terça-feira, 26 de janeiro de 2016

A Escolhida - Louis Lowry (O Doador livro 2)

Informações:

Título original: Gathering Blue
Autor: Louis Lowry
Ano de Publicação: 2014
Série: O Doador
Páginas: 192
País de Origem: EUA


Sinopse: Kira, uma órfã de perna torta, vive em um mundo onde os fracos são deixados de lado. A partir do momento da morte de sua mãe, ela teme por seu futuro até que é perdoada pelo Conselho de Guardiões. A razão é que Kira tem um dom: seus dedos possuem a habilidade de bordar de forma extraordinária. 
Ela supera a habilidade de sua mãe, e lhe cabe a tarefa que nenhum outro membro da comunidade pode fazer. Enquanto seu talento a mantêm viva e traz certos privilégios, ela percebe que está rodeada de mistérios e segredos, mas ninguém deve saber sua intenção de descobrir a verdade sobre o mundo.

O que eu achei: Eu demorei pacas para ler esse livro simplesmente porque não estava gostando da história. Já comecei a desgostar por ser totalmente desvinculada do primeiro livro, a gente não sabe o que houve com Jonas e com o bebê; mudamos para outro vilarejo dessa vez um pobre cheio de miséria e concentração de poder por parte de outro bendito conselho. Aqui, a idade das pessoas é dada pelo número de sílabas do nome que não é explicado quanto a contagem, nesse vilarejo vive Kira, uma deficiente física que acaba de ficar órfã, a mãe morrera de uma estranha doença e assim uma mulher pediu que Kira fosse descartada, porque ela era "inútil" e seria um fardo para a comunidade. Mas o conselho decide que Kira tem um dom precioso demais e dessa forma ficará sob sua tutela: ela sabe bordar. Ficaria encarregada da túnica do cantor encarregado de uma cerimônia em que relembram os acontecimentos do passado.
Imersa em sua nova vida, a garota acaba descobrindo o que se esconde por trás das paredes do conselho, orientada a nunca desviar de sua trilha e nunca entrar na floresta, ela sempre acreditou que o pai foi morto pelas "feras", mas vai descobrir que as únicas feras que existem estão mais próximas do que ela pode imaginar.
O livro não me animou muito já de cara, nunca demorei tanto pra ler cem páginas na vida. No quinto capítulo eu já consegui deduzir o livro inteiro e foi exatamente o que pensei. A história segue de certa forma o mesmo padrão do primeiro livro, mas a descontinuação na minha opinião não foi legal. Somos transportados para um futuro em que a humanidade depois de ser assolada pelos seus próprios pecados renasce aos poucos agora imersa em miséria e ignorância, o que se formos analisar não passa de uma réplica disfarçada da nossa sociedade atual, vivemos em uma sociedade que é totalmente ignorante ao que é realmente importante, que negligencia as crianças, que tem o poder e a riqueza na mão de poucos e que assente a isso sem fazer nada. Uma sociedade que vive na ignorância da crença cega em feras inexistentes e esquece que as únicas feras que os caçam são os próprios humanos que os alienam por meio de "músicas" estupidas, canais de televisão sem nenhum teor construtivo e uma falta quase total de educação de qualidade equitativa. Kira é apenas mais um reflexo de muitos que vemos diariamente, Matt é o retrato das crianças que temos nas ruas, o Brejo é nada mais que a representação do caminho para o qual estamos seguindo e a comunidade da cura representa a pouca esperança que nos resta, mas no fim nós sabemos que estamos escrevendo a canção da nossa própria ruína.

Nenhum comentário:

Postar um comentário