quinta-feira, 17 de abril de 2014

Cidade dos Ossos - Cassandra Clare: RESENHA

Dessa vez sim, é uma resenha mesmo rsrsrs.
Cidade dos Ossos - Resenha
O Livro:
Clary Fray tem uma vida comum, vive às voltas com seu melhor amigo Simon e acredita que é uma garota como outra qualquer. Sua grande paixão é o desenho, coisa que ela passa grande parte do tempo fazendo. Iniciamos a jornada com uma fila enorme de uma boate livre, na qual Clary e Simon esperam ansiosamente para entrar (tá, mais Clary que Simon). Já dentro, a garota presencia um jovem de estilo meio punk e uma garota estonteante que, aparentemente, estão se seduzindo. É nesse momento que ela os vê entrar em uma espécie de depósito e logo atrás deles dois outros garotos armados. Alarmada, Clary manda Simon chamar os seguranças e vai até o depósito onde presencia a morte do garoto e sua vida muda completamente. Esse é o seu primeiro contato com Jace Wayland.
Quando sai da boate com Simon tudo que Clary quer é esquecer que aquilo aconteceu, esquecer que apenas ela via os garotos estranhos e “assassinos”. Mas, quando decide sair após brigar com a mãe que decidiu repentinamente se mudar destruindo todos os planos dela, Clary se depara novamente com Jace que lhe revela por alto que ela não é uma mundana comum. Impaciente, Assim, quando a mãe dela telefona avisando para que ela não vá para casa, impaciente ela deixa o telefone cair quebrando e pega de Jace um sensor achando que é um telefone. Ele tenta explicar a ela que aquilo não é um celular, mas ela o ignora e sai correndo em busca da mãe contrariando a ordem. Quando chega em casa encontra tudo revirado, e é atacada por um Ravener. Uma espécie de demônio. Clary luta com o ser e consegue mata-lo enfiando o sensor de Jace na garganta da coisa, mas é contaminada com o veneno do demônio e sua vida fica em risco. Ela é salva por Jace que a leva para o Instituto. Lá ela se recupera e conhece Hodge, Isabelle e Alec.
Hodge pede que um dos Irmãos do Silêncio, Jeremiah, descubra porque Clary consegue ver o mundo das sombras, assim acompanhada por Jace ela é levada para a Cidade dos Ossos onde passa por uma sessão que a fere profundamente descobrindo assim que sua mente tem uma espécie de bloqueio colocada por um feiticeiro chamado Magnus Bane. Indo assim, com a ajuda de Isabelle, para uma festa oferecida por esse feiticeiro na busca de respostas. Lá, Clary descobre a verdade sobre sua mãe e as tentativas de Magnus de retirar o bloqueio de sua mente são inúteis. Durante a festa, Simon é transformado em um rato após ingerir uma das bebidas das fadas, ao tentar tirá-lo de lá, Clary descobre que ele foi roubado por um vampiro e vai atrás dele junto com Jace para um hotel onde os vampiros se escondem. Quando chegam, são ajudados por um garoto chamado Raphaell que os ajuda a entrar, mas logo descobrem que ele é o líder do clã de vampiros. Eles tentam fazer uma troca para recuperar Simon e Clary finalmente consegue o amigo de volta, mas os três acabam entrando em uma luta furiosa por suas vidas, até que um bando de lobisomens aparece dizendo estarem atrás de Clary. Enquanto a batalha entre vampiros e lobisomens acontece, uma vez que ambos são inimigos, com a ajuda de Simon, Clary e Jace conseguem chegar ao topo do hotel e Jace rouba uma das motos voadoras dos vampiros para conseguir sair de lá, mas acabam caindo no asfalto quando amanhece, pois a moto é movida com poder demoníaco que se esgota na luz do sol. Simon retorna a forma humana e os três voltam para o Instituto. Hodge fica furioso com eles e Clary ainda tem que aguentar a fúria de Alec que manda que ela vá embora e os dois tem uma discussão acalorada quando ela menciona o fato de que ele está apaixonado por Jace e por isso a odeia.
Clary cuida de Simon em seu quarto e os dois conversam até que ele dorme. Ela vai caminhar pelo instituto quando escuta Jace tocando. Os dois conversam e ele a convida para comemorar o aniversário dela na estufa. Jace e Clary tem um momento especial lá enquanto comemoram o aniversário dela, mas quando voltam para o quarto de Clary e se beijam novamente, Simon abre a porta e surpreende os dois. Chateado, Jace briga com Clary e vai embora. Simon e Clary também discutem e ele revela que está apaixonado por ela, furioso por tudo que aconteceu ele também vai embora. Confusa e magoada, Clary se tranca no quarto e acaba descobrindo uma maneira muito “interessante” de suas habilidades como caçadora de sombras, assim descobre onde está o cálice mortal e vai avisar a Jace. Junto com Isabelle, Simon e Alec eles vão atrás de Madame Dorothea com quem está a carta que a mãe de Clary pintou para esconder o instrumento mortal. Mas eles são surpreendidos pelo fato de a mulher estar possuída por um demônio dos grandes e a batalha entre eles se torna quase insustentável depois que Clary tira o cálice da carta. Alec, para salvar Jace, é fatalmente atingido pelo demônio e quando ele está prestes a matar Jace, Simon surge e quebra a claraboia matando o demônio com a luz do sol. Todos voltam com Alec para o Instituto na tentativa de que Hodge possa ajudar.
Mas Hodge os trai quando Clary lhe entrega o cálice mortal, ele fere Jace e ordena que o pássaro dele, Hugo, a machuque trancando-a em uma prisão invisível. Nesse momento surge Valentim através de um portal e liberta Hodge de sua maldição, que lhe entrega o cálice e deixa que ele desapareça levando também Jace com ele. Desesperada, Clary consegue quebrar a prisão invisível com a ajuda da estela de Jace e vai atrás de Hodge para saber onde Valentim se esconde, mas é atacada por ele e salva por Luke que ela descobre mais tarde ser um lobisomem. Ele conta para ela toda a história verdadeira de sua vida e de como Valentim tornou-se a ameaça que é, explica o que aconteceu com Jocelyn, sua mãe, e sobre a razão de ela ter mentido. Quando se recupera, Clary pede novamente a ajuda de Simon para encontrar o lugar onde Valentim está escondido, um antigo sanatório em uma ilha perto dali, e vai com Luke e seu bando até lá. Ao chegar, eles são atacados por renegados, mas Luke e Clary conseguem entrar no hospital e encontram a mãe dela. Luke então briga contra os homens que mataram o pai de Jace enquanto ordena que Clary fuja dali. Ela acaba encontrando Jace e Valentim que lhe contam a mentira de que ela e Jace são irmãos. Jace acredita piamente na história e logo ela também acaba acreditando, quando Luke chega e confirma a história. Uma luta se inicia primeiro entre Clary e Valentim depois entre Luke e Valentim, Jace fica ao lado do “pai” para ódio de Clary. Valentim quase consegue matar Luke que é salvo por Alaric, e, impedido de atravessar o portal, Valentim é quase morto por Jace, que reluta em golpeá-lo deixando que ele fuja com o cálice em um portal para Idris.
Jocelyn é levada para um hospital e Clary e Luke ficam com ela. Clary não vai mais para o Instituto há duas semanas depois do ocorrido, quando finalmente decide voltar e é levada até lá por Simon. Lá, ela descobre que Magnus salvou a vida de Alec que é mais cordial com ela quando se reencontram, assim como Isabelle. Alec a leva até a estufa onde Jace está, e Clary o reencontra vendo-o agora como irmão e tentando reprimir os sentimentos que tem por ele.
De fato, eu gostei MUITO do livro, era realmente tudo que disseram e mais um pouco. Como eu já havia visto algumas coisas a respeito, inclusive spoilers, eu não fiquei muito surpresa com o final porque eu sei que é mentira. A leitura é envolvente e prende realmente você, tanto é que eu li oito capítulos de uma vez só no primeiro dia. A narração é em terceira pessoa e em alguns momentos assume diferentes pontos de vista. Há algumas passagens religiosas implícitas no livro, mas não encarei de maneira ofensiva ou mesmo crítica por parte da autora. Os personagens são muito bem desenvolvidos e você consegue se apegar a eles, Jace é sem dúvida o favorito e melhor desenvolvido na história, que também é bastante equilibrada de uma maneira que deixa a leitura gostosa. Eu posso dizer com todas as letras que VALE MUITO A PENA LER.
O Filme: A adaptação do primeiro livro da série Instrumentos mortais saiu em 23 de Agosto de 2013 trazendo Lily Collins e Jamie Campbel Bower nos papéis de Clary Fray e Jace Wayland. Eu vi o filme bem antes de começar o livro, ainda no ano que foi lançado, mas em Setembro. Quando você lê o livro tem uma visão completamente diferente do filme que, sinceramente, tem quase nada do livro. Eu achei a adaptação tão mal feita quanto a da Hospedeira, a ordem de acontecimentos foi mudada, algumas das coisas importantes da trama foram bruscamente alteradas, como na parte final do filme, outras cenas do filme não estão no livro – como a cena do portal do Instituto quando Jace acaricia o rosto de Clary. Mas, como eu já mencionei antes aqui no blog, as adaptações de livro normalmente são muito infiéis mesmo, não adianta nem se iludir com isso, de cada 10, 2 são mais ou menos bem feitas. De qualquer maneira, apesar de a história ser bem mudada no filme, eu gostei da adaptação enquanto filme – não enquanto adaptação – o trabalho dos atores foi excelente e a produção ficou ótima. Mas enquanto adaptação achei que não ficou em quase nada – isso para não dizer nada – parecida com o livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário