segunda-feira, 14 de maio de 2018

[Especial] Obras japonesas de Incesto

Vocês que me acompanham aqui no blog sabem que eu sou a louca dos incestos, mas calma, não sou dessas que super apoia incesto na vida real ou mesmo que tem complexo de irmão (cruzes, meu irmão é super irritante!), mas a forma que os japoneses tratam esse tema em suas obras é muito fofa na maioria das vezes e, infelizmente, eu acho muito pouca coisa sobre o assunto na internet todas as vezes que procurei.

Vale salientar que eu só gosto dos romances envolvendo irmãos, não sou chegada naquelas obras com pais ou coisa assim, eu acho fofinho as que envolvem irmãos e é sobre elas que vou tratar aqui. Esse post vai eleger as melhores obras de incesto que eu já vi e porque. 


1. 兄に愛されすぎて困ってます - Yagami Rina

Encabeçando essa lista não podia deixar de estar a obra com o irmão mais ciumento já criado nos shoujos de incesto japonês! Ani ni Aisaresugite Komattemasu conta a história de Setoka Tachibana, uma garota que levara mais foras que jogador ruim no baseball, tudo porque seu irmão mais velho, Haruka, tem um ciúmes quase louco dela e não suporta a ideia de um garoto partir seu coração, isso porque ele é profunda e secretamente apaixonado por ela, mas sabe que é impossível uma vez que são da mesma família. Tudo se complica quando seu principal rival, Takane, volta do exterior determinado a tirar sua preciosa irmãzinha dele.

A obra de Yagami Rina foi lançada em 2015 e ganhou um mini drama em 2016 tendo o filme que conclui o dorama lançado em junho de 2017. Cheia de comédia e drama, a adaptação conta com Ryota Katayose em seu primeiro papel principal dando um banho de atuação. Outros nomes como Yudai Chiba e Tao Tsuchiya formam o elenco principal da trama. Infelizmente, o mangá só está disponível completo no otakumole.ch ao que ouvi, mas o site não abre registro há anos! Destruindo qualquer chance de eu ler os 8 volumes da obra (choremos). Ambas as adaptações, drama e filme, vocês podem encontrar no fórum do Mahal Fansub. E se alguém tiver conta no otakumole e quiser dividir comigo, estou super aceitando porque na internet, todos os sites que se propuseram a traduzir o mangá para inglês estacionaram no capítulo 3.

2. True Love - Miwako Sugiyama


True Love é de longe um dos melhores mangás do gênero que existe no planeta terra! Nele nós acompanhamos a história de Ai, que é totalmente apegada a seu irmão mais velho Yuzuru, mas em decorrência do divórcio deles quando os dois ainda são crianças, eles acabam se separando e Yuzuru é levado pelo pai para morar no exterior. Quando ganha idade, ele viaja para o Japão na tentativa de reencontrar sua irmãzinha, mas não imaginava que a doce Ai estaria tão diferente - e linda - do que sua memória infantil se lembrava. Tudo muda quando seus pais decidem se casar novamente um com o outro e Yuzuru e Ai precisam esconder seus sentimentos deles e do mundo.

Eu li esse mangá duas vezes, gente, é muito fofo mesmo, o modo como a autora lida com o tema e desenvolve o casal de irmãos em seu sentimento proibido é algo que mexe muito com a gente. É uma história toda fechadinha que se amarra de uma maneira deliciosa de ler e quando acaba dá aquela sensação de que poderia ser maior porque a sua vontade é continuar acompanhando a história desses irmãos pra sempre! E está aí uma obra que mais do que merecia um doraminha e um filme! Uma real pena True Love ser uma obra tão pouco conhecida.

3. Kiken Junai D.N.A

Esse mangá me causou estranheza a primeira vez que vi hahaha. Primeiro porque o menino se veste de menina e eu não curto muito a temática, mas acabei sendo bem surpreendida. O mangá é bem curtinho, só tem 3 volumes, e conta a história de Ami, uma garota que sempre foi deixada de lado por causa da beleza extraordinária de seu irmão Chihiro que é um modelo de roupas femininas muito famoso e usa a fama para sair de casa vestido assim também tirando qualquer possibilidade de Ami em encontrar um namorado porque todos os homens caem aos pés de seu irmão. Contudo, ela logo vem a descobrir que a raiva que sente por Chihiro pode ser bem mais que a impossibilidade de conseguir um crush, mas sim porque seus sentimentos são outros.

Apesar da relação entre Ami e Chihiro não ser das mais fofas do mundo, é bonitinho acompanhar o desenvolvimento da história e a gente acaba torcendo pelos dois no fim das contas. Se por um lado é meio difícil imaginar um garoto que se veste de menina, tudo fica muito melhor quando descobrimos as razões que se escondem atrás dessa sua atitude. Vale muito a pena acompanhar essa história e é tão pequenininha que é como ler um livrinho de cem páginas.

4. 僕わ妹に恋をする - Kotomi Aoki

Eu conheci essa obra pelo filme. Sim. E foi graças a ele que eu descobri que achava esse tema fofo. O mangá foi lançado de 2003 a 2005, mas eu não cheguei a lê-lo, conta com 10 volumes e, pelo que pesquisei a respeito, parece muito com o enredo de True Love com a diferença básica de que aqui, os protagonistas são irmãos gêmeos. O final do mangá, que eu sei qual é, não foi satisfatório para mim por ser um pouco inconcluso, ainda assim, é pelo menos um final feliz.

A história gira em torno de Yori, o gêmeo mais velho que tem muito ciúmes de sua irmã Yiku porque é secretamente apaixonado por ela, mas faz de tudo para esconder seus sentimentos. Ciente do que ele sente, Yano, seu melhor amigo, tenta fazer de tudo para que o amigo admita seus sentimentos e tente se confessar para a irmã. Contudo, pelo fato de serem irmãos legítimos não apenas a família, mas o mundo vai ficar contra o relacionamento e eles vão precisar de muita força de vontade e paciência pra poderem ficar juntos.

Apesar de ambos os finais, das OVAS e do filme, não serem considerados felizes, a esperança que fica é que os dois vão conseguir ficar juntos afinal porque o final do mangá é bom. A adaptação live action foi lançada em 2007 e conta com Matsumoto Jun no elenco em uma atuação magnífica como Yori, o que não se pode dizer o mesmo da Nana Eikura no papel de Yiku que, na minha opinião, não convenceu nem um pouco principalmente nas cenas mais dramáticas em que eu era que ficava querendo chorar de tão ruim que era o choro falso dela. Aí eu me pergunto, onde estava a Mao Inoue nesse momento?

5. 夜まで待てない - Saki Oota

E se o número 3 dessa listinha soou estranho pra mim, esse mangá aqui foi quase um choque! Yoru Made Matenai gira em torno de Haruka, uma garota inocente e meio cabeça de vento que está animada com a chegada de seu novo irmão mais novo Tsukasa, filho da nova esposa de seu pai que vive mais no exterior que em casa.

Contudo, apesar de ser deslumbrantemente lindo, Tsukasa não é nada do que Haruka esperava, começando pelo fato de ele deixar bem claro que quer dormir com ela. Durante todo o mangá ele não apenas deixa essa ideia bem clara entre os dois quanto tenta convencê-la e manipulá-la a ficar com ele. Não sei se pela pressão ou por ir vendo um lado dele que nós que lemos não prestamos atenção, mas Haruka acaba se apaixonando de verdade pelo irmão mais novo.

O motivo de ele estar no último lugar da lista é que além de não ter curtido muito o desenvolvimento da história, os dois personagens são... não sei... irritantes. Enquanto Tsukasa é manipulador, mentiroso e muitas vezes joga sujo para conseguir o que quer, Haruka é tão ativa quanto aquele pudim quente do Diabolick Lovers, ela não tem atitude, finge que se impõe e logo em seguida se rende de novo na menor provação. O desenvolvimento da história não mexeu comigo e mesmo a relação deles, se comparada aos outros mangás dessa lista, é muito fraquinha. Mas por se tratar de incesto, e por ter tão poucas obras do gênero disponíveis, achei por bem trazê-lo para cá.

Todas essas obras já tem resenha aqui no blog, só ativar ali na barra lateral os marcadores anime, dorama, filme e mangá. Quanto a animes do gênero, infelizmente a maioria que tem se trata de ecchi (a quase pornografia) ou os hentais propriamente. Há poucas obras disponíveis que eu ainda não li ou assisti seja porque não rolou uma oportunidade válida ou por escolha própria mesmo. Ainda assim, vou listar aqui embaixo as que conheço do gênero para vocês, porém, estou excluindo os hentais (também não é como se tivesse muitos do gênero), mas os ecchis permanecem.

ヴァンパイア騎士 - Hino Matsuri

E não podia deixar de falar desse que na época foi um dos animes que mais me deixou maluca e ávida por mais uma temporada. Se eu não li o mangá de Vampire Knight foi simplesmente por ter procurado um spoiler e descoberto que SPOILER ALERT no fim das contas meu shipp não se concretiza de fato uma vez que o final dá a entender que a lerda da Yuuki acaba tendo um filho de cada um. Aff! 

Mas bem, a história gira em torno de uma escola dividida em dois turnos no qual, o noturno, é composto apenas por vampiros. Yuuki é uma aluna do turno diário que cuida, junto com Zero, do turno noturno para que os vampiros não ataquem os alunos da turma do dia uma vez que a escola é um internato. Se ele está na lista é porque tem incesto, mas se eu disser de quem ela é irmã pode acabar dando um spoiler meio brabo e acabar com a magia da obra.

Vampire Knight une bem o universo de fantasia nipônica dos vampiros com um suspense para deixar a gente roendo as unhas. O anime foi lançado em 2008 e conta com 13 episódios. O mangá foi lançado em 2005 e conta com 19 volumes. 


恋風 - Yoshida Motoi

Eu conheço essa obra há muito tempo, muito antes, inclusive, de saber que gostava de obras desse gênero, mas nunca consegui continuar vendo. Só vi o primeiro episódio do anime, mas por alguma razão a grande diferença de idade entre eles me deixou um pouco incomodada, nessas obras lá em cima, acho que a diferença de idade mais gritante está em Yoru Made Matenai, pelo que me lembro Haruka é três anos mais velha que o irmão, eu acho, mas é coisa assim, só que em Koi Kaze estamos falando de uma diferença de 12 anos.

A linha é mais ou menos parecida com a de True Love, os dois são irmãos, mas foram separados há muito tempo, contudo, a menina vai se mudar para a casa dele com o pai porque se transferiu para uma escola próxima à casa dele. Os dois se conhecem por acaso antes de descobrirem que são irmãos e se apaixonam, até descobrirem sua relação familiar e as coisas se complicarem muito. Não sei quando vai chegar o momento, mas sei que vou acabar me arriscando nessa obra também, porém não agora. O mangá conta com 5 volumes e há um anime de 13 episódios.

ヨスガノソラ - Takashi Mikaze

Essa obra é um diferencial porque a ideia dela surgiu a partir de uma web novel, sabe aqueles jogos de namoro que as japonesas amam e aparece em boa parte de animes e doramas? Pois é, esses jogos se chamam web novels, são jogos para PC que posteriormente são vendidos em DVD, esse, por sinal, além de um anime de arcos com 12 episódios dirigido por Takeo Takahashi, também ganhou um mangá de 2 volumes.

A história não é linear e nem é desenvolvida com centro em um único casal como as outras obras apresentadas nesse post. Por ser baseada em um jogo, o anime se foca em arcos distintos direcionando o protagonista, Haru, para cada uma das personagens disponíveis, ele está na lista porque, no último arco, ele se relaciona com Sora, sua irmã gêmea. E é nesse arco que eu vou me deter.

Quando crianças, Sora ficou muito doente e passou a maior parte do tempo no hospital onde os pais se revezavam para cuidar dela, a convivência com Haru foi quase totalmente anulada uma vez que eles eram muito pequenos quando foram afastados. Mesmo sendo gêmeos, Haru é alguns minutos mais velho e consequentemente teve uma saúde melhor que a irmã cuja condição frágil lhe rendeu uma vida de muita reclusão e, consequentemente, um problema de se relacionar com outras pessoas.

Em decorrência da morte dos pais, os irmãos agora sozinhos no mundo se refugiam em uma cidadezinha de interior onde moraram com os pais quando criança, mas desde que Sora voltara para casa anos antes quando ambos tinham mais ou menos sete ou oito anos, a relação deles não era mais a mesma, ele sentia que a irmã o olhava diferente e ele mesmo não conseguia vê-la de outra forma que não fosse como um interesse amoroso.  Nessa cidade, vivendo sozinhos e dependendo um do outro para quase tudo, não apenas seus sentimentos serão postos a prova, mas a rejeição de todos diante de sua relação não natural vai complicar muito as coisas para ambos.

Do mesmo jeito que acontece com 僕わ妹に恋をする, aqui nós temos uma relação entre gêmeos que é muito dificultada pela não aceitação social, apesar de a vertente das coisas serem distintas, por ser um arco muito pequeno para desenvolver o relacionamento de ambos, essa obra se foca no ecchi, ou seja, nós somos mais direcionados para o relacionamento sexual dos personagens que pela relação sentimental deles em si. Na obra inteira há cenas sensuais meio pesadas, mesmo que não seja considerado um hentai você verá esse anime com certeza na lista de ecchis que mais chegaram próximos disso, assim como o próximo da nossa lista!

あきそら - Masahiro Itosugi

Esse é outro que eu não li o mangá (e depois de ver aquelas benditas OVAs não sei se vou querer ler não, viu!). Aki Sora foi originalmente publicado em 2007 e conta com 6 volumes. Em 2010 foram lançadas 2 OVAs roteirizadas por Jukki Hanada. 

A história é centrada na família Aoi, especificamente na relação dos três irmãos Aki, a mais velha, Sora e Nami os gêmeos mais novos. Esse, de todos da lista, é provavelmente o mais erótico não apenas em termos de narrativa, mas visualmente falando. Não chega a ser um hentai, mas chega muito mais perto inclusive que o anterior. Na verdade, eu fui trollada para assistir Aki Sora enquanto procurava outras obras de incesto logo depois de ter terminado Boku wa imouto ni koi wo suru, eu confesso que fiquei um pouco chocada quando vi o anime a primeira vez hahaha.

Aki nutre sentimentos nada puros por Sora, seu irmão mais novo, desde que ambos eram crianças, o que ela não sabia é que Sora retribuía seus sentimentos apesar de ser bem mais controlado que ela de alguma forma. Dos gêmeos, poderíamos dizer que Sora é a menina dos dois, delicado, passivo e com isso não quero dizer que as meninas são todas assim, mas é o estereótipo da maioria das obras japonesas e Nami é a prova disso, ela é atlética, cheia de atitude e muito mal humorada. No fundo ela desconfia que Aki e Sora tem uma relação, mas nunca conseguiu pegá-los no flagra para confirmar.

Provavelmente a história é muito melhor desenvolvida no mangá, o que mais fica no anime além do impacto da maioria das cenas, logicamente, é a questão do incesto em si, colocado na indecisão e postura inicial de Sora (que desaba quando Aki tira a roupa, por sinal u.u) e o interessante caso de Nami e a homossexualidade uma vez que ela é apaixonada por sua melhor amiga Kana que, por sinal, gosta de Sora. Não dá para imergir muito na história em si, as duas OVAs como o gênero no qual se enquadra foca muito mais na relação sexual dos personagens.

キス×シス - Bow Ditama

Esse não vi nem o anime nem o mangá pelo simples fato de o enredo não parecer nada fofo. Eu faço o tipo romântica incurável quando se trata de livros, mangás, filmes e dramas, vocês sabem, o apelo de KissX Sis é mais puxado para ecchi e comédia o que tira totalmente a graça da obra na minha opinião. Basicamente temos duas irmãs gêmeas disputando para ver quem consegue dormir com o irmão primeiro e o mais louco é que os pais não dão a mínima e até apoiam isso o que na prática seria absurdo de se imaginar. Ou seja, é uma obra cuja verossimilhança é tão superficial que não me desperta o interesse. Não  há realmente um conflito ou um sentimento sincero envolvendo os personagens além do amor fraterno e meio sacana por parte do irmão e o absurdo desejo sexual por parte das gêmeas.

O mangá conta com 14 volumes  e tem um anime de 12 episódios lançado em 2010.

A lista abaixo conta com animes e mangás que eu desconheço totalmente o conteúdo, mas que foram tirados de listas sobre o gênero incesto nos animes. Então, caso conheçam alguma e indiquem bastante, deixa um comentário aí!

  • Pupa
  • Baby Princess 3D Paradise
  • Grisaia No Meikyuu
  • Junjou Romantica
  • Kure-nai
  • To Love-Ru -Trouble- Darkness
  • Tsumi ni Nureta Futari
  • Angel Sanctuary (esse eu até vi as 3 OVAs, mas não entendi quase nada. Precisa ler o mangá pra entender, aviso logo)
  • Yuuhi Romance (mangá)
  • Brother Conflict 
  • Onechan ga kita 
  • Mahoka Koko no Rettosei 
  • Ore no Imouto ga Konna ni Kawaii Wake ga Nai.
  • Mawaru Penguindrum 
  • Hitsuji no Uta 
  • Onegai Twins
Espero que tenham curtido o post e mesmo que não curta o gênero, aconselho a dar uma chance a essas histórias que indiquei, provavelmente depois disso você pode acabar mudando de ideia.  Até a próxima postagem, galerinha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário