segunda-feira, 14 de março de 2016

[#Escrita] Pesquisa e Pseudônimo + Exercício

Olá, pessoas!

A tag escrita volta devidamente em seu dia e hoje a gente vai conversar um pouco sobre a pesquisa, o pseudônimo e vamos fazer um pequeno exercício de escrita criativa. Então, relaxa aí que o post de hoje vai ser bem light!

PESQUISA

Esse é um ponto importante para quem está escrevendo, principalmente se você vai falar de alguma coisa que não domina muito bem ou que domina parcialmente. Quando eu vou escrever, normalmente minhas histórias são situadas em lugares que eu nunca fui, como por exemplo Folhas Mortas que se passa em Albuquerque, no novo México e em São Francisco, a maior parte nesta última. Eu precisei me desdobrar com muita pesquisa sobre a cidade para poder escrever com o máximo de fidelidade possível, além de pesquisar um pouco sobre os costumes americanos (o que nos filmes procede e o que não), clima, enfim. Quando eu estava escrevendo Dear Diary tive que assistir algumas aulas de química na internet, porque eu sempre fui péssima em química e a Ellen adorava a matéria. Então, a pesquisa é um ponto muito importante porque traz fidelidade à historia, claro que você tem a liberdade de inventar, mas certas coisas carecem sim de fontes seguras sem contar que conhecimento nunca é demais! A gente acaba se inteirando de um monte de curiosidades legais! Pesquise lugares diferentes, atrações turísticas que renderiam uma boa cena, descubra a cultura interessante de outro país e imagine seus personagens nele. É uma ferramenta excelente!

PSEUDÔNIMO

Ao contrário da pesquisa, eu não considero o pseudônimo indispensável. Acho que isso varia de autor para autor e do que você pretende quando cria um. Abreviar um nome grande para tornar mais comerciável, tipo a L.J.Smith que só fez abreviar seu nome porque a abreviação seria mais viável que escrever Lisa Jane Smith na capa. Mas tem aqueles que usam seu nome mesmo, tipo a Paula Pimenta que usa o próprio nome sem abreviações. 
Há casos em que os autores usam pseudônimo quando escrevem sobre outro gênero como a Meg Cabot, conhecida por livros juvenis que usou um pseudônimo para escrever A Rosa do Inverno que tem uma pegada mais YA.  É uma escolha do autor, não é obrigatório a menos em alguns concursos literários, como o do SESC, por exemplo, no qual é exigido um pseudônimo, mas apenas para que a obra seja tratada com impessoalidade. 
Eu, por exemplo, uso Katharynny Gabriella como pseudônimo (meu nome é Katharynny Maria), mas isso aconteceu mais pelo acaso do que propriamente porque eu sentei um dia e disse Ah, esse vai ser meu pseudônimo! E, por incrível que pareça, há quem acredite que esse seja mesmo meu nome rsrsrsrs. Eu sempre fui muito fã do High School Musical, principalmente da personagem Gabriella Montez que era minha favorita, então, ainda na época do orkut, eu comecei a usar Gabriella como meu segundo nome nas redes sociais, nas contas e quando me inscrevi no Nyah a primeira história que postei lá foi com esse nome. Assim, sem querer, esse acabou virando o que eu chamo de meu "nome virtual" e foi como eu comecei a assinar os livros. Mas não acho que isso seja indispensável, acho que vai mundo do tipo de imagem que você quer passar e do que combina mais com o tipo de história que você escreve. Às vezes, um pseudônimo é indispensável e, em outras, é desnecessário.

VAMOS PRATICAR!

Agora, vamos fazer um pequeno exercício de escrita criativa. Esse eu tirei do site dicas de escrita.

Olá, você!
Escreva uma carta para você mesmo no futuro. O que você quer dizer?

Interessante, não? Então, mãos à obra!

Minha resposta:
Pensei em me mandar uma carta daqui a trinta anos, eu estou com 26, então ela seria escrita para quando eu tivesse 56 em 2045 se eu não estiver enganada (sou horrível em matemática), isso é, se eu estiver viva até lá kkk.

Katharynny,

Aqui é você mesma, falando trinta anos antes. Você sobreviveu a metade de um século, garota, isso aí! Certamente você está se lamentando da juventude perdida a essa altura que eu me conheço, mas não fique, provavelmente você está muito melhor do que eu agora, sem depressão, sem medo de tudo, vivendo sua própria vida e do jeito que você sempre quis. Não sei se o mundo melhorou alguma coisa ou se piorou e eu realmente espero que seu único filho seja um cachorro, não traia meus ideais, ouviu? Continue fazendo exercício físico, eu estou sofrendo pra caramba para perder peso agora, não consigo fazer nem um minuto de prancha! Então, nem sonhe em ficar comendo a cada dois minutos e se mexa! Já foi a algum show do EXO ou do BTS? Espero que você ainda aprecie boa música, isso não muda só porque você cresce, boa música é boa música independente da idade! Uma coisa importante, não se culpe ou se arrependa de nada, ficar olhando pra trás só vai fazer você bater em um poste - e se lembre como isso dói! - então olhe para frente e contemple o que você já conquistou. E quando ler isso, lembre que você ainda é a mesma, só que em uma versão melhorada.
P.S.: Vá agora na casa de Karynny e diga Katyrosca é a mãe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário