quarta-feira, 7 de maio de 2014

Série A MEDIADORA - Terra das Sombras Livro 1 (Meg Cabot): Resenha



Eae blogueiros!
Bem, eu disse que ia mandar a resenha do livro e eis aqui, eu pensei que nem ia conseguir terminar, mas acabei terminando hoje quando pensava que estava no meio, não sei se eu li depressa demais ou se ele tem poucas páginas mesmo. Mas bem, como ele é beeeem pequenininho eu vou fazer um texto curto pra não spoilar o livro pra vocês tá?
A Terra das Sombras - Livro Um
Suzannah Simon chega à Califórnia depois de passar um tempo na casa da avó. O pai morrera quando ela era menor, e agora sua mãe casara-se novamente. Suzannah, que até então morava em Nova Iorque, se vê com a vida totalmente transformada quando se muda para a Califórnia, com uma nova casa, uma nova escola, um padrasto e três meios-irmãos a quem ela carinhosamente apelidou de Soneca, Dunga e Mestre. Ao contrário do que acontece na maioria das sagas, onde o personagem principal não sabe o que ele é, Suzannah sabe desde o início que é uma mediadora, ela conta que viu seu primeiro fantasma aos dois anos e desde então não manifestou nenhum medo deles.
Seu “dom” é um segredo que ela mantêm à sete chaves, pois graças à alguns serviços prestados aos fantasmas por conta de suas mediações ela já foi levada para casa pela polícia e a mãe a fez fazer terapia, Suzannah tem medo de que, no caso de a mãe vir a descobrir seu dom, interne-a em uma clínica psiquiátrica (aliás como qualquer mãe normal faria né u.u’). Por conta disso, ela sempre procura evitar ao máximo prédios antigos, para com eles evitar também os fantasmas, mas para sua sorte – ou não – a casa que o padrasto e a mae escolheram para morar era um prédio histórico e a escola onde ela estudaria também era um prédio histórico. Sem ter o que fazer, a garota decide encarar de frente em nome da felicidade da mãe.
Já quando entra na casa, Suzannah se depara com Jesse, um fantasma (bonitão) que está confortavelmente alojado em seu quarto, o primeiro contato dos dois não é dos melhores e a menina já imagina quantos não vai encontrar em sua nova escola, já que além de um prédio histórico é um prédio histórico onde muitos índios foram assassinados. Mas isso não acontece, o único fantasma em seu primeiro dia na escola é o de Heather, uma garota que se suicidou há pouco tempo por causa do namorado, Bryce, que estuda na escola. Suzannah descobre assim que o padre Dominic, diretor da escola, também é um mediador e por isso não há fantasmas em grande número dentro da escola, ele já os havia ajudado, mas não conseguira convencer Heather a partir, uma vez que a garota está cheia de ressentimentos. O primeiro encontro entre a fantasma e Suzannah não poderia ter sido pior, elas brigam e a mediadora fica com muita raiva, que é altamente recíproca e só piora quando a fantasma tenta matar Bryce e Suzannah o salva, ficando assim não apenas popular, mas com toda a atenção do garoto.
Em casa, as coisas com Jesse ficam mais amenas e os dois arrumam meio que um “contrato de convivência” onde ele deixa a privacidade dela semi-intacta. Mas quando Suzannah decide ir à escola para “mediar” Heather, Jesse faz de tudo para impedi-la alertando que o fantasma da garota é quase um demônio porque foi possuído pelo ódio. A mediadora ignora o alerta e vai assim mesmo, quase conseguindo mediar a fantasma, que no último instante se volta completamente contra ela e tenta mata-la, ela é salva por Jesse que a seguiu até lá. No dia seguinte, Heather ainda mais furiosa, tenta matar Bryce novamente, dessa vez acertando não apenas ele, mas também o padre Dominic que fica gravemente ferido. Suzannah fica ainda mais furiosa com Heather e a coisa só piora quando ela ameaça a vida de David (Mestre) e dos outros alunos. Suzannah decide então que não adianta mais tentar “conversar” com a fantasma e é hora de tomar uma decisão mais drástica e exorcizá-la  colocando assim a própria vida em risco para salvar a vida das pessoas que gosta.

Como eu disse lá em cima foi muito rápido, quando eu pensei que estava no meio do livro ele já tinha terminado! Eu gostei muito da história, ela é muitíssimo bem equilibrada, tem um pouco de suspense, comédia, mistério, romance e ação inteligentemente coordenados para tornar a leitura ainda mais empolgante. Suzannah é uma personagem cheia de atitude, engraçada, sincera e direta. É meio difícil você não se apegar com ela. A narração é feita em primeira pessoa sob a perspectiva da mediadora, e vale muito a pena ler! Por sinal, para quem não sabe, a Meg Cabot avisou que lançará mais um livro da série, que atualmente conta com seis volumes sendo o último Crepúsculo.

E então blogueiros, gostaram da resenha? Super recomendo ;) Como sabem, agora eu vou entrar em processo de trabalhos não é? Então, até a volta o/

Nenhum comentário:

Postar um comentário