terça-feira, 11 de dezembro de 2018

[Livro] Inesquecível Carnaval

Autor: Lene Gracce
Ano: 2018
Páginas: 240

Sinopse: Clara tinha toda a vida planejada: estagiar em um estúdio de fotografia, morar com o seu namorado e, juntos, iniciarem a faculdade. Até que uma ligação destruiu todos os seus planos. A jovem, antes submissa e dedicada aos seus objetivos, se vê pela primeira vez sem saber como prosseguir em seu futuro. 

Traída e abandonada da pior maneira possível, Clara mergulha em um mar de incertezas e mágoas, até que sua melhor amiga a obriga a reagir. Um carnaval regado a festas, bebedeiras e pegação parecia a solução perfeita para os seus problemas.

O que ela não esperava era que a viagem lhe trouxesse momentos que alternavam entre pânico e descobertas, mudando sua história para sempre. Confusa, a jovem precisa se libertar de suas amarras e enfrentar o seu passado para finalmente assumir o controle da sua vida.

Amizade, sexo, intrigas, mentiras, confusões e uma mescla de sentimentos intensos marcarão o seu inesquecível carnaval.

Eu estava determinada a não fazer resenha desse livro pelo simples fato que não gosto de "espancar" livros nacionais, principalmente porque sou autora nacional e não há pior saber que alguém não gostou do que você escreveu. Contudo, esses dias pesando os prós e os contras percebi que não tinha só críticas ruins ao livro, mas também algumas coisas que havia gostado no apanhado geral da leitura.

A história vai girar em torno de Clara, uma garota que tinha a vidinha planejada para se casar com o namorido Manuel. Ela era uma fotógrafa e o namorado estava em outra cidade para comemorar o carnaval, ela se juntaria a ele depois, mas, do nada, ele liga pra ela e decide terminar tudo por telefone (maduríssimo) porque conheceu outra guria e queria começar do zero. Clara fica bem furiosa pelo modo como o agora ex a tratou (e com razão, claro) e deprimidíssima com o fim (o que achei um exagero, mas okay). A melhor amiga dela, para ajudar, força-a a ir com ela para uma casa de veraneio da tia passar o carnaval.

Lá ela conhece Danilo, um cara boa pinta, surfista que se mostra muito interessado em consertar os caquinhos do coração quebrado de Clara. A atração entre os dois é imediata (quase instantânea por assim dizer), mas foge do "amor à primeira vista", pelo menos isso. Está mais para "desejo à primeira vista". O fato é que os dois ficam se paquerando até darem o braço a torcer e finalmente se entregarem um ao outro, ponto. A coisa é que Clara ainda fica muito "foco no ex" e isso meio que atrapalha o que tá começando a acontecer com Danilo, sem contar que, no começo, a irmã dele não facilita. Quando os dois finalmente decidem ficar juntos, eis que Manuel ressurge do inferno pra atrapalhar tudo e uma série de mal entendidos vai colocar Clara e Danilo numa prova de fogo.

Primeiro eu vou falar o que eu gostei no livro. Achei o Danilo muito bem construído, o plano de fundo dele tornou o personagem quase palpável, podia sentir a identidade dele enquanto lia e eu gosto muito quando isso acontece e, como ninguém, sei quão difícil é fazer. Particularmente não gosto de carnaval, eu odeio essa festa, na verdade, a única vantagem do carnaval pra mim são os três dias de feriado, apenas. Mas foi bacana ler um livro com a cara do Brasil. Outro ponto que me chamou muito a atenção foi a forma que ela construiu o plot twist da história, ficou muito bem construído e realmente surpreendeu quando veio a tona (bem, tapa na cara do leitor haha).

A escrita da Lene é muito simples, o que não é ruim porque meio que aproxima mais o leitor da história, principalmente aqueles desacostumados com a leitura constante que estranham livros com uma linguagem mais complexa, contudo senti falta de mais descrição de ambientes, sabe? Em especial porque não conheço essas regiões do país, seria legal dar uma visão mais panorâmica pra gente durante a leitura, mas é evidente que ninguém começa acertando tudo e, para ser o primeiro livro dela, achei que se saiu muito bem. Mas sendo bem franca, eu detestei a Clara. Não rolou qualquer tipo de empatia ou simpatia pela personagem, só ranço mesmo. Além de extremamente chata, achei ridícula aquela atitude dela de ficar de cama por causa do ex babaca, sério. Como se a vida dela tivesse acabado por causa do término daquela relação, desnecessário, apenas.

Entendo que ela possa ter ficado triste porque foram muitos anos juntos, mas foi um exagero sem tamanho. No lugar dela eu tinha era convidado as amigas pra tomar um sorvete e celebrar minha livração daquele encosto (por isso presumo que vou morrer solteira e.e). Além disso achei a personagem muito volúvel, às vezes parecia nem lembrar que o ex existia e logo depois freava seus sentimentos por causa dele (tipo wtf?). Muitas das atitudes dela e até mesmo dos amigos dela eu não concordei mesmo, mas o que mais me deixou possessa foi mesmo essa pose dela de não conseguir ser feliz consigo mesma, como muita amiga minha que precisa de homem pendurado no braço pra poder ser realizada, isso me irrita. Além do fato de ela parecer não ter quase nenhuma vontade própria porque simplesmente "acatava ordens" e ponto. E ela me passou justamente essa impressão o livro inteiro. Fora o ranço da protagonista, achei que tiveram umas coisas que podia ser mais show, don't tell, mas isso acontece mesmo quando a gente tá no comecinho, eu já devo ter escrito uns quarenta livros e ainda faço isso. Sem contar que não atrapalha em nada a narrativa.

As cenas de sexo foram até bem feitas e, tirando algumas coisas, não ficaram vulgares. Gostei disso. Não sei por que sexo tem que ser vulgar, sério. Talvez por ser virgem eu ainda tenha essa mentalidade meio romântica do momento, mas não consigo entender mesmo porque sempre que alguns escritores, principalmente de literatura erótica (não pornô porque hoje em dia a literatura pornô tá muito na moda) da atualidade ainda insistem em exagerar no palavreado quando vão escrever essas cenas. Acho desnecessário. Dá pra criar algo bonito e sensual sem precisar apelar. A Lene conseguiu ser bem equilibrada pelo que me lembro (faz um tempo já que terminei de ler), as cenas ficaram quentes, mas não apelativas. Ainda assim não classificaria esse livro como erótico. 

Num cômputo geral, quando peso minha experiência de leitura, vejo que Inesquecível Carnaval é um livro que eu indicaria, sim, para algumas amigas que curtem o gênero, principalmente aquelas que ainda não estão lá muito habituadas com leituras mais complexas. Ele aborda temas bacanas, ainda que pra mim pudessem ter sido melhores explorados (e que acredito ela o fará se não em edições posteriores da história, em seus próximos livros) e tem uma história de amor até bonita. Me lembrou um pouquinho aqueles livros da Harlequim, mas com a cara do Brasil. Deu pra perceber que ela tem um grande potencial e que, com a ajuda certa, pode levar a literatura brasileira feminina para outro patamar muito em breve.


Nenhum comentário:

Postar um comentário