domingo, 31 de janeiro de 2016

Me Too, Flower!


Informações:

Título Original: 나도 꽃 (Nado Ggot)
Título Mundial: Me Too, Flower! (Literal do Coreano)
Ano de Lançamento: 2011
Capítulos: 15
Gênero: Romance, Familiar, Drama
País de Origem: Coréia do Sul
Direção: Ko Dong-Sun
Escrito por: Kim Do-Woo
Elenco: Lee Ji-Ah, Yoon Si-Yoon, Jo Min-Gi, Han Go-Eun, Seo Hyo-Rim, Lee Gi-Kwang

Sinopse: A oficial de policia Cha Bong Sun é uma mulher peculiar que desafia a hierarquia social rígida. Seo Jae Hee, é um milionário, muito diferente do comum e se apaixona por esta policial. Ele tem segredos que inclusive não quer que ela descubra, e ela rigida como é se nega aceitar algumas coisas da vida. Uma história sobre pessoas, aceitação do passado, relacionamentos e amor.

O que eu achei: Ufa! Parece que faz um milênio que eu não trago um dorama, no finalzinho das férias finalmente eu me dei um tempo para assistir esse, realmente é algo nada fácil no meio de tantas coisas que eu tenho me feito fazer. Me Too, Flower! me atraiu, por incrível que pareça, depois de um vídeo que eu vi dos personagens principais trocando um senhor beijo, isso é muito raro em doramas, tipo, raríssimo! 
Isso é ou não motivo o bastante pra ficar curioso?

Então, decidi que eu tinha que ver, inicialmente acompanhamos o ódio mútuo entre Cha Bong-sun e Seo Jae Hee, o encontro deles não foi nada amigável, mas ainda assim rendeu umas boas risadas. Em comparação, sabemos desde o início que Jae Hee esconde segredos e mesmo que de começo isso não faça muito sentido para nós, o modo como ele age nos deixa fora de qualquer suspeita, ele é um garoto fofo tentando ganhar a vida - e põe fofo nesse negócio! - aos poucos nós vamos entendendo um pouco a história dele com a fria presidente da empresa Perche assim como vamos ficando por dentro da situação de Bong-sun que cresceu sozinha filha de pais divorciados que se casaram novamente, ainda criança morou com um pai rígido e desatencioso, cresceu sem saber dar ou receber amor e com conceitos equivocados sobre diversos assuntos. Seria improvável imaginar que sendo tão diferentes, mas com passados tão marcantes, os dois viessem a transformar o ódio a primeira vista em amor. Jae-hee não escolheu se apaixonar pela policial turrona que, no fundo, esconde uma sensibilidade que ele se emocionou ao descobrir, mas como lidar com o seu próprio passado cheio de dor e arrependimento? Como livrar-se da culpa que carrega dento do peito para poder, enfim, oferecer seu coração inteiro para a policial?
Jae Hee é, na verdade, o designer talentoso da Perche, empresa para qual trabalha disfarçadamente de manobrista, não apenas por odiar atenção, mas porque quer saber como a empresa funciona. Radiante, otimista e muito, muito fofo, ele rouba o nosso coração já no primeiro capítulo, sua parceira, entretanto, Park Hwa young, uma mulher amargurada que tem um filhinho fofíssimo e cujo marido morreu quando ela ainda estava grávida, em um acidente, também é apaixonada por Jae Hee, o que faz disso um triângulo amoroso perigoso para Bong Sun, uma vez que a mulher poderosa vai usar todas as armas que tem para separar os dois independente das consequencias que isso acarrete para a felicidade do próprio Jae Hee. 

Os Personagens:

Cha Bong-Sun: É a personagem principal e policial do nosso dorama, ela é uma mulher jovem que tem a aspiração de se tornar sargento e, assim, superar o seu pai, um policial prestes a se aposentar e um homem extremamente rígido. Pelo fato do pai ter sido sempre um homem muito austero e ausente, Bong-Sun tem dificuldades em manter relacionamentos e não consegue confiar nas pessoas, vive solitária e despreza a mãe por ter abandonado o lar para morar com outro homem. Ainda assim é uma mulher muito sensível que tem medo de ficar sozinha e não gosta muito de si mesma. Interpretada magnificamente pela Lee Ji-Ah, Cha Bong-Sun faz a gente ir do riso ao choro em segundos.

Seo Jae-Hee: É o nosso mocinho. Ele é co-fundador da Perche, mas trabalha na empresa como manobrista apenas porque quer conhecer melhor como funciona, apesar de ser co-fundador e designer da empresa, Jae-Hee odeia atenção e gosta de trabalhar por trás da cortina, é um menino doce que tem um fardo muito pesado nas costas, além de talentoso e inteligente se apaixona pelo jeito forte e impulsivo de Bong-Sun, sem querer, e gradualmente. Se querem um motivo para ver o dorama ele é um ótimo! As cenas dele tomando banho são... UAU! Maravilhosamente interpretado pelo lindo Yoon Si-Yoon, Jae-Hee nos arranca boas lágrimas e hilariantes risadas além de incontáveis suspiros durante todo o dorama.

Park Hwa-Young: É a primeira antagonista da trama, conhece Jae-Hee desde muito jovem e ambos tem uma ligação muito forte. Perdeu o marido quando ainda estava grávida e apoiou-se em Jae-Hee não apenas na empresa, mas com o tempo cogitando a ideia de torná-lo seu parceiro. Fica irada quando ele se apaixona por Bong-Sun e faz o impossível para separá-los tornando-se uma mulher frívola e cruel.
Hwa-Young tem problemas de depressão e ansiedade, mas se recusa a fazer tratamento, é uma mulher de negócios fria, mas uma mãe atenciosa e carinhosa.

Kim-Dal é a meio-irmã de Bong-Sun mesmo que inicialmente a gente não faça ideia disso. Ela é filha do segundo casamento da mãe da Bong-Sun, uma garota fútil que sonha em ser muito rica e mente sempre que pode sobre sua origem para se passar por milionária.
Conhece Jae-Hee por acidente primeiro como manobrista e o esnoba, mas quando descobre que ele é muito rico fica interessada em descobrir tudo sobre ele. Vai morar com Bon-Sun por um tempo e torna a vida da policial um inferno por ser muito desorganizada, pouco higiênica e mal educada.
Ela recebe uma proposta da presidente Park para separar Bong-Sun e Jae-Hee, aceita a proposta apenas com a intenção de subir na carreira e conseguir a posicião social que sempre quis, mas no meio do caminho acaba percebendo que é inútil tentar separá-los e acaba - mesmo que contrariada - dando uma força final para que eles fiquem juntos.
Durante boa parte do drama você vai detestá-la, principalmente pela parte quando ela vai morar com a Bon-Sun, só consegui me acostumar com ela nos últimos episódios.

Hwa Tae é primo da representante Park e psiquiatra. Ele trata Bong-Sun e Jae-Hee, mesmo tentando convencer a prima inúmeras vezes, ele não consegue fazê-la conversar. É um personagem interessante e também atuante no drama, teve uma mulher que largou por ser viciado em álcool, mesmo depois de superado do vício não voltou para ela e decidiu viver sozinho. Tem uma filha pequena que não aparece no drama. Vai acabar se envolvendo com Kim Dal pela força do cansaço (kkkk).

Em uma escala geral eu dou oito pro drama, achei que as coisas foram muito arrastadas no começo e muito velozes no final, esperava bem mais. O caso do pai dela foi o mais irritante de todos, o homem é intransigente e grosso, o fato de ela não dizer a ele tudo que ele merecia ouvir realmente me tirou do sério, entendo a coisa do respeito ao pais, mas submissão é um pouco demais. Ainda assim, assistiria de novo só pra ver o sorriso lindo do Jae-Hee e os beijos dele com a Bong-Sun *U*

Nenhum comentário:

Postar um comentário