros não vêem, mas não que pode ver o futuro. 
No livro, Tusk é filho de Malkin e Alice é sobrinha de Lizzie dos Ossos não filha. Malkin é descrita como uma velhinha corcunda no livro, no filme eles me aparecem com Juliane Moore divando com aquele cabelo vermelho. Aquela guerra do final nunca aconteceu no livro e os únicos seguidores de Malkim são Lizzie e Tusk, esses outros carinhas não aparecem. A mãe de Tom é mais que a favor de ele ser um mago, ela mesma é quem planeja isso, embora no filme eles tenham feito ela recusar a oferta do mago. Eles "adultizaram" a relação de Tom e Alice, no livro eles são muito jovens e não há envolvimento amoroso entre eles, são amigos (pelo menos inicialmente). Essas são apenas algumas, não vou dar mais porque posso acabar soltando spoiler do  livro e isso não seria legal. 
Não vou fazer uma comparação de dizer qual é melhor. O livro é muito bom, dá pra você se entreter muito e viajar na aventura de Tom a cada nova descoberta. O filme é bom ao seu modo também e tem umas tiradas muito engraçadas que o livro não tem, vou deixar minhas favoritas para encerrar a resenha.

"Com o que será que os monstros tem pesadelos?"
"Não sei, com os humanos talvez."

"Não disse que os ogros eram cegos?!"
"MAs o sentido do olfato é espetacular!"

"Estamos salvos agora, os ogros odeiam água."
"No quesito ogros estou desconfiando um pouquinho dos seus conhecimentos!"

"Isso é nojento, o que mata?"
"A covardia."

E sem dúvida o modo como ele cumprimenta Tusk são meus quotes favoritos:

"O que é isso?"
"Você quer dizer quem. Tusk, tão leal quanto feio."

"Tusk! Tão fiel quanto a morte!"

"Tusk, tão resistente quanto feio, velho amigo."

segunda-feira, 24 de julho de 2017

太 + Adjetivo + 了.

太 好看 了!
大家好!你们好吗?

Hoje vamos aprender a dizer que as coisas são muito algo. Para isso, utilizamos a estrutura 太 (tài) + Adjetivo + 了(le) que pode ser traduzida como "demais, muito, excessivamente". Se estiver ligada a um adjetivo cujo significado expresse algo positivo como por exemplo:
太 好吃了(Tài hào chī le) que significa "muito gostoso" terá a ideia de intensidade, nesse caso "muito". Por outro lado, se a mesma estrutura estiver ligada a um adjetivo negativo como em 太 冷了(Tài lěng le) que significa "demasiado frio" este carregará o sentido de "excessivamente, demais, demasiado."

Palavras Novas:

好吃 (hǎo chī) - delicioso; gostoso (para comidas)
好看 (hǎokàn) - bom (para filmes, livros); bonito, bacana.
好喝 (hǎo hē) - delicioso, gostoso (para bebidas).
太 (tài) - demais, demasiado
了(le) - partícula modal

Ideogramas Novos:
hǎo - bom, boa, bem
Componentes do ideograma:
女 (nǚ) - mulher
子 (zǐ) - criança


演习

  1. 蛋糕非常好吃。Dàngāo fēicháng hào chī.
  2. 蛋糕太好吃了。Dàngāo tài hào chīle.
  3. 饺子太好吃了。Jiǎozi tài hào chīle.
  4. O pão está delicioso demais.
  5. 可乐太好喝了。Kělè tài háo hēle.
  6. 果汁太好喝了。Guǒzhī tài hǎo hēle.
  7. O leite está delicioso demais.
  8. Delicioso (para comidas)
  9. 面条....... 了  (a) 好吃    (b) 好喝
  10. 电影太好看了。Diànyǐng tài hǎokàn le.
  11. 你的书太好看了。Nǐ de shū tài hǎokàn le.
  12. O livro dele é bom demais.
  13. Hoje está quente demais.
  14. Eu tenho fome demais.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Chester Bennington - Uma perda lamentável para o Rock e a Música

Não lembro com certeza se foi em 2006 ou 2007 que eu estava de boa assistindo a playTV quando vi pela primeira vez o clipe de Waht I've Done. Até então, embora já tivesse ouvido falar bem por alto do Linkin Park, não conhecia de fato a banda, mas o vídeo reflexivo e a letra incrível da música me fizeram fã. Muitos antes de mim caíram de amores pelo som único do Linkin Park e a voz inconfundível de Chester. 
Qual não foi o choque e a tristeza que senti quando recebi a notificação bombástica de sua morte hoje ao chegar em casa e acessar as redes sociais. Mano, por um momento eu simplesmente não consegui acreditar, mesmo depois de ler a confirmação de Mike Shinoda no twitter não quis acreditar que aquilo estava mesmo acontecendo. Apesar de todos os problemas que ele teve muito antes de entrar na banda e mesmo tendo dado aquela entrevista admitindo que já havia pensado em suicídio, foi completamente chocante quando a morte foi anunciada.
Confesso para vocês, quando o último álbum deles saiu eu não curti o som, apesar de ter gostado das letras de algumas músicas, a melodia realmente não me atingiu e não tivesse visto os vídeos oficiais não diria sequer que era o Linkin Park, mas sim o feat de Chester com outra banda. À primeira ouvida, a letra de Heavy me pareceu muito estranha, havia algo sombrio naquela música que não combinava nada com a banda e que eu só tinha ouvido antes no Evanescence, posso compará-la facilmente com Touniquet, Breathe no More, Like You e Imaginary. Porém, nunca passou pela minha cabeça a ideia de que ela poderia representar algo perto do que ele estava sentindo ou do que faria.

"Eu continuo arrastando comigo o que me derruba
Se eu soltasse, eu poderia me libertar
Segurando
Por que tudo é tão pesado?"

Lembro-me de que, lendo sobre a morte dele, vi em uma página em inglês que Mike falou sobre Chester ter tido algum trabalho para gravar essa música, mostrar-se abatido e se emocionar muito ao cantá-la. O rock está de luto. A música está de luto. Perdemos não apenas um grande artista, mas um enorme ser humano. Faço esse pequeno post para expressar minha tristeza com essa notícia lastimável e pesada e rezo pelo descanso dessa grande figura que foi o Chester e os filhos e amigos que ele deixou para trás. Vai deixar mais que saudade...

Para finalizar, deixo aqui uma advertência e um pedido. A advertência é que não brinque com os sentimentos das pessoas e nem subestime a dor delas, você não pode medir o que alguém está sentindo, o que é pequeno para você pode ser gigante para alguém. Não é frescura. E o pedido é que, se você está se sentindo sozinho, se precisa conversar com alguém, procure um amigo, entre em contato até comigo mesmo pelo contact-me do blog. Mas não guarde as coisas pra você, não ache que você está sozinho nessa. 
É isso, pessoas. Vejo vocês logo.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Extremamente "非常"

大家好! 

Sentiram saudades das aulas? Eu sei que sentiram! Como andam os estudos de vocês? Na minha revisão eu percebi que ainda tenho um monte de coisas que não aprendi direito e vou precisar ficar revendo constantemente até fixar... faz parte, andei mesmo desleixada com os estudos preciso me ajeitar U.U, mas vamos ao que interessa né? Hoje vamos aprender a usar o advérbio de intensidade 非常.

Da mesma forma que 很 (Hěn), 非常 (fēicháng) também é um advérbio, é usado para ligar o substantivo ao seu respectivo adjetivo. É importante saber que 非常 indica um grau maior que 很 na qualidade do adjetivo.

我非常饿。(wǒ fēicháng è.)
Eu tenho extrema (muita) fome.

Vocabulário Novo:


非常 (fēicháng) - extremamente; muito
饿 ( è) - fome
渴 (kě) - sede
好 (hǎo) - bom
差 (chà) - mal; mau; ruim

Ideogramas da Lição

è - fome

Componentes do ideograma:
饣 (Shí) - comida
os caracteres com este componente estão em sua maioria relacionados a carne ou a comida em geral.
我 (wǒ) - eu.

演习

Traduza as frases utilizando os vocabulários aprendidos até então.

我非常饿。(Wǒ fēicháng è.)
他 非常渴。(Tā fēicháng kě.)
电影非常好。(Diànyǐng fēicháng hǎo.)
O livro é extremamente bom.
Meu inglês é extremamente ruim.
现在是一点 我非常饿。 ((Xiànzài shì yīdiǎn wǒ fēicháng è.)
我们不渴。Wǒmen bù kě.)

domingo, 9 de julho de 2017

Miojo Coreano para os corajosos! [Receita]

Olá, pessoinhas!

Então, eu sou uma apreciadora de miojo, gosto pra caramba dessa comida e uma das minhas vontades é um dia provar um ramem de verdade. Assistindo doramas, especialmente Splash, Splah Love e se você ainda não viu esse mini drama precisa ver porque é incrível! Eu vi um macarrão instantaneo que me chamou muito a atenção, ele vinha com um sachê que parecia ketchup pra pôr dentro e, segundo a protagonista, era apimentado.  Dia desses vi no vlog Pula Muralha um desafio de comer miojo coreano apimentado, e hoje enquanto me preparava para degustar um miojinho me deu uma ideia meio maluca. Eu fiz e deu certo, mas de fato, é pra'queles que gostam mesmo de pimenta, viu? Gente de paladar fraco não passe nem perto.
Infelizmente eu não tirei foto dos passos e nem do resultado porque não sabia se ia dar certo, foi realmente de improviso, mas é muito simples de fazer e segue a premissa do que eu vi no dorama. E aí, tem coragem? Vai receita:

1 miojo do seu sabor favorito (eu fiz com galinha caipira, não sei se muda o gosto dependendo do sabor então vai de você aí.)
1 colher de SOPA (sim, SOPA) de pimenta do reino em PÓ (tem que ser em pó mesmo).
2 Colheres de sopa de Ketchup comum.
1/4 colher de sobremesa de manteiga.

1. Cozinhe o miojo normalmente, os 3 minutos. Eu gosto de deixar uns 4 a 5 minutos, mas pode cozinhar os 3 mesmo isso é irrelevante.
2. Antes de colocar o tempero tire quase toda a água. Sim, deixe ele QUASE seco mesmo. Aí você vai adicionando o tempero bem aos poucos e misturando no macarrão de modo que fique bem distribuído. 
DICA: Se usar um miojo de carne ou de um sabor forte sugiro que não ponha o tempero todo senão acho que o sabor vai ficar estranho.
3. Derreta a manteiga em fogo baixo. (Eu usei a manteiga que sobrou da salsicha que eu assei pode ter influenciado no gosto).
4. Tire o fogo (mas não desligue ele) e coloque o ketchup e a pimenta. Leve de novo pro fogo e misture os dois bem direitinho até não dá pra perceber diferença. Cuidado, deixe o fogo beeeeeem baixo senão vai queimar. É coisa rápida isso, deixe no fogo só pra misturar mesmo.
5. Coloque o macarrão num prato e adicione o "molho" picante. Misture com a ajuda de dois garfos ou - se você souber usar - dois hashis. Tipo mistura o negócio direito mesmo pra distribuir direito por todo o macarrão.

Aí, amigo(a), boa sorte com isso! Pegue um copo generoso de água e vai com fé. O sabor do meu ficou bem diferente, encorpadinho e bem gostoso (e muito apimentado), pra quem reclama que miojo não tem gosto de nada quero ver agora. Olha, não chega a ser da morte não viu, mas que fica forte fica, principalmente pra quem não tem costume de comer pimenta com frequência.
Come aí e me diz o que achou!

Vídeos sobre o verdadeiro miojo coreano



quinta-feira, 6 de julho de 2017

Patrícia Cabot - A Rosa do Inverno

Autor: Patrícia Cabot (Meg Cabot)
Ano: 2008
Páginas: 416 (ed. impressa) 247 (ebook)
Gênero: romance, histórico

Sinopse: Acostumado a conseguir qualquer mulher, Lord Edward Rawlings enlouquece com a sensualidade de Pegeen, que estava longe de ser a tia solteirona que ele havia imaginado. Mas Pegeen não está disposta a fazer mais concessões além de mudar-se, pelo bem de seu sobrinho, para a mansão dos Rawlings na Inglaterra. No entanto, ao chegar lá, ela logo percebe o risco que corre. Sempre movida pela razão, Pegeen sente que dessa vez seu coração está tomando as rédeas. Ela pode resistir ao dinheiro e ao status, mas conseguirá resistir a Edward?
A Rosa do Inverno é um romance leve, com boa dose de romantismo, forte aroma de sensualidade e uma pitada de suspense. Fala de paixão arrebatadora e indevida, de destino e escolha. Mas, sobretudo, é uma história que acende o debate sobre a condição feminina, o papel, os desejos, os temores da mulher. Ao confrontar o instinto de se entregar a um homem e a decisão de manter a independência, a Patricia Cabot faz do livro um espelho dos dilemas femininos.

Lord Edward Rawlings tem uma única certeza em sua vida: ele não quer ser assumir o ducado deixado por seu falecido pai que deveria ter ido para seu irmão mais velho também falecido. Contudo, a única maneira de evitar isso seria encontrar seu sobrinho legítimo e verdadeiro herdeiro do ducado de Rawlings, um dos maiores da Europa. 
Com essa intenção ele manda um dos seus subordinados, sir. Arthur Herbet, procurar o menino. Meses se passam até que o garoto é encontrado na Escócia sob os cuidados de uma tia solteira filha do falecido vigário da cidade. Lord Edward é informado de que o menino se recusa a sair do lado da tia e que a mesma não tem a menor pretensão em deixar sua minúscula propriedade em um vilarejo decadente para viver na pomposa mansão de um aristocrata metido e libertino cuja família nunca se importou com o bem estar da criança de dez anos.
Não é nada animador para Edward Rawlings saber que sua concunhada é uma liberal de língua afiada e decide, ele mesmo, viajar até a Escócia na intenção de convencê-la a mudar de ideia. Contudo, o que ele acha quando chega ao insípido chalé em que seu sobrinho mora não é uma velha decrépita solteirona e mau humorada, mas Pageen Mcdougal, uma jovem com rosto de uma criança de quinze anos e modos de uma selvagem aborígene. A atração física que sente por ela é imediata ao ponto de quase não conseguir manter as mãos longe dela, Edward, que nunca antes se dobrou para nenhuma mulher, soube desde o início que teria problemas com aquela pequena mulher obstinada.
Aos vinte anos, Pageen não é definitivamente uma jovem comum de vilarejo interiorano. Ela faz partos de prostitutas (mesmo que isso seja demais pra ela) e cuida sozinha do sobrinho diabólico de dez anos de idade lidando com as dificuldades de uma vida regada à caridade da igreja cujo pastor está enfeitiçado por suas curvas e louco para que se case com ele mesmo diante das intermináveis recusas da jovem. A aparição de Edward Rawlings não é, de modo algum, um alento para ela, ainda que admita estar quase desesperada para sair daquela vida decadente.
Depois de uma acalorada discussão e de péssimas primeiras impressões, ela aceita ir com ele para Yorkshire onde seu sobrinho assumiria o ducado e finalmente deixaria seu tio livre para viver como bem lhe aprouvesse. No entanto, viver sob o mesmo teto de Edward Rawling não era como um sonho realizado, na verdade era o aspecto que Pegeen menos gostava em toda aquela ideia. Sabia muito bem que não conseguia resistir ao toque quente e ardente daquele homem imponente e sem escrúpulos. Ao contrário de todas as moças de sua idade, a jovem tinha a convicção de que nunca iria se casar uma vez que o casamento era apenas uma forma oficial de subjugar os direitos da mulher (ainda mais) e escravizá-la, como uma liberal, Pageen é a favor da igualdade de direitos não apenas entre gêneros, mas principalmente na distribuição de renda entre a sociedade.
Como um verdadeiro nobre, Edward não parava para se preocupar com aquelas questões, embora discordasse de muitas coisas que ela pensava sobre sua classe ser totalmente corrupta. Inesperadamente ele via muito do caráter de sua mãe em Pageen, mas não era simplesmente uma questão de estar atraído por aquela minúscula bruxinha encrenqueira, e sim que ela o forçava a refletir sobre sua vida de companhias erradas a começar pela viscondessa de Ashbury, Arabella com quem Edward tinha um caso mesmo que ela fosse casada. Indignada por ser deixada de lado, Arabella vai fazer o que for possível para destruir sua rival, mas o que Pageen pode esconder que faria Edward Rawlings desprezá-la para sempre?
Eu tinha esse livro ha anos e nunca tinha parado pra ler porque não era acostumada com ebooks, até então o único livro em pdf que eu havia lido tinha sido Ponte para Therabítia. Contudo, esse ano foi a hora de "desengavetá-lo" e me dei a oportunidade de lê-lo. Quem me recomendou foi um companheiro de jogo de RPG em mais ou menos 2010 ou 2011, ele me dissera na época que era um romance muito bom e que eu iria gostar. Bem, não foi exatamente isso que aconteceu. 
Se eu tenho algo a declarar sobre A Rosa do Inverno é que entre ele e a série da Julia Quinn, eu fico com ele. Apesar de só ter lido o primeiro livro da série dessa mulher me arrependi de ter comprado os outros 3. Me lembrou um pouco uma mistura de Jane Austen com Charlotte Bronte, mas não é uma comparação justa tendo em vista que ambas são ícones de referencia literária. A Rosa do Inverno é aquele livro que você pega pra tirar um pouco a ressaca de uma maratona de livros grandes ou quando quer passar um tempo com algo mais leve. Assemelha-se bem aqueles Julia e Sabrina históricos da escola. 
Apesar de usar o segundo nome para escrever, Meg Cabot continua Meg Cabot, a única diferença é que ela detalha as cenas de sexo o que não faz nos seus livros infanto-juvenis. Fora isso, dá sim pra saber que você está lendo um livro da Cabot. As personagens são enigmáticas, mas não chegam a ser fascinantes como em sua série mediadora, meu favorito foi Edward, ele era muito direto e sincero e eu gostava disso nele, ao contrário de Pegeen que chega a ser irritante grande parte do tempo embora eu adorasse as brigas dos dois. Parece que Cabot gosta de tornar suas personagens furiosamente chatas, lembro-me que Suzannah chegava ao ponto de me fazer largar o livro para não rasgá-lo. Em uma avaliação geral, achei o livro bom sim, a leitura é até agradável e boa pra quem curte um bom romance com personagens interessantes ao seu próprio modo e, principalmente, pra quem quer conhecer um pouco mais claramente como a sociedade rural inglesa (muito mostrada por Austen em suas obras) funcionava. 

terça-feira, 4 de julho de 2017

|Letra| 空 (Sora) - GENERATIONS from EXILE TRIBE (Letra e tradução PT)

Confere só essa beleza de música tema de Ani ni Aisaregurite Komattemasu

Original



この空の下で巡り会う奇跡
見上げた虹の向こう 会いに行くから
この声が届くまで 歌い続けるよ
いつでも どんな時も 君を想ってる
見慣れた景色がいつもと 違うような気がして
街の灯りもなんだかとても 優しく見えるよ
明日の僕達はきっと傍で 笑い合えてるから
この空の下でめぐり逢う奇跡
見上げた虹の向こう 逢いに行くから
この声が届くまで 歌い続けるよ
いつでも どんな時も 君を想ってる
今の僕には何もできない そんな気がして
見上げた空に君の微笑む 笑顔浮かべてる
不器用な僕には信じること
ただそれしかできない
この空のようにいつも君を
近くにもっと 傍に感じていたい
この声が届くまで 歌い続けるよ
二人の扉開けて 歩いてゆこう
君と出会った その日から 思い描くMy story
雨上がりの虹のよう な君に繋がる
橋を架けるから
この空の下でめぐり逢う奇跡
見上げた虹の向こう 逢いに行くから
この声が届くまで 歌い続けるよ
いつでもどんな時も 君を愛してる
いつでもどんな時も 君を愛してる

Romanização

Sora

kono sora no shita de meguriau kiseki
miageta niji no mukou ai ni yuku kara
kono koe ga todoku made utaitsuzukeru yo
itsudemo donna toki mo kimi o omotteru 

minareta keshiki ga itsumo to chigau you na ki ga shite
machi no akari mo nandaka totemo yasashiku mieru yo
ashita no boku-tachi wa kitto soba de warai aeteru kara 

kono sora no shita de meguriau kiseki
miageta niji no mukou ai ni yuku kara
kono koe ga todoku made utaitsuzukeru yo
itsudemo donna toki mo kimi o omotteru 

ima no boku ni wa nanimo dekinai sonna ki ga shite
miageta sora ni kimi no hohoemu egao ukabeteru
bukiyou na boku ni wa shinjiru koto…
tada sore shika dekinai 

kono sora no you ni itsumo kimi o
chikaku ni motto soba ni kanjite itai
kono koe ga todoku made utaitsuzukeru yo
futari no tobira akete aruite yukou 

kimi to deatta sono hi kara omoi egaku My story
ameagari no niji no you na kimi ni tsunagaru
hashi o kakeru kara 

kono sora no shita de meguriau kiseki
miageta niji no mukou ai ni yuku kara
kono koe ga todoku made utaitsuzukeru yo
itsudemo donna toki mo kimi o aishiteru 

itsudemo donna toki mo kimi o aishiteru

Tradução


Céu


É um milagre que nos encontramos sob este céu.
Eu vou vê-lo do outro lado do arco-íris que vimos.
Eu continuarei cantando até que essa voz chegue até você.
Sempre, a qualquer momento, estou pensando em você.

Essa paisagem familiar parece diferente do habitual.
Mesmo as luzes da cidade de alguma forma parecem muito gentis.
É porque amanhã certamente estaremos rindo juntos, lado a lado.

É um milagre que nos encontramos sob este céu.
Eu vou vê-lo do outro lado do arco-íris que vimos.
Eu continuarei cantando até que essa voz chegue até você.
Sempre, a qualquer momento, estou pensando em você.

Sinto que não posso fazer nada agora.
No céu que vimos, lembro-me do seu rosto sorridente.
Eu acredito desajeitadamente ...
É tudo o que posso fazer.

Como este céu, eu sempre
Quero sentir você mais perto de mim.
Eu continuarei cantando até que essa voz chegue até você.
Vamos caminhar juntos enquanto a nossa porta se abre.

Desde aquele dia em que te conheci, imagino minha história.
Eu vou construir uma ponte para você,
Como um arco-íris após a chuva.

É um milagre que nos encontramos sob este céu.
Eu vou vê-lo do outro lado do arco-íris que vimos.
Eu continuarei cantando até que essa voz chegue até você.
Sempre, a qualquer momento, estou te amando.

Sempre, a qualquer momento, estou te amando.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

|Aula de Chinês| Aviso

大家好!

Como vocês repararam, faz duas semanas que eu não posto a aula de chinês, não é? Bem, eu vou voltar a postar dia 17. No momento eu estou me esforçando para revisar as duas unidades iniciais, repetindo freneticamente as lições que ainda tenho alguma dificuldade. Por isso, dei uma pausa nas postagens para poder estudar sem ficar misturando assuntos com a unidade três que é a postada no momento.
O curso de escrita que eu fiz estou vendo uma maneira legal de trazer os pontos principais para a tag escrita do blog. Assim que eu passar a limpo o rascunho das 12 aulas para meu caderno de estudos eu vou pensar numa maneira legal de postar aqui, okay?
Também avisando que a resenha do livro vai demorar um pouco a sair. Ainda não consegui voltar a ler, vou ver como ajeito esse problema. Dito isso, quero agradecer a vocês que leem o meu blog! Super beijo no coração!

|Mangá| Tasogare Otome X Amnesia e True Love

Capa do primeiro volume
Título Original: 黄昏乙女×アムネジア RR: Tasogare Otome × Amunejia
Outros Títulos: Dusk Maiden of Amnesia
Autor: Maybe
Gênero: Shōnen
Volumes: 10
Ano: 2009

Sinopse: Kanoe Yuuko, uma bela e jovem garota, morreu misteriosamente nos antigos prédios da Escola Particular Seikyou. E existe uma única pessoa que consegue vê-la: Niiya Teiichi, um novo aluno do 1º ano do Ensino Médio. Mas por algum motivo, Yuuko não se lembra de nada de seu passado, inclusive a respeito de sua própria morte. Agora cabe a Teiichi descobrir os mistérios quem rondam esta escola amaldiçoada, juntamente de sua provocante parceira fantasma Yuuko....

Depois de Kuzu no Honkai eu percebi que ler mangás não era tão complicado quanto eu pensava, além de serem muito pequenos (você passa de um volume pra outro e nem percebe) a orientação de leitura só é difícil no começo, desse modo comecei a pesquisar os animes que eu mais havia gostado para ler o mangá e o primeiro escolhido não poderia outro além de Tasogare, não apenas por estar finalizado, mas por tanto ouvir que o conteúdo do mangá era bem mais pesado do que o anime mostra. Como eu já resenhei o anime Leia Aqui e a história é basicamente a mesma, vou me ater apenas às diferenças da obra para o mangá tentando não spoilar muito, okay? Para começo o mangá conta com dez volumes, pelo que eu li o anime adaptou certa de quatro volumes de forma beeem rasinha, o primeiro e o segundo é os que estão melhor representados no anime, de forma tão fiel que eu sabia o que vinha na página seguinte antes de ler, mas o rumor de que eles pegaram leve no anime é super verdade, os mistérios que acontecem no mangá são bem mais pesados, mais interessantes e te prendem mais do que no anime, e gente o tanto de treta pesada que tem nesse mangá não tá na listinha, desde duplo suicídio até conspiração familiar para assassinato! Muita coisa foi mudada e/ou não adaptada da obra original, contudo, em relação ao final do anime eu posso dizer que é incompleto. No mangá nossas emoções são bem mais mexidas, le spoiler: ao que parece Niiya escolhe ir para o mundo dos mortos com Yuuko, é o que dá a entender.  Em contrapartida, na parte em que ele de despede dela no anime ficou bem mais bonita do que no mangá, lembro que assisti o anime três vezes e eu chorei nessa cena as 3 vezes! No mangá é muito rápido e não me passou aquela carga dramática que o anime teve. Essa parte ficou melhor. Contudo, acho que vale a pena ler o mangá sim se você viu o anime e se não viu também, é uma obra muito pequena que dá tranquilo pra ler em uma semana se você não tiver nenhuma outra leitura na pauta.

Título Original: não encontrei nada em japonês, acho que é true love mesmo.
Ano de lançamento: 2013
Autor: SUGIYAMA MIWAKO
Volumes: 7
Gênero: Shoujo, drama, romance

Sinopse: Ai ama seu irmão mais velho, Yuzuru. Ele é gentil, confiável e lindo. Sempre protege Ai de problemas e quando ela chora, ele a anima! Mas coisas ruins estão acontecendo: seus pais se divorciam e ela e seu irmão são separados. Agora, depois de 9 anos, Ai com 14 anos, encontra um garoto alto em frente de sua escola! Quem é ele!?

Eu achei esse mangá na indicação de um blog que no momento não vou me lembrar o nome (mas obrigada mesmo assim). No momento eu estava procurando por mangás com o tema incesto entre irmãos, pode parecer bem bizarro, mas eu acho muito fofo histórias com essa temática (as japonesas, só pra constar, não apoio incesto na vida real okay?). Desde que vi Boku wa imouto ni koi wo suru passei a nutrir certo vício por obras do gênero, mas não achei muitas indicações que não fossem ecchis muito pesados como Aki Sora ou hentais mesmo e eu gosto é do lado fofo da história. Quando saiu Ani ni Aisaresugite Komattemasu que vou resenhar aqui assim que sair o filme (quer dizer, sair já saiu só que ainda não tem na net pra assistir infelizmente) fiquei ainda mais louca porque ela tem todos os elementos que eu mais amo numa obra japonesa: um irmão apaixonado e perfeito envolvido emocionalmente com a irmã. Contudo, o mangá parece que tá de rosca (só saiu dois capítulos até agora) e depois de ver o minidrama 12 vezes estou esperando o filme. Aí, para matar minha fome de incesto japonês, eis que comecei a ler (e terminei praticamente num dia) os sete volumes dessa obra incrível!
A trama segue em torno de Yuzuru e Ai, dois irmãos que desde criança são muito apegados um com o outro e sofrem juntos com as constantes brigas dos pais. Por ser mais frágil, Yuzuru sempre assume a proteção de Ai e suporta as dores na tentativa de passar segurança para a irmã mais nova. Mas quando os pais finalmente decidem se divorciar os dois irmãos que prometeram ficar juntos para sempre se separam, Ai vai embora com a mãe para uma cidade interiorana enquanto Yuzuru fica com o pai e se muda para os EUA. Seis anos se passam e Ai, agora com 14, não tem notícias do seu irmão desde a separação, certo dia na escola um belo rapaz a espera no portão da escola e inesperadamente a abraça, ela quase não reconhece que aquele é Yuzuru, seu irmão mais velho.
A atração que sentiu por ele inicialmente foi suprimida ao saber que ele era o seu aniki e ela não conseguia conter a felicidade por estar ao lado dele novamente. Por alguma razão ele pediu que ela mantivesse o encontro deles em segredo e eles trocaram números de telefone para continuar se falando. Yuzuru não consegue parar de pensar em como a irmã ficou bela e os sentimentos que carrega secretamente consigo desde a infância (e que o tolheram de ter uma namorada durante toda a vida) afloram, mas ele sabe que é impossível dizer a Ai a verdade sobre o que está no seu coração.
Algum tempo depois os pais de ambos decidem se casar novamente e sabendo que seria incapaz de ficar perto de Ai diariamente escondendo aquele segredo, Yuzuru decide continuar no seu apartamento uma vez que já teria que lidar com ela na mesma escola que ele. Ai vem a descobrir que seu aniki é muito popular no colégio e passa a receber tratamento especial quando descobrem que ela é sua imouto. Mas o que acontecerá quando a única amiga de Ai e o melhor amigo de Yuzuru se apaixonam por eles? A bagunça está armada, terá ele coragem de dizer a Ai o que sente? E ela terá coragem de assumir seus sentimentos por ele mesmo sabendo que é errado?
Vocês não tem noção de como eu amei esse mangá! Infelizmente ainda falta postarem o capítulo de conclusão, tem ele em português até o volume cinco, o seis e o sete eu li em inglês no Chibimanga. Sério, se puderem dar uma conferida (claro, se gostam do tema), leiam que vale a pena! E, só acho, que deviam ter feito um anime desse mangá, ia ser a coisa mais fofa dessa vida.

terça-feira, 20 de junho de 2017

[Chinês] 大,小,热,冷 SUJEITO + 很 + ADJETIVO / NEGAÇÃO DO ADJETIVO

Em chinês, quando se descreve um adjetivo a um substantivo, é necessário usar advérbio que conecte os dois elementos. Estes advérbios podem ser os seguintes: 很 (Hěn) muito, 非常 (fēicháng), extremamente, etc. A estrutura frasal é:
SUJEITO + ADVÉRBIO + ADJETIVO
中国
Zhōngguó hěn dà
A China é muito grande.

OBS.: É importante ressaltar que em mandarim não se admite o uso do verbo 是 neste tipo de oração, é fundamental o uso de um advérbio. O advérbio de intensidade 很 é frequentemente usado neste tipo de oração.

A forma negativa da estrutura frasal anterior é:
SUJEITO + 不 + ADJETIVO
中国
A China não é grande.

Palavras Novas:

大 (dà) grande
小 (xiǎo) pequeno
热 (rè) quente; calor
冷 (lěng) frio
很 (Hěn) muito

Ideogramas da lição:
dà - grande


彳(chì) - passo, pegada.
艮 (gèn) - colina
演习
我的狗很大。(Wǒ de gǒu hěn dà.)
Meu gato é muito pequeno.
我的桌子很大。(Wǒ de zhuōzi hěn dà.)
A cama dele é muito pequena.
公园很大。(Gōngyuán hěn dà.)
今天很热。(Jīntiān hěn rè.)
早上很冷。(Zǎoshang hěn lěng.)
Ao meio dia faz muito calor.
Eu tenho mito frio.
A escola não é grande.
Eu não tenho frio.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

[Anime-Se!] Lovely Complex Anime + Filme

Título Original: ラブ★コン RR: Rabu★Kon
Ano: 2007
Autor: Aya Nakahara
Direção: Konosuke Uda
Gênero: Shoujo, comédia, romance
Temporadas: 1
Episódios: 24
Nota: *****

Sinopse: Uma comédia romântica que conta a história de dois estudantes do ensino médio que estão desesperadamente à procura de um amor. Koizumi, uma jovem muito charmosa e engraçada, e Otani um rapaz bonito e carismático. Mas ambos possuem um pequeno impedimento ao procurarem a pessoa certa: Koizumi é alta demais e Otani baixo demais. Eles sempre andam juntos, são até apelidados de All hanshin-Kiojin (uma dupla de comediantes japonesa). Com o passar do tempo todos seus amigos vão formando casais e só os dois continuam solteiros. Quem sabe um dia os All hanshin-Kiojin arranjem alguém que os ame de verdade.

Ah, sim! Finalmente vou falar de Lovely Complex! Minha irmã estava me enchendo pra ver esse anime desde o ano passado, então, essa semana que passou a gente acabou vendo o filme e eu ri muito, decidi terminar Noragami que só faltavam cinco episódios e tirei o domingo pra maratonar o anime (terminei 1:30 da manhã!) e valeu muito a pena! Mas vamos do início.
Risa Koizumi é uma jovem cheia de vida e super engraçada que deseja ardentemente encontrar um namorado, o único problema é que ela tem 1,70 metro! Por isso, de modo algum ela aceita sair com rapazes mais baixos que ela. Em contrapartida, Atsushi Otani sofre com o problema contrário, ele tem 1,56 e de jeito nenhum sairia com uma garota mais alta que ele. Os dois estudam na mesma sala e são conhecidos por viverem em pé de guerra, mas também estarem sempre em sintonia perfeita (eles falam ao mesmo tempo com muita frequência), por isso são sempre colocados como representantes de turma e têm um apelido engraçado, all hanshin-kiojin nome de uma dupla de comediantes do Japão.
Otani é apaixonado por uma das amigas de Risa, mas a menina têm uma quase fobia de garotos. Enquanto Risa é caidinha por um novato na escola de quem Otani promete se tornar amigo para ajudá-la se ela fizer o mesmo com ele. Assim, os dois se empenham em juntar os pares sem sequer perceber que eles próprios têm muito em comum e são igualmente malucos. Acaba que os dois amigos por quem eles estavam apaixonados se apaixonam formando um casal e acabando com qualquer esperança dos amigo-inimigos. 
Derrotados, em meio a uma briga eles acabam desafiando um ao outro para descobrir quem consegue um namorado primeiro. Se ela ganhar, Otani promete comprar qualquer jogo que ela queira e, caso ele ganhe, ela tem de lhe comprar um par de tênis de basquete. Assim, começa uma correria desesperada para conseguir um namorado enquanto seus dois casais de amigos que já namoram começam a insistir que eles se tornem um casal, não apenas por serem muito parecidos e viverem brigando como um casal casado há anos, mas por terem muito em comum como a paixão musical por Umibozo, um rapper japonês (ficcional creio eu).
E de fato é quase o Umibozo que junta os dois! Mesmo tendo muito em comum, nem Risa nem Otani dão o braço a torcer em relação a se gostarem, contudo, a convivência e, principalmente a atitude de Otani no natal, começam a fazer Risa pensar no ami-nimigo (acabei de inventar isso) como um garoto e, quando menos se dá conta, está apaixonada por ele. E não fosse problema o bastante ela mesma custa a acreditar que isso está acontecendo, mas aconselhada (vulgo pressionada/forçada/intimada) por sua melhor amiga Nobu-chan a dizer a ele a verdade ela confessa seus sentimentos e BAM! Ele leva na brincadeira.
Incapaz de acreditar que Risa realmente gostaria dele Otani pensa que ela estava brincando o que acaba machucando muito os sentimentos dela. Porém, quando finalmente encara que ela não estava brincando começa a questionar os próprios sentimentos concluindo que não é capaz de vê-la como namorada, inicialmente Risa pensa que é porque ela é muito mais alta que ele e encara que, comparada a ex namorada de Otani ela não tem a menor chance. Contudo, quando um professor belíssimo que se parece muito com o namorado do jogo que Risa é fã aparece na escola e começa a dar-lhe atenção, Otani começa a perceber que não gosta quando ela olha em outra direção que não a sua e que isso não tem somente a ver com seu ego. Contudo, admitir seus sentimentos e, sobretudo, entendê-los parece ser uma tarefa difícil demais e ele não tem tempo para isso uma vez que está a um passo de perder Risa para outro.
Em contrapartida, a própria Risa dá duro para conquistar o coração do baixinho que se tornou mais especial do que ela poderia imaginar, mas a tarefa parece exigir cada vez mais dela ao ponto de perder todas as suas esperanças. Ela terá forças para desistir de vez de Otani e seguir em frente em busca de outra pessoa para dar seu coração? E Otani será capaz de admitir que está apaixonado pela gigantona que ele só via como amiga?
Não há palavras para dizer como esse anime é amorzinho! Eu dei altas gargalhadas com ele e, mesmo que não tenha chegado a me fazer a proeza de chorar, doeu bem muito algumas cenas. As caras e bocas principalmente da Risa e da Nobu são de matar a gente de tanto rir, no geral o anime é bem leve e super fofinho! Mas não se limita a isso, a mensagem por trás da história é o ponto chave de tudo. Nós temos uma protagonista alta, nem um pouco "delicada" ou "feminina" de acordo com os padrões sociais e um protagonista baixinho e comum, nada saradão ou metido a briguento e é essa divergência real de gente como a gente que faz a história ser tão tocante. Cada um deles vive sob o próprio complexo de aparência e inferioridade e eles se apoiam para amenizar isso.
Me identifiquei muito com algumas das dificuldades enfrentadas pelas personagens do anime, acompanhar o crescimento e o amadurecimento deles e dos seus sentimentos não é apenas divertidíssimo, mas muito bonito de se ver. Ele se equipara bem a Kimi ni Todoke por ser divertidíssimo e contar com um casal que pena muito pra finalmente se assumir. No caso aqui mais pelo Otani ser lento como uma competição de corrida entre lesmas. Mas, ao contrário de Kimi, Lovely Complex não nos deixa nem um pouco frustrados contando com beijinhos super fofos entre os protagonistas! Vale muito a pena ver, é sério! O final do anime não é cem por cento fechado, mas é bom e acho que conclui bem.

Título Original: ラブ★コン RR: Rabu★Kon
Ano: 2006
Autor: Aya Nakahara
Direção: Kitaji Ishikawa
Gênero: Shoujo, comédia, romance
Elenco:  Ema Fujisawa, Teppei Koike,  Nami Tamaki, Yusuke Yamazaki,  Hiro Mizushima

Se tivessem feito um dorama ou webdrama teria sido muito mais proveitoso. Como filme, Lovely Complex perdeu a maior parte do seu charme e dos personagens que contribuem para a carga cômica da obra. Eles mudaram e apressaram muita coisa pra caber em uma produção tão curta e apesar da adaptação ter ficado boa, foi o que aconteceu com Kimi ni Todoke também as melhores partes foram cortadas. Inclusive, até a família da Koizumi foi mexida, no anime ela mora com os pais e um irmão e trocaram o irmão dela por uma irmã mais velha sinistra. Cenas como o beijo do terraço, minha favorita, foi cortada no filme. na verdade basicamente todos os beijos do anime foram cortados no filme.
Achei boas as atuações na parte cômica os atores tiveram uma química até boa e gente, eu mal posso acreditar que o Teipei Koike que interpretou o Otani tem 31 anos! Que cara de 15! Enfim, o mesmo que eu disse em Kimi ni Todoke digo aqui, poderia ter sido melhor sim, acho que é uma história boa demais para ser condensada em um filme.

sábado, 17 de junho de 2017

[Anime-Se!] Noragami

Título Original: ノラガミ /RR noragami
Gênero:  Ação, Aventura, Comédia, Romance, Sobrenatural
Ano: 2014/2015
Direção: Kotaro Tamura
Temporadas: 2 (total: 25 eps e 4 OVA)
Noragami - 12 episódios + 2 ova
Noragami Aragoto - 13 episódios + 2 ova
Nota: *****

Sinopse: Hiyori Iki era uma estudante comum do ensino médio até ser atropelada por um ônibus enquanto tentava salvar a vida de um rapaz de moletom chamado Yato. Esse incidente causou a transformação de Hiyori em meio-fantasma. Em seguida, ela descobre que Yato é na verdade um deus, e ela acaba sendo levada para dentro do mundo dos deuses enquanto tenta se manter no reino dos vivos.

Gente, eu precisava vir falar desse anime que terminei hoje mesmo porque ele é muito bom! Não lembro a última vez que fiquei tão empolgada com um anime desse jeito! 
A história gira em torno de Yato, um deus desconhecido que acaba de perder sua regalia (uma alma que serve ao deus como arma depois que ele lhe dá um nome) por ser um nômade sem templo e sem reconhecimento. Ele acaba sendo salvo de ser atropelado por uma estudante colegial chamada Hiyori Iki, mas esse salvamento acaba custando a ela um preço: sua alma constantemente vive saindo do seu corpo. 
Com isso, ela passa a ser próxima de Yato, uma vez que solicitou a ele a solução do seu problema. Pouco se sabe sobre o passado de Yato, a única coisa de que Hiyori se inteira é que ele dissemina ayakashis, espécies de almas demoníacas que possuem pessoas e corrompem deuses levando-os à morte. Em uma batalha, ele acaba salvando uma alma de ser devorada por um ayakashi e a toma por regalia, batizando-a de Yukine na sua forma normal e de Sekki em sua forma de arma.
Yukine não lembra de nada do seu passado, não sabe como morreu ou quem era e, no começo, a convivência entre ele e Yato não é nada fácil. Hiyori é uma grande ajuda para os dois uma vez que os mantêm unidos e é quem ajuda Yukine a tolerar o jeito infantil e as vezes impulsivo de seu mestre. Uma amizade intensa se forma entre os três, mas os perigos que cercam o mundo dos deuses pode pôr a vida de Hiyori em risco uma vez que, se a causa que ela tem em seu modo espiritual for cortada ela morre. 
Yukine começa a desejar uma vida mortal que não pode ter e sempre que ele tem pensamentos ruins ou comete crimes, Yato acaba sofrendo com isso, pois os pecados de uma regalia corrompem o corpo do seu mestre e ele pode acabar morrendo. Não bastasse isso, antigos inimigos de Yato começam a surgir colocando sua vida em xeque e usando Hiyori - seu novo ponto fraco - para machucá-lo. Os três vão precisar de toda sua união e coragem para enfrentar os perigos que vem pela frente, principalmente porque, se Hiyori se esquecer completamente dele, há a possibilidade de Yato deixar de existir.
O anime é muito bom pra quem gosta de uma coisa leve, engraçada e um pouco romantica também embora não seja o foco. Yato é um deus muito maluco, mas conforme vamos conhecendo o seu passado descobrimos um pouco mais sobre o seu jeito. Yukine é bem chato no começo, chega uns episódios que a gente fica realmente com raiva dele, mas no fim acaba se tornando um dos melhores personagens. Hiyori é uma fofa, corajosa, inteligente, determinada e leal. Há também as personagens secundárias que contribuem para deixar o anime ainda mais divertido sem contar que temos uma dose extra da religião politeísta japonesa. De longe um dos animes mais legais que já vi, super recomendo mesmo!

[Chinês] Adjetivos e Advérbios (introdução)

O quanto você gosta de estudar Chinês?

Em Chinês, os advérbios 很 (Hěn),    非常(fēicháng) e  太 (tài) possuem uma graduação hierárquica onde:

非常 mais intenso que 
mais intenso que 非常

É importante salientar que 很 não expressa necessariamente a intensidade de "muito"em português, em geral o advérbio 很 é usado para completar a estrutura de uma oração. Onde um adjetivo necessita ser acompanhado de um advérbio. Por exemplo: 你很漂亮 (nǐ hěn piàoliang) esta frase pode ser traduzida como você é muito bonita, mas esta mesma frase dita em chinês não quer dizer necessariamente que você é muito bonita, podendo ter o sentido de que você é apenas bonita.
INTENSIDADE
IDEOGRAMA
PINYIN
TRADUÇÃO
Leve
你很漂亮
nǐ hěn piàoliang
Você é muito linda
Médio
你非常漂亮
nǐ fēicháng piàoliang
Você é extremamente linda
alto
你太漂亮了
nǐ tài piàoliangle
Você é linda demais.

House of Dissapeared, Suddenly 17 e A Bela e a Fera!

Título Original: 시간위의 집 Shiganwiui Jib lit. casa sobre o tempo
Lançamento: 6 de abril de 2017
Direção:  Lim Dae-Woong
Gênero: thriller, mistério
País: Coréia do Sul
Elenco: Kim Yunjin, TaecYeon e Jo Jae-Yun

Sinopse: Há 25 anos, Mi Hui (Kim Yoon Jin) era uma dona de casa comum, casada com Chul Joong (Jo Jae Yoon) e tinha um filho. De repente, seu marido morreu e seu filho desapareceu. Tudo isso aconteceu em sua casa. Mi Hui foi presa nos últimos 25 anos. Ela agora é libertada da prisão e volta para a casa onde tudo aconteceu. Mas ocorrências estranhas começam a acontecer. O Padre Choi (Taecyeon) é atencioso e é o único a acreditar na versão Mi Hui dos eventos. Ele se aproxima dela com genuína preocupação e tenta o seu melhor para desvendar o segredo do que realmente aconteceu há 25 anos em sua casa.

A premissa desse filme parecia muito interessante, curto o gênero suspense então peguei o dia da minha irmã e nos dispusemos a começar nossa sessão cinema com ele. A história se passa em uma residência parcialmente afastada da cidade em que Mi Hui mora com o marido e dois filhos, um deles sofre de uma doença rara no coração. Certa noite, alguém invade a casa dessa mulher em um momento que o marido - que tinha chegado bêbado em casa e fora posto para fora por ela - não está. Apavorada com a segurança dos filhos ela chama a polícia de cujo departamento, inclusive, seu marido faz parte da polícia, mas quando eles só encontram as digitais dela dentro da casa sem qualquer sinal de arrombamento, ninguém acredita no que aconteceu.
Há alguma coisa dentro da casa, durante a premissa passam alguns flashbacks do passado e temos uma noção média do que aconteceu ali, contudo, não sabemos o que houve na noite fatídica que o filho mais velho de Mi Hui desapareceu e seu marido foi assassinado. A família vinha passando por problemas com a infidelidade de Chul Joong e a morte precoce de seu filho mais novo Ji woon. Acusada dos crimes, Mi Hui no fim da vida quer desvendar o mistério do que aconteceu na casa que um dia chamou de lar e ter a chance de descobrir o paradeiro dos espíritos que levaram embora seu filho mais velho.
Eu achei o filme meio confuso e sem nexo em algumas partes, sinceramente. Os sustos não são grandes e pra mim só valeu a pena pra ver o Taecyeon mesmo. Não digo que é um filme previsível, ao contrário, a história é tão confusa que nem dá pra prever o que vem a seguir, no fim não sei se eu não prestei atenção ou o que foi, mas não entendi ainda a origem do mal na casa, não explica o porque daquela fenda. 

Onde achar: Mahal Dramas (necessário cadastro)
Trailer:



Título Original: 28岁未成年/ 28 Suì wèi chéngnián
Lançamento: 2016
Direção: Zhang Mo
Gênero: Comédia, romance
País: China
Elenco: Ni Ni, Wallace Huo, Darren Wang

Sinopse: A obsessão da noiva por um casamento perfeito coloca uma tensão em seu relacionamento e, incapaz de resistir a suas demandas, o noivo finalmente a convida para sair e rompe com ela. Em um estado de coração partido, ela descuidadamente ingere um objeto mágico, que transporta a mente de 28 anos para quando ela tinha apenas 17 anos de idade. Então, ela revisita seu passado e aprende o que é preciso para se amar novamente.

Liang Xia e Mao Liang estavam juntos ha dez anos e ele nunca a propôs casamento. No dia da quarta cerimônia de casamento da sua melhor amiga, as duas armam um plano para pressioná-lo a fazer o pedido, mas Xia é rejeitada na frente de todo mundo. Mao só liga para o trabalho e para agradar seu chefe de quem é um completo puxa saco. Desesperada para salvar seu relacionamento e sentindo-se diminuída, ela acaba comprando uma caixa de chocolate que promete deixá-la eternamente mais jovem e, assim, reconquistar seu parceiro, mas o que acontece é que ela acaba voltando no tempo para quando tinha 17 anos e, durante cinco horas (que é a duração do efeito mágico do chocolate) a pequena Liang como é chamada assume o controle e transforma a vida de Liang Xia de 28 em uma bagunça.
Ela acaba se envolvendo em uma espécie de quarteto amoroso com Yan por quem sua eu de 17 anos é apaixonada e Mao a quem sua eu de 28 quer reconquistar. Nesse entremio, Xia se lembra das coisas que queria fazer aos 17 anos e do que planejou para o próprio futuro, mas acabou deixando de lado para se dedicar apenas a Mao Liang apagando sua própria existência em prol de um homem que não lhe dava o mínimo valor. Por isso, sua eu de 17 anos vai fazer o que for preciso para ensinar uma boa lição a adulta chata que ela não quer mais ser.
Gente, esse filme é legal e irritante ao mesmo tempo! Liang Xia é uma babaca submissa de 28 anos que não sabe viver longe da barra da calça do babaca do Mao Liang que é um puxa saco descarado do chefe e vive em prol da autopromoção. Eu fiquei meio irritada o filme quase todo com ela por causa disso, ela é passiva demais, como se na vida dela a única coisa significativa fosse o trouxa do Mao. Aí, a eu de 17 anos dela conhece um carinha no metrô chamando Yan que tudo que quer é transar com ela e, quando ela se recusa, ele arruma uma que queira. Por aí já prova que essa mulher desde sempre teve um dedo podre pra homem.
Achei bacana a mensagem de se redescobrir e de colocar prioridades para si mesmo, lembrar das coisas que realmente importam e se desprender da infantilidade e inocência sem deixar para trás sua essência. Contudo, na maior parte do tempo é uma mulher sem qualquer amor próprio correndo atrás de um homem que não lhe dá o mínimo valor.

Onde encontrar: LINK PRA DOWNLOAD
Trailer:


Título Original: Beauty and the Beast
Data de lançamento: 16 de março de 2017
Direção: Bill Condon
Elenco: Emma Watson, Dan Stevens, Luke Evans mais
Gêneros: Fantasia, Romance, Musical
País: EUA

Sinopse: Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela (Emma Watson) tem o pai capturado pela Fera (Dan Stevens) e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade dele. No castelo, ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana.

Esse a história é conhecida de todo mundo né? Nem vou me deter no enredo. O que eu tenho pra dizer dessa adaptação live action da Bela e a Fera é simplesmente: não gostei. Pronto.
Alguns pontos são positivos sim, o figurino da época exagerado, com aquelas perucas extravagantes bem a cara da França foi muito bem elaborado de fato, a ambientação foi boa e houve umas cenas que não tem no desenho que achei legal também a pegada cômica nao funcionou no filme todo, mas em algumas partes ficou legal. No entanto achei as atuações muito vazias, sério, sem emoção nenhuma! Eu conheço os trabalhos da Emma Watson e fiquei bestificada com a atuação dela nesse filme, mecânica, como se tivesse feito por fazer, o Dan Stevens que eu conheço das adaptações de Jane Austen e sei que é um excelente ator, também não me convenceu como príncipe fera, ainda que em algumas cenas tenha se saído bem.
Aquela cena final foi uma das piores. Lembro que na primeira vez que assisti o desenho, eu devia ter por volta de uns nove anos acho, eu chorei litros. Mas no filme ficou podre, sem emoção nenhuma, zero. Os efeitos especiais eu também não achei tudo isso. Foi bem o que aconteceu com Cinderella e Caminhos da Floresta, fizeram maior expectativa, só vi o povo fazendo barulho, mas quando fui ver rolou a maior decepção.  Basicamente isso. Não recomendaria.
Trailer: