sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Entenda a Letra: Valentine - Xandria

Eae!
Então eu to voltando com o entenda a letra dessa semana - acho até que eu vou colocar isso como tag de sexta! - e nessa semana a gente volta com o bom e velho metal sinfônico dentro do gothic metal, com a linda e maravilhosa Manuela Kraller, e essa profunda e belíssima música que é Valentine. O motivo de eu ter escolhido essa letra foi uma colega de curso de inglês que se chama Valentina, a minha personagem de Beauty and The Beast que também se chama Valentina e também o fato de eu ter me re-apaixonado pela música nessa semana. É uma letra bem ambígua e interpretativa, então possívelmente eu não vou me dar muito bem com ela, fiz pouca pesquisa e dei a minha visão sobre a letra. Então fiquem a vontade para complementar e dar seus pontos de vista - com educação u.u'.
Valentim
Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos sonhos
Esta é a época da colheita, provar o vinho vermelho-sangue
Desta arte dourada, que é derramada a partir do meu próprio
Coração
A letra dessa música não é só intensa, mas interpretativa e até mesmo histórica. Eu obviamente não sou “estudada” o bastante para analisa-la profundamente, mas vou tentar. Valetim se refere à um bispo romano que realizava casamentos em uma época que Claudio II, imperador de Roma, impediu que os jovens se casassem a fim de formar um enorme exército. Quando a letra refere-se Valentim, é como os namorados assinam as cartas entregues ao amado no Valentine’s Day. Mas ao que parece o eu lírico dessa música não está muito feliz. Vendo de maneira interpretativa, a segunda estrofe revela muita coisa, entregar-se – possivelmente – de corpo e alma à uma ilusão, um amor que não vai durar, a época da colheita pode ser interpretada como o dia dos namorados por exemplo, a arte dourada que é a conquista, o sentimento derramado do coração puro que conhece o amor pela primeira vez e a dor de tê-lo desfeito.

É tão difícil ver a meu rosto
Na desgraça fria do espelho
Eu quero saber o que é isso que me tornei
Um desejo infantil abandonado
Tão fácil para seduzir
Parece que é apenas um passo para cair
Viu como eu disse que a letra da música é altamente interpretativa?
Bom, aqui nas três primeiras versos fica bem na cara que o eu lírico dessa letra se odeia – bem like me – e a confusão sobre si mesmo pode ser originada de n possibilidades entre elas a amargura de ter sido constantemente magoada. Esses últimos versos contradizem o fato de ter sido muito magoada, mostram que o eu lírico pode ser uma “iniciante” na arte do coração, e assim fácil de ser seduzida e, consequentemente, magoada, apenas um passo para sua própria destruição.

Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos
Sonhos
Eu não falo do refrão duas vezes, mas essa parte dele me chama a atenção, ela fala diretamente para a pessoa que gosta e pede que ele lhe parta o coração, porque é o que ela espera que ele faça. No segundo verso, o brilhante e inalcançável sonho é o amor que ela acredita ser impossível.
Mal posso escrever estas linhas
Porque eu já assinei
Meu nome através da parede de orações
Agora, eu ouvi meu nome
Soando como uma culpa
Eu fecho meus olhos e começo a cantar minha canção
É nítido que essa garota (ou garoto né) ta sofrendo. O terceiro e quarto verso me chamam a atenção, escrever o nome através da parede das orações pode implicar dizer que ele ou ela reza para alguém o que me reforça a ideia de São Valentim dita na primeira estrofe. Nos versos seguintes, é como se o sentimento que ela nutria dentro de si, e que se permitiu viver tivesse sido interpretado como um erro, provavelmente até mesmo pela pessoa objeto de sua devoção, daí o nome “soando como uma culpa”.
Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos
Esta é a época da colheita, provar o vinho vermelho-sangue
Desta arte dourada, que é derramada do meu coração

Se eu estou olhando para trás
Esquecendo-me do tempo
Há algo que está queimando sem parar
Só há – para mim – uma maneira de encarar essa estrofe: revivendo o passado que não pode voltar para desfazer, nada queima tanto por dentro do que lembranças, principalmente lembranças de algo que você anseia esquecer.

Oh, oh, oh pactum, fraudis! (X4)
Sanguinans!
Para os que não falam Latim (nós temos uma noção mínima em letras) “Pacto, Fraude, Sangue!” Isso até me lembra Romeu e Julieta. Pacto pode representar as promessas feitas para serem quebradas, fraude é o momento da descoberta de que elas não eram verdadeiras, e ainda mais, pode ser interpretada pela maldade de sentimento de quem mente. Sangue... Bem... As consequências deixadas por essa atitude cruel. Lembram que na quarta estrofe o eu lírico escrevia, possivelmente ele pode estar escrevendo uma carta de suicídio? É uma letra gótica (gothic metal, doom metal) é muito possível.
Eu vivo em memórias, lançado em melodias
Eles morrem em harmonia com a ganância e traição
Reforçando a estrofe anterior ao latim, viver em lembranças, lançada em melodias pode significar uma maneira de amenizar a dor. Já o segundo verso fala da pessoa que a feriu, e o fato de “Morrer” não está diretamente ligado ao fim da vida, mas ao caminho que essa atitude vai levar as pessoas que o trilham.
Seja o Valentim, parta o meu coração
Dê a sua inocência para o mais brilhante dos
Esta é a época da colheita, provar o vinho vermelho-sangue
Desta arte dourada, que é derramada do meu coração

Como eu posso fugir dessa dor sem fim?
Se ela estava mesmo escrevendo uma carta de suicídio e tudo nessa letra indica um desejo profundo de morte, eu não preciso mesmo responder a essa pergunta não é?

---////---

Um dado Histórico:
São Valentim (ou Valentinus em latim), é um santo reconhecido pela Igreja Católica e igrejas orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
O imperador Cláudio II, durante seu governo , proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objetivo de formar um grande e poderosoexército. Cláudio acreditava que os jovens, se não tivessem família, alistar-se-iam com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega, Astérias, filha do carcereiro, a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram apaixonando-se e, milagrosamente, a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270.
Entretanto, desde 1969 sua data não é mais celebrada oficialmente pela Igreja Católica em função da precariedade de comprovações históricas que levam em questão até mesmo a sua existência.1
[FONTE: Wikipédia]



quinta-feira, 28 de novembro de 2013

WeekGame

O Jogo dessa semana ta muito... Diferente. Nunca imaginava isso e muito menos o resultado em um único vídeo rsrsrs enfim, apreciem!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

For Amelie - Cover for a friend

aqui está Rob, você pediu e eu gravei... Não ficou lá muito bom, mas foi o melhor que consegui - notas chatinhas - eu gostei muito da música, obrigada pelo pedido :D

Diário de Uma Paixão - Resenha Livro + Filme

Eu já havia visto o filme desse livro antes, e como acontecera com Orgulho e Preconceito eu temia detestar o livro e o peguei apenas com a curiosidade de ver o quanto do livro havia no filme e o quanto do filme havia no livro. Fora uma surpresa. A adaptação fora feita de maneira “fraca” e fora de ordem, mas muito semelhante ao livro, por isso eu gostei tanto.
Voltando à história. Diário de uma paixão é o tipo de livro que mesmo que você não queira, chora enquanto folheia as últimas páginas... É um tipo de amor que não existe mais, que eu acho mesmo – por tudo que já vi – até difícil que tenha mesmo um dia existido. Acompanhamos Noah e Allie em um mundo de dificuldades, preconceitos sociais, amor juvenil e maduro e a real beleza da vida... Eles construíram juntos uma história que eu desconfio muito que possa um dia ter sido real para alguém, ao mesmo tempo em que oro dentro de mim para que possa ter existido e, assim, me agarrar a esperança de que o amor é realmente a força que eu acredito que seja. Noah é um exemplo de que não devemos desistir de nada, não importa o quão difícil sejam as coisas, ele nos ensina a apreciar a beleza verdadeira da vida, a ver e dar importância ao que realmente é fundamental, a ser honesto e plantar boas sementes por onde quer que passemos, a ser trabalhador e não ter medo de se entregar ao que se sente. Allie é o tipo de pessoa com quem eu me identifico, não pelo fato de ser rica – o que eu não sou. – e ter tudo que quer à mão, mas pelo fato do medo que tem de tudo ao mesmo tempo em que vive em um ímpeto de quebra-los e arriscar. Ela é sincera, e é ai que acaba a semelhança entre nós, porque ela também é espontânea, é dinâmica, cheia de vida, uma verdadeira arista, como afirma Noah. E juntos eles fizeram diferenças virarem igualdades, dificuldades se tornarem festas, tristezas se converterem em força e o tempo o palco e expectador da mais poderosa manifestação de amor já pensada um dia.
Ler Diário de Uma Paixão foi mais que uma viajem para um lugar distante com pessoas novas – como as leituras me costumam ser – foi um despir das minhas emoções e sonhos, foi um enfrentar de sentimentos e um expectar de algo transcendental, único, sincero e intenso. Um amor como o descrito nesse livro é algo que não pode ser explicado por nada, é algo divino e tão alto como só Deus poderia ter feito. Cada palavra que meus olhos fitaram e minha mente captou ficou guardada no meu coração e na esperança de que, mesmo sozinha, pelo menos por um momento em minha vida eu pude acreditar que existe algo maior que a vida, a dor e a morte, que eu acreditei realmente que o que chamam amor realmente existe.
Agora vou falar um pouco sobre o filme, a adaptação de 2004 The Notebook, tem pouco ou nada a ver com o livro! Poderia até dizer que há dois Diários de uma paixão, o livro e o filme. Começando pela personalidade do Noah, que no livro é descrito por Allie como um cara muito tímido no primeiro encontro deles e no filme pula em uma roda gigante e acaba de cuecas – se isso é timidez então eu tenho problemas mentais! - a ordem de acontecimentos é completamente diferente e a maneira como o passado e o presente são expostos também está em quase completo desacordo com o livro, como, por exemplo, temos: A visita de Martha a Noah quando Allie está com ele que no livro não acontece; a chegada da mãe de Allie na casa de Noah, que é, no livro, atendida por ele e participa da conversa que ela tem com a filha, e no filme apenas ela e Allie fazem parte da conversa. O amor de juventude da mãe que não é citado no livro; o diálogo entre Allie e Lon que foi completamente modificado assim como a leitura do diário e os diálogos na casa de repouso.
Isso entre tantas outras coisas; é como se o roteiro do filme tivesse se baseado bem parcialmente no livro, não que tenha ficado ruim, não ficou, mas acho que deveriam ter dado juiz ao nome adaptação, que certamente não se aplica a esse filme em relação ao livro. O final de ambos também foi modificado – e bem modificado – podemos dizer que no livro o final é razoável, e no filme é trágico e triste embora igualmente belo. Em minha opinião, (se não entendeu essa expressão releia antes de me criticar) quando Nicolas Sparks escreveu o final de Diário de uma paixão ele estava pensando em algo comovente e esperançoso, como o milagre ao qual Noah se refere intensamente nos últimos capítulos... E esse milagre se dissolveu no filme, transformando-o em um Romeu e Julieta da vida quase... Algo profundo, mas com um desfecho triste – e confesso, eu chorei demais quando assisti a primeira vez! – novamente reforço o que eu disse, em momento algum disse que o filme é ruim, mas não acho de forma alguma que ele tenha a ver com o livro. De qualquer forma, vale a pena vê-lo, eu recomendo tanto quanto o livro.

Bom galera, essas foram as minhas impressões de ambos e essa é a minha resenha para Diário de Uma Paixão. Espero que tenham curtido. Estou atualmente lendo A Menina que Roubava Livros, que peguei emprestado com uma amiga. Minha meta de leitura de 2013 foi concluída com êxito e estou imensamente satisfeita.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Relacionamentos de Hoje em Dia? Obrigada, estou fora!

Eu ando bem irritada galera... Na verdade as emoções dentro de mim andam de tal forma que eu não sei exatamente o que ando sentindo... É muita sensação misturada. Aconteceu algo ontem que me deixou profundamente chateada e o quanto antes a minha irmã sair desse emprego e recuperar o viço da sua alegria melhor eu vou me sentir. Não sei se vocês tem notado que eu tenho aparecido menos aqui no blog com relação à mim mesma... Como eu havia dito antes, a minha irmã me comprou um diário então eu vou dosar bem o que dividir aqui no Book Of Days, e coisas como essas que eu presenciei ontem é preferível que fique apenas onde só eu posso ter acesso. Há muito admito que eu precisava de um diário e agradeço profundamente a ela por ter me dado mais esse “cano de escape” para minhas emoções diárias que são, em sua grande maioria, ruins.
Os anos vão passando, mas é surpreendente como algumas coisas nunca mudam! Quando eu tinha doze anos de idade, a maior diversão e até mesmo empenho de parte das minhas amigas na escola era a pretensão de que eu “desencalhasse”, não sei se pelo fato de elas acharem que um namorado colocaria fim ao meu estado depressivo que eu descobriria mais tarde ser endógeno, ou se pelo fato de elas se admirarem por eu ser virgem da boca naquela idade quando até os primos eram válidos como primeiro beijo. De fato, eu não me preocupava com isso, admito até que gostava da arte de tentar cativar alguém, mas a ideia de um relacionamento era apavorante pra mim! (Ainda é). Eu tinha outras aspirações, queria ser escritora, queria subir na vida e ser literalmente “dona do meu nariz”, queria ter um futuro, um cachorro e morar em um apartamento ou uma casa com jardim pelas bandas dos Estados Unidos ou em algum cantinho na Inglaterra. Com o passar dos anos muitas dessas aspirações mudaram, com as dificuldades, morar fora se tornou uma ambição quase morta, que ficara em coma no fundo da minha mente, mas o desejo de escrever só aumentou... E mesmo que esse pareça um sonho cada dia mais distante, não é algo que eu consiga desistir. Mas a persistente ideia das pessoas que me cercam de que eu realmente preciso namorar é incômoda para mim! Acho que o fato de eu estar solteira e virgem incomoda mais a elas do que a mim mesma. Parece que o fato de eu ser e pensar diferente dessa sociedade retrógada (porque eu simplesmente não considero o mundo em que vivemos avançado em nenhum aspecto) é um pecado, um crime, algo que precisa de intervenção. Na cabeça de algumas pessoas o fato de eu estar solteira e de buscar a satisfação pessoal em um futuro sólido sem a pretensão de me engajar em um relacionamento amoroso implica dizer que eu vou ser freira! Sinceramente? Não que isso me incomode, mas acho que alguns dos meus “amigos” deveria ir procurar o que fazer com a própria vida ao invés de cuidar da minha. Só porque o fato de eu não gostar de festas que julgo patéticas (pelas bandas e pela maioria das pessoas que gosta delas) e o fato de eu não me interessar por embalagens bonitas com conteúdo zero, que fazem os relacionamentos de hoje em dia, não quer dizer que eu vá ser freira ou que tenha algo errado comigo (tá, talvez até tenha, mas não me incomodo em ser diferente.) é uma opção minha estar sozinha, até mesmo se eu tivesse o intuito de me arriscar em um relacionamento (o que realmente eu não quero mesmo agora) eu procuraria uma pessoa com conteúdo, que gostasse de conversar – e que tivesse sobre o que conversar! – que tivesse as mesmas perspectivas de futuro que eu, que sonhasse mais longe e até mesmo fora daqui, que apreciasse um bom livro e uma boa música, que fosse meu parceiro além do relacionamento... Alguém que conseguisse ignorar a minha aparência, que enxergasse em mim algo bom... Algo mais. O problema é que essa bendita pessoa nunca existiu! E eu não vou ser uma tola romântica de esperar por ela a vida toda. Portanto a opção de estar sozinha para mim é não apenas válida como confortável, por isso acredito que minhas decisões devem ser respeitadas! Eu e a minha privacidade relacional devemos ser respeitados, ninguém tem nada a ver com a minha vida amorosa inexistente, eu não estou preocupada com ela, porque incomoda tanto outras pessoas?
Eu não sou bonita, eu tenho plena consciência disso, e o fato de as relações de hoje se basearem exclusivamente nos corpos esculturais e rostos de Hollywood não me atraem nem um pouco e muito menos me dão espaço (um espaço inclusive que eu não quero) nesse mundo tolo de relações vazias. Eu tenho a cabeça em outra era... Em outro mundo. Eu gosto de criar minhas próprias realidades, eu gosto de viajar em livros e adoro dias de chuva em que eu posso simplesmente escrever ou ler um bom livro no meu quarto ouvindo as minhas músicas favoritas. Eu sou apaixonada pelo que faço, escrever, ler, cantar, essas são as minhas paixões, é a elas que eu direciono e dedico o meu amor, não há na minha vida espaço para nenhum namorado. Namoro os meus estudos na esperança de namorar e casar-me antes com um futuro sólido e bem resolvido, nessa sociedade de hoje isso pode parecer ridículo e até mesmo não saudável, mas não me importo como já disse antes, ser diferente de todo mundo, ser a estranha nunca foi uma novidade pra mim, não é. Muito menos um fardo. Estou feliz e satisfeita do jeito que estou e tudo que quero é respeito e que me deixem em paz.
Hoje foi o último dia do COEPE e, apesar de eu estar sem  muita vontade de ir, gostei um pouco, tiveram muitas apresentações bem legais, divertidas até e ver o meu professor favorito cantando ao vivo – e perfeitamente por sinal – foi incrível!
Bem, para finalizar o post, queria dizer que (não sei se já perceberam), mas Congelada está sendo postada aqui no Book Of Days, é um livro que eu comecei a trabalhar em Julho desse ano e queria muito dividir com todo mundo! Mas estou pensando em ir além... Acho que vou criar um blog exclusivo para postar minhas histórias... Pedirei ajuda a minha Elite Mágica e logo trarei possivelmente essa novidade pra vocês, vai ser algo mais tranquilo que o Book of Days, semanal até talvez. Espero que dê certo.

Por enquanto é só. Um beijo blogueiro e até a próxima!

Entenda a Letra: For Amelie - Leaves' Eyes

Olá pessoas! Então estou aqui de volta com a música da semana e trazendo até vocês uma letra da qual eu fui compelida a aprender pela minha leitora linda Roberta Machado – a quem carinhosamente chamamos de Clara *U* - ela me indicou a música para um cover e eu gostei muito tanto da letra quanto da melodia que é um conjunto harmonioso e lindo então vamos ver o que eu captei em Por Amelie?

Por Amelie
Por que você não me sente?
Por que não posso segurar sua mão?
Você nunca disse que me deixaria
E eu sei que você está em algum lugar
Bom, mesmo sendo cantada por uma mulher dá pra notar de cara que a letra não é no sentido mulher>homem e sim ao contrário homem>mulher, até o nome da música acusa que o eu lírico é masculino. Nessa primeira estrofe as perguntas sugerem que ele está afastado do objeto de sua devoção, e seu sofrimento podemos dizer até passivo torna-o imerso em sua melancolia. A letra também pode indicar a cena de um amor impossível.

Eu levantei você
Toda vez que você estava mal
Seu pranto parava
Quando eu estava por perto...mas...
Pois é, aqui a gente tem a clássica visão do sentimento de abandono, a indignação de ser deixado por alguém pelo qual você fez tudo. Ou mesmo – no caso do amor impossível – o fato de eles estarem perto e não poderem ficar juntos de verdade. Através dessa estrofe e principalmente nos dois últimos versos podemos ver que eles tinham uma amizade forte.

Por que você não me ama
O bastante pra ficar comigo?
Agora me diga sinceramente
Isso estava lá no seu coração também?
Tudo o que levo comigo
É um sonho meu e seu
Nesse ponto da música nós temos um empasse. Nos dois primeiros versos, a pergunta denota a possibilidade do abandono, dá a entender que, por alguma razão ela optou por deixa-lo, por desistir do que eles tinham, e na segunda pergunta ele questiona se a relação que havia entre eles era realmente recíproca da parte dela. Nos últimos versos ele mostra o que restou em sua vida, o sonho distante arrancado da possível realidade.
Eu levantei você
Toda vez que você estava mal
Seu pranto parava
Quando eu estava por perto...mas...

Você preenchia minha alma
Com sua beleza e com esperança
Nós somos diferentes sobretudo
Nós éramos como água na areia
Nos primeiros versos dessa estrofe vemos como a paixão e o sentimento (eu não gosto de usar “amor”) era verdadeiro, ela era o centro da vida dele a razão pelo qual a vida e o mundo tinham cor e brilho, e mesmo no contraste existente – representado no terceiro verso – eles se fundiam, se completavam como “água na areia”.

Por que você não me sente
Por que não posso segurar sua mão
Você nunca disse que me deixaria
E eu sei que você está em algum lugar

Eu levantei você
Toda vez que você estava mal
Seu pranto parava
Quando eu estava por perto...mas...

Eu segurava você bem forte
Quando você caía no chão
E agora você destruiu toda a minha esperança
Você poderia ter dito adeus
Essa última estrofe para mim é a mais triste... O sentimento de companheirismo que foi quebrado de maneira tão fria me parte o coração... E nos dois últimos versos a gente tem a certeza de que ele foi (trocado) abandonado por ela, e ainda diz que ela poderia simplesmente ter dito adeus ao invés de iludi-lo daquela maneira.
Por Amelie é uma letra linda não acham? Roberta minha anjinha logo eu faço seu cover, essa última estrofe da música tem uma oscilação de tom que eu estou com um pingo de dificuldade de pegar! Mas eu amei a música e super te agradeço a indicação! Agora confiram ai o som lindo e essa música incrível na impecável voz da Liv Kristine em Leaves’ Eyes.


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Neon Lights o/

O vídeo novo da Demi Lovato está SHOW de bola! Eu gostei demais!!!

WeekGame

E ta saindo o jogo da semana. O Tio Zangs já tem a análise de outros jogos dessa franquia e se bem me lembro eu já coloquei aqui. Pois é, saiu um novo.

domingo, 17 de novembro de 2013

Minha definição de dia perfeito

Acordar tarde, ver seriados, passar a tarde com a minha irmã e a minha melhor amiga vendo filme de suspense e comendo batata frita, sim, essa é a minha definição de dia perfeito! Não estou conseguindo trabalhar ha alguns dias, o capítulo 15 de Congelada está indo bem mais devagar do que devia, acho que ainda estou meio triste com o que aconteceu com o arquivo... Não sei.
Essa é a semana do COEPE na faculdade, mesmo assim amanhã tem aula normal, menos mal porque as aulas de inglês e linguística são as únicas que eu gosto nesse curso. Espero que, ao contrário da que passou, essa semana seja legal. Já estou com a música da semana na cabeça, o jogo eu ainda não sei... Mas vem por ai um post sobre o meu próximo livro. Não vou falar muita coisa sobre mim... Não mais, não aqui. Minha irmã me presenteou com um diário... Então vocês me verão pouco por aqui blogueiros... Acho que já deu o meu tempo... Eu odeio mudanças, mas só quando elas são necessárias é que a gente nota a importancia que elas tem... É a verdade, não é?
Boa noite.

Improvisando o francês (De novo)

Pois é Roberta, isso é sempre graças a você! A minha irmã ficou me enchendo com essa música, eu tinha detestado ela, e o clipe é bizarro de um jeito que me deu arrepios! '-' mas depois da minha irmã escutar tanto acabei ficando com a desgraçada na cabeça, ai abri a letra na internet e tentei cantar, saiu isso :/ lembro sempre de você quando invento essas coisas :D espero que goste! Não repare o meu francês, eu sou iniciante nisso hehehe embaixo tem o bizarro vídeo original dessa música! Se quiser, depois escolhe um idioma (que não seja alemão) e eu tento gravar uma música pra você nele :D beijokas!

Recuperando o ânimo...

Não há quem possa contradizer que eu tenho a melhor irmã do mundo, de fato eu tenho. Ela me deu o maior apoio quando perdi Frozen, eu estava decidida a desistir de escrever o livro de vez, ia colocá-lo em uma pasta do meu pen drive que tem "criações inacabadas" ideias que surgiram e eu não pude me dedicar... (E são muitas viu!) mas ela acabou me encorajando a recomeçar, lógico que o capítulo quinze nunca vai ficar metade do que foi perdido, aquele capítulo estava simplesmente maravilhoso! Mas eu vou tentar deixar ele razoável pelo menos. É o penultimo capítulo do livro de Bella, ainda estou ponderando a ideia de passar para o Nyah o segundo livro ou estacionar apenas no primeiro e me dedicar a outro livro lá, afinal o nível de visualizações está muito ruim para a dedicação que eu coloquei nessa história. Mesmo assim eu voltei a escrever, devagar, e rebatizei-a para o título brasileiro congelada tradução de Frozen. O título do livro só é explicado (ou faz sentido) no terceiro livro. Eu baseei Congelada no estilo de organização do Livro Amanhecer da tia Steph, ele é composto de três partes narradas por um personagem, os livros 01 e 03 são narrados por Bella Eaton, protagonista da série, e o livro 02 é contado por Sandi Dukensi. O livro é baseado em um jogo de RPG e conta a minha "vida" lá, com, é lógico, algumas alterações na trama.
Estou fazendo um teste com a história e, para quem se interessar, estou postando o livro 01 aqui no blog, ele está disponível nas guias do blog (ali em cima) você pode ler o capítulo 01 já no google docs, o link e a sinopse estão disponíveis na página do livro aqui. Espero que gostem... Super beijo a todos.

sábado, 16 de novembro de 2013

Conheça o Pequena Masen

Oi blogueiros, como estão?
Então, estou aqui hoje para falar sobre o mais novo blog de suporte à Fanfics chamado Pequena Masen criado pela fofa da Erika Couto. Quem escreve fanfic sabe como é complicado conseguir um trailer, uma capa legal, principalmente quando se é alguém como eu que mal sabe editar uma foto! Então, para deixar vocês mais familiarizadas com o blog eu entrevistei a webmaster do site e estou trazendo pra vocês a entrevista completa.
Quando o blog foi criado?
Há alguns meses. Com o novo design estamos em atividade desde dia 07/09 desse ano se não me engano. Mais eu já o tinha. Mais era somente eu. Entrando em contato com uns amigos, consegui parcerias e um Design melhor.
Qual é o objetivo?
É como se fosse uma empresa de publicidade, sabe? Meio que promovemos as fanfics dos outros. E ao sentir a alegria das pessoas a cada entrega. É muito satisfatório.
Como surgiu o nome Pequena Masen?
Fui eu que criei. "Pequena" por eu ser sempre a garota mais nova. E “Masen" por ser meu sobrenome mais permanente.
Qual blog e o (a) blogueiro (a) que te inspira?
Ixii, Ai é mais difícil. Nunca fui de visitar blogs. Nunca mesmo. Mais das poucas vezes que visitava. Me apaixonava pelo DS e organização dos blogs.
Agora que estou me acostumando com isso. Não sabia quase nada

Como o blog funciona?
Recebemos os pedidos, e tentamos dar o máximo de atenção possível a pessoa que encomendou. Que ela se sinta a vontade conosco. Para dar opiniões etc. Eu pelo menos entrego os pedidos em tempo Recorde. Me chamam de ninja porque muitas vezes entrego tudo no mesmo dia. Mas trabalhamos assim. Com carinho, atenção e damos o nosso máximo para que saia tudo perfeito.
Quem faz parte da Equipe do Pequena Masen?
Eu, Erika Couto, Ana Paula, Bia Fanfics, Sah, Luana e Katharynny. Acho que são só essas (risos) se eu tiver esquecido de alguém me desculpem.
O trabalho é simples, mas muito bem feito, qual programa é utilizado?
Como o DS eu já não sei. Não entendo nada de DS. Até porque o blog há algum tempo fora criado somente para trailers, agora que estamos mexendo com isso. Já eu uso a versão antiga do Movie Maker. O do XP. Muitas pessoas acham que ele é muito ruim. É claro que eu já tentei e vou continuar tentando melhorar os programas. Só que com um tempo, você acaba sabendo como usa-lo. Já a Ana, ela também usa o Maker. Só que em uma versão mais moderna creio eu
Seu blog trabalha com fics. Você também escreve? Se sim, em que site publica?
Sim escrevo. No NYAH! Essas minhas fics, estão em revisão. Até porque, não digo que estão mal escritas mais sim menos maduras. Agora em dezembro e janeiro venho com 2 fics que prometo que vocês vão amar. Acesse a página da Erika neste link.
Que mensagem você deixa para quem se interessar em buscar o trabalho de vocês?
Que fique a vontade. E que não fiquem intimidados em falar diretamente comigo.
Na maioria das vezes, eu entro em contato com a pessoa, e até bato um painho.
Papinho*
(Risos)
Ela é incrivelmente fofa galera, eu já fiz um pedido lá e além de ter sido muito bem recebida tive um ótimo resultado! Então espero que você que escreve fanfic dê uma passadinha no blog e faça também o seu pedido não vai se arrepender, conheça o Pequena Masen clicando Aqui.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

O Poema do Menino Morto (Nightwish Cover)


Deprimida! Furiosa!

Vocês não tem noção do que me aconteceu!
Sabem o que é ver cinco meses de trabalho desaparecer diante dos seus olhos? Bem, eu descobri isso ontem, meu arquivo de Frozen simplesmente deu perda total! Gente, foram mais de 60 mil palavras, 15 capítulos e 170 páginas perdidas! Primeiro eu fiquei estática, depois desesperada, ai parei um pouco para tentar recuperar o arquivo de todos os jeitos possíveis e imagináveis, resultado: Nada. Ai eu chorei, de raiva, de ódio, de fúria! Acho que o que eu sinto não tem nem nome ainda! Todos os arquivos do meu pen drive estão em perfeito estado, MENOS Frozen! O último capítulo que eu tinha passado a semana toda escrevendo, 15 páginas! Simplesmente foi para o quinto dos infernos assim, do nada! Eu nunca vou conseguir reescrever aquilo de novo, ele estava a minha definição de capítulo perfeito. Sabem o grau de raiva e decepção que eu to sentindo agora? Duvido que sequer possam imaginar, eu to tão furiosa que eu decidi abandonar a história! Todo o meu trabalho foi por água abaixo, 05 meses do meu trabalho!
Quando o Nyah voltar da manutenção eu vou excluir o livro.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Symphonies of the Night

Eu acompanhei a Liv Kristine durante todo o seu percurso pelo Theatre of Tragedy e o começo no Leave's Eyes, e nunca escutei um cd deles que me fascinasse tanto quanto o Symphonies of the Night. A Liv tem uma voz maravilhosa que foi especialmente destacada nesse cd, cuja capa também está espetacular.
E ao que parece, esse é o ano de superação das cantoras do metal. Ailyn do Sirenia se superou completamente em seu último álbum com a banda Perils of The Deep Blue (se é que é esse mesmo o nome '-') onde ela mostrou que PODE cantar mesmo, músicas como Cold Caress mostram isso perfeitamente!
Voltando ao fodástico álbum do Leave's, é o que eu chamo de obra prima do metal sinfônico! Os arranjos são perfeitos, a voz dela está como sempre perfeita, mas muito mais destacada, a combinação com o gutural está fantástica, as músicas sem comparação, e o único defeito do album é realmente ser extremamente curto. Só tem 11 faixas. Eu me surpreendi bastante com o trabalho novo deles e só tenho que dizer que vale muito a pena ter o Symphonies of the night, você encontra o download disponível no blog Warriors of the  metal clicando aqui.
Ou, ouça a tracklist completa nesse vídeo :D

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Entenda a letra: Forgiven - Within Temptation

Então gente linda, aqui vem mais um entenda a letra e a letra dessa semana é linda demais! Novamente do Within Temptation. Estou tentando fazer uma versão em português para ela também e se eu conseguir ela vai aparecer nos vídeos de versões :D


Perdoado

Não pude lhe salvar desde o começo
Te amo tanto que dói em minha alma
Você pode me perdoar por tentar de novo?
Seu silêncio me faz prender o fôlego
O tempo lhe deixou para tras
Pois é, eu sempre achei difícil entender de fato essa música então vou dizer o que ela passa pra mim. Nessa primeira estrofe ao que parece temos novamente um caso de relacionamento que não deu certo (eu tenho queda por músicas tristes já notaram?) a garota gosta mesmo do cara, e só pelo segundo verso da pra ver a dimensão do amor dela! Nos versos seguintes ao que parece a relação vinha desgastada e fadada ao fim... Eu encaro esse "silêncio" como a distância que acabou se estabelecendo entre eles.
Oh, por tanto tempo eu tentei lhe proteger do mundo
Oh, você não pôde enfrentar a liberdade por si próprio
Aqui estou abandonada no silêncio
Um dos meus versos favoritos na música (esse primeiro), para mim o sentido de proteger do mundo é aquele tipo de relação companheira, onde antes de tudo o casal é amigo. Ela fazia o possível para atenuar as dores dele e evitar que novas aparecessem, protege-lo da crueldade e frieza das pessoas. O segundo verso da a entender que o cara era meio pessimista em relação à si mesmo e esse tipo de gente (falo por experiencia porque eu sou assim) tem dificuldade em aceitar afeto das outras pessoas completamente porque não SE aceita então desconfia de tudo e todos. E no verso final, nós vemos como terminou a relação né? Ela acabou sozinha.
Você desistiu da luta
Você me deixou para trás
Tudo o que foi feito está perdoado
Você sempre será meu
Eu sei lá no fundo
Tudo o que foi feito está perdoado
O refrão é o meu favorito *U* embora seja a parte mais triste da letra. Aqui eu imagino a garota sozinha dentro de um quarto relembrando tudo que passou, o que eu mais gosto nessa música é a capacidade do amor dela de perdoar a fraqueza no outro... Ele desistiu dela, ele foi embora, mas mesmo assim ela o perdoa. Quando ela diz "você sempre será meu", eu não encaro bem como posse ou mesmo obsessão, acho que é mais uma promessa de que ela irá amá-lo sempre independente do que aconteça.
Olhei as nuvens se amontoarem
O sol ainda não pode aquecer meu rosto
Eu sei, isso foi destinado para dar errado
Você procurava pela melhor saída
Para espantar seus demônios
O primeiro verso mostra o início dos "problemas na relação", é uma metáfora. Nuvens amontoadas significa céu nublado, o que combina com o segundo verso dizendo de um céu sem sol... Ela foi ficando triste, ele foi se afastando... E os três últimos versos dão a entender que ela acreditava desde o início que a relação não duraria muito, e o cara ao que parece é alguém atormentado por alguma coisa que ele não consegue lidar. Imagino algo sério além do seu pessimismo com relação a si mesmo. É esse problema que ela chama de "demônio". (não encarem o metal com preconceito u.u)
Oh, por tanto tempo eu tentei lhe proteger do mundo
Oh, você não pôde enfrentar a liberdade por si próprio
Aqui estou abandonada no silêncio

Você desistiu da luta
Você me deixou pra trás
Tudo o que foi feito está perdoado
Você sempre será meu
Eu sei lá no fundo
Tudo o que foi feito está perdoado

Estive tão perdida desde que você se foi
Por que não eu antes de você?
Por que o destino me enganou?
Tudo se tornou tão errado
Por que você me deixou no silêncio?
É, eu conheço essa sensação... Sabe quando parece que nada mais faz sentido? Nessa estrofe da música eu fico na completa confusão se o cara em questão "foi embora" ou "morreu". A primeira pergunta me deixa com essa confusão. Os dois últimos versos reforçam a ideia de perda do primeiro, ela se vê confusa, sem direção e sem saída... Perdida no silêncio do vazio que ele deixou quando foi embora, e podem acreditar... Não existe nada pior do que isso.
Você desistiu da luta
Você me deixou para trás
Tudo o que foi feito está perdoado
Você sempre será meu
Eu sei lá no fundo
Tudo o que foi feito está perdoado
E então? Gostaram da música dessa semana? Eu amo demais essa música, na verdade amo todas que apareceram até agora rsrs. Espero que tenham curtido, um beijo e até semana que vem!