sábado, 15 de abril de 2017

Os Crimes ABC - Agatha Christie

Título Original: The A.B.C. Murders
Ano: 1936
Gênero: Policial, Suspense
Sinopse: Há um serial killer à solta, matando suas vítimas em ordem alfabética. A única pista que a polícia tem é um macabro cartão de visitas que o assassino deixa em cada cena do crime: um guia ferroviário aberto na cidade onde a morte acontecera inteira está em pânico com a sucessão de crimes – A: Alice Ascher, em Andover; B: Betty Barnard, em Bexhill; C: Sir Carmichael Clarke, em Churston – e o assassino vai ficando mais confiante a cada morte. Seu único erro é pôr à prova o orgulho de Hercule Poirot, um erro que pode ser mortal.

Sempre que leio um novo livro de Agatha me vejo surpresa. Essa mulher tem o dom de me pegar desprevenida! Quem comprou esse livro foi minha irmã, ela virou fã da autora depois que eu mostrei a ela Os Quatro Grandes, para mim, melhor obra escrita por ela.
Em Crimes ABC somos levados por Hastings novamente a visitar o recentemente aposentado Hercule Poirot que recebe uma misteriosa carta informando um assassinado que ocorrerá brevemente, a carta é assinada por alguém que se intitula ABC. Poirot tem um mau pressentimento, mas não leva a carta a sério até que, uma senhora aparece morta em uma tabacaria. Sem pistas, sem impressões digitais, a única pista é um guia ferroviário ao lado da vítima ou próximo da cena do crime. O mais intrigante é que o assassino está claramente desafiando Poirot, insultando sua inteligência e é acompanhado nesse pensamento pelo inspetor Crome, um policial azedo que não concorda em trabalhar colaborativamente com o famoso detetive por ser incrédulo com seu intelecto. Agatha constrói uma narrativa que (primeira vez que vi num livro dela) alterna entre a visão de Hastings e a terceira pessoa, ela nos manipula e influencia mascarando o assassino aos nossos olhos de uma maneira tão magistral que não conseguimos duvidar dele até que Poirot o expõe. Novamente uma narrativa brilhante que pega nossa atenção para cada detalhe, qual a ligação entre as vítimas? Como o assassino as escolhe? Até o próprio Poirot sofreu um pouco para encontrar essas respostas.
Realmente brilhante!
Não vou me estender por causa do tamanho do livro, é muito pequenininho e posso acabar spoilando sem querer. Depois do Assassinato de Roger Ackroid esse foi um dos livros mais inusitados que li dela, fiquei completamente presa na história. Não postei a resenha antes em respeito a semana santa que eu sempre guardo. Super indico a leitura, embora Agatha seja incrível demais para requerer recomendações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário