domingo, 3 de janeiro de 2016

Princesa Implacável - Mary Oliveira

Informações:

Título:
Princesa Implacável
Autora: Mary Oliveira
Ano de Publicação: 2015
País de Origem: Brasil
Gênero: Romance, YoungAdult, Mistério, Suspense, Distopia (nova realeza)

Sinopse: Hannah nunca fora um paradigma no que diz respeito ao seu título de princesa. Na verdade, ela sempre tentou fugir dos padrões impostos pelas leis e doutrinas equivocadamente impostas na sociedade em que vive. E, por mais que estivesse sempre disposta a sair do conto de falhas que sua vida era, ela não conseguira. Nunca tivera sequer uma chance. Até agora.
Após ser obrigada a se casar com um homem sete anos mais velho, homem este responsável por algo terrível na vida de outra mulher, ela se surpreende quando em sua noite de núpcias ele lhe faz uma proposta. Poderia ser a coisa mais louca que ela faria para fugir de coisas como seu pai e a coroa que, com o decorrer dos anos, passou a odiar. Mas era válido, e talvez fosse sua última chance. A questão era que o destino lhe reservara uma surpresa, um imprevisto, e este agiu de forma inexorável ante todos os seus planos. Mas foi o que a ajudou a descobrir o que estava por trás de seu casamento, e, principalmente, a começar a entender os motivos que levaram seu marido a oferecer-lhe aquele acordo.
No fim, ela percebera que havia mais segredos e perigos envolvendo a união dos dois do que imaginara. 

O que eu achei: PRIMEIRA RESENHA DE 2016 \O/

E não podia começar melhor com esse livro fantástico da Mary Oliveira! Gente, o que dizer? Ainda estou arrebatada pela leitura, sério! Cara, eu nem sei por onde começar!
Bem, vamos ao enredo. Acompanhamos a princesa Hannah de Cambridbel, recém casada - por livre e espontânea pressão - com o príncipe Henry de Constia. Desfrutando de uma lua de mel - também por livre e espontânea pressão - no Havaí (sim, meus caros, no Havai! Estamos falando da realeza!) e desde já a nossa princesa turrona deixa bem claro o seu desprezo por seu marido, ainda que este não se mostre, de nenhuma forma, indiferente a ela (só você que não percebe, né, Hannah, querida?) ainda em sua lua de mel, Henry dá a Hannah a chance de ter a liberdade que tanto quer, a oportunidade de deixar para trás todo o principado que ela rejeita e viver sua vida sob suas próprias regras, mas a morte de seu pai muda os planos e os dois são obrigados a voltar para Constia antes do previsto. Ainda assim, ela tenta crer que ele vai cumprir sua promessa e honrar o acordo dos dois - Só que ela não contava com a astúcia dele hehehe -, mas no momento em que Henry, sem motivo aparente, volta atrás, a princesa se vê presa a um casamento que achou que não ia sobreviver. É aí que entre o primeiro trunfo poderoso da história: o diário de Sophie; a mãe da nossa princesa implacável morreu no parto, mas deixou um diário que acompanharia a filha nos primeiros conflitos de seu casamento - eita diário salvador da pátria! - e enquanto mergulhava nas palavras da mãe, Hannah começou a encarar suas atitudes e o seu casamento sob outra perspectiva, ainda que relutasse em aceitar seus sentimentos por Henry - que estavam, diga-se de passagem, na cara dela! Ê guria cegueta kkkk - Os primeiros conflitos começam com a movimentação estranha no castelo, Henry mal teve a chance de chorar a morte do pai e já foi envolvido em intermináveis reuniões de conselho - e nossa princesa fez bonito quando o tirou de lá - foi baleado de raspão - por bem pouco - e parecia sempre preocupado por razões que Hannah não conseguia compreender e nem confiava nele o bastante para se interessar, até então, tudo que ela queria era sair dali.
Mas, quando Henry é enviado para Cambridbel e o castelo é atacado por rebeldes, Hannah sente o peso da sua responsabilidade e o impacto de sua imagem pela primeira vez e pelo modo como Henry aos poucos vai conquistando espaço ao seu lado - e no seu coração - a nossa princesa implacável vai percebendo que não precisa ser tão resistente assim assistimos a uma amizade que se desenvolve em romance - e é muito lindo ver isso!! -, mas o que a gente não esperava é que esse romance que nasceu já estivesse de antemão ameaçado de morte e isso promete nos trazer surpresas arrebatadoras acerca da leitura.
Gente, se você leu A Seleção, leu essa resenha até aqui e ainda não foi procurar Princesa Implacável, desculpe dizer - com todo o respeito - você é um poser! Princesa Implacável não é uma simples história de new royal, com uma princesa e um príncipe cujo ódio se torna amor, mas é uma história sobre como lutar por aquilo em que acreditamos, que o egoísmo é um veneno silencioso que nos impede de ver com racionalidade, que as complicações e os medos que nos impomos tolhem as melhores partes da nossa vida e, acima de tudo, que o amor quando é de verdade, supera qualquer obstáculo. A história de Henry e Hannah nos deixa aquela sensação de que nem tudo está perdido, de que, de algum modo, nós ainda podemos salvar o mundo e a nós mesmos se aprendermos a nos preocupar com o outro, com quem passa por dificuldades maiores que nós, Hannah se tornou uma princesa de verdade quando aprendeu que muito pior que sua prisão de ouro eram as pessoas que dependiam dela, que precisavam da sua voz e do seu pulso firme para levar as mudanças adiante. Acho que se as pessoas no mundo começassem a ter essa noção de compartilhar e intervir na dor do outro, as coisas seriam bem melhores no mundo. A escrita do livro é bem fácil, você vai passando pelas páginas de maneira impeceptível e, quando vê, não tem mais páginas (o que eu achei um ultraje! Eram pra ser, pelo menos, 1.000 como os miseráveis U.U), os momentos de clímax e tensão no livro são de deixar você com o coração na mão e posso dizer que ele resume o melhor de toda série A Seleção em um só livro, com o adicional de não ser massante em nenhuma parte, ter aquele "foguinho básico" para nooooooooooooooossa alegria! (Meu Deus, quando eu fiquei pervertida desse jeito?) e, confesso, eu suei frio em algumas partes dessas hahahahaha (Mary safadenha e.e) o ápice do conflito não deixa por menos e o fato de ser narrado quase inteiramente por Hannah - porque tem um capítulo de Henry - deixa a tensão ainda mais acirrada para o leitor. A construção dos personagens foi ótima, eles tem vida própria, personalidade, e você pode realmente se envolver com eles, o enredo é sem precedentes, desde a construção do romance até os conflitos políticos que foi meticulosamente estruturado mostrando não apenas a genialidade da Mary, mas seu trabalho de pesquisa. O que dizer? 
Eu ainda estou em choque porque acabou, não tem mais páginas...
- momento drama da leitora em DPL -
*Não tem mais Henry, não tem mais Hannah, não tem mais sol, luz, vida, nada! O que eu vou fazer com meu mundo agora, para onde eu vou? O que será de mim?*
Tá, me recuperei. Eu só tive DPL (depressão pós-livro) 3 vezes: A Hospedeira de cuja leitura eu não me recuperei até hoje. A Culpa é das Estrelas fiquei quase cinco dias sem conseguir ler nada depois da morte do Gus! E Princesa Implacável cuja história doce, engraçada, tensa e bem construída faz a gente se apaixonar, querer cotar o pinto do Theodory cretino! Arrancar os cabelos da vaca da Theresa e mergulhar a cabeça de Connor na privada U.U - não, eu não estou sendo violenta, ainda. - e que faz seu coraçãozinho palpitar sempre que Henry é fofo! E, pessoas, ele é sempre fofo! Cara, não tem mais, você realmente precisa comprar esse livro e ler pra entender do que eu estou falando! 
Ele está disponível na Amazon em ebook por ESTE LINK e em formato físico (como o meu) fale com a autora sobre a disponibilidade através do e-mail: marielysantos10@gmail.com e se quer conferir um pouco dessa emoção pra entender do que estou falando, há capítulos de degustação no wattpad NESTE LINK leia e eu te desafio a não querer saber mais!
Não sou de recomendar se não vale a pena, então LEIA, LEIA, LEIA!!!

Por enquanto é só blogueiros, não tem spoiler nenhum aí, pode ler o livro tranquilo e se apaixonar. Nos vemos na próxima! Como eu estou estudando pro concurso tá meio difícil de entrar e tals, mas vou tentando.

3 comentários:

  1. O que eu posso dizer desta resenha maravilhosa? :O
    AMEI não é e nunca será suficiente!!! Kath, muitooooooooooooooo obrigada, flor! Adorei cada palavra! Você traduziu a estória todinha, enxergou nas entrelinhas, ressaltou detalhes que muitas pessoas deixaram passar! Muito obrigada mesmo!!! Fico muito contente por saber que leu meu livro e gostou tanto assim, sério! ^_^
    Beijooooooooos *-*

    Mary Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU que te agradeço por ter criado esse livro incrível e compartilhado conosco, meros mortais!!! Você é uma autora maravilhosa que merece sucesso cada vez mais! E eu te desejo isso de coração! Ler o seu livro foi uma experiência única pra mim e deu a terceira DPL da minha vida! Mil beijos!!! E ESCREVA MAIS!

      Excluir
  2. Eu relendo essa resenha linda. Que amor!! Muito obrigada :*

    ResponderExcluir