sexta-feira, 19 de junho de 2015

Julieta - Anne Fortier (Finalmente!)

Informações:

Título: Julieta
Editora: Arqueiro
Ano: 2010
Páginas: 399
Autor: Anne Fortier

Sinopse: Julieta - Julie Jacobs e sua irmã gêmea, Janice, nasceram em Siena, na Itália, mas desde os 3 anos foram criadas nos Estados Unidos por sua tia-avó Rose, que as adotou depois de seus pais morrerem num acidente de carro.
Passados mais de 20 anos, a morte de Rose transforma completamente a vida de Julie. Enquanto sua irmã herda a casa da tia, para ela restam apenas uma carta e uma revelação surpreendente: seu verdadeiro nome é Giulietta Tolomei.
A carta diz que sua mãe havia descoberto um tesouro familiar, muito antigo e misterioso. Mesmo acreditando que sua busca será infrutífera, Julie parte para Siena.
Seus temores se confirmam ao ver que tudo o que sua mãe deixou foram papéis velhos – um caderno com diversos esboços de uma única escultura, uma antiga edição de Romeu e Julieta e o velho diário de um famoso pintor italiano, Maestro Ambrogio. Mas logo ela descobre que a caça ao tesouro está apenas começando.
O diário conta uma história trágica: há mais de 600 anos, dois jovens amantes, Giulietta Tolomei e Romeo Marescotti, morreram vítimas do ódio irreconciliável entre os Tolomei e os Salimbeni. Desde então, uma terrível maldição persegue essas duas famílias.
E, levando-se em conta a linhagem e o nome de batismo de Julie, ela provavelmente é a próxima vítima. Tentando quebrar a maldição, ela começa a explorar a cidade e a se relacionar com os sienenses. À medida que se aproxima da verdade, sua vida corre cada vez mais perigo.
Instigante, repleto de romance, suspense e reviravoltas, Julieta – livro de estreia de Anne Fortier – nos leva a uma deliciosa viagem a duas Sienas: a de 1340 e a de hoje. É a história de uma lenda de mais de 600 anos que atravessou os séculos e foi imortalizada por Shakespeare. Mas é também a história de uma mulher moderna, que descobre suas origens, sua identidade e um sentimento devastador e completamente novo para ela: o amor.

O que eu achei: Depois que eu li Julieta Imortal eu coloquei na minha cabeça que todos os livros com relação a Romeu e Julieta eram bons, mesmo que nunca tenha lido a obra original simplesmente pelo fato de me sentir incapaz de encarar uma peça teatral como um livro comum. Recebi várias indicações para ler Julieta, li pelo menos duas resenhas antes de me aventurar a comprar o livro e, finalmente, este ano o coloquei na minha meta de leitura. Foi o último livro da meta que peguei para ler e antes tivesse sido o primeiro! Vocês viram como eu demorei para terminar de ler e, ainda mais, pausei a leitura duas vezes para ler outra coisa. O motivo é que esse livro, a despeito de todas as recomendações e promessas da sinopse, não funcionou comigo. Achei a narração massante e a protagonista uma completa estúpida! Foi mais ou menos o que aconteceu com a Ever na série Imortais, a protagonista - que é quem narra a história - me fez penar para ler o livro. De fato, acompanhamos a vida de Julie Jacobs que após a morte da tia com quem morava descobre-se sozinha com uma carta que lhe diz que ela se chama Giullieta Tolomei e que a morte de seus pais não foi acidente, sua tia não lhe deixou nada além dessa carta lhe mandando para Itália em busca de um tesouro enquanto a casa e os bens ficaram para Janice a, inicialmente, detestável irmã gêmea de Julie. Assim, Julie vai para a Itália em busca da verdade sobre sua origem, a morte da mãe e se depara com Alessandro, um policial que a primeira vista lhe parece encantador, arrogante e misterioso, assim como sua madrinha, Eva Maria, que demonstra por Julie um carinho fora do convencional para um estranho e parece saber mais sobre a história de sua verdadeira família do que parece contar. Assim, Julie começa a entrar em um jogo perigoso de intrigas atrás de um tesouro que realmente existe por trás da verdadeira história de Romeu e Julieta na Siena de 1340, cheia de sangue, conspiração, maldições e mortes. O clima de mistério que envolve a história realmente merece aplausos, você nunca ia acreditar no real culpado de tudo e isso de fato ficou meio obscuro no fim das contas, mas a explicação realmente surpreende, só que achei a narração arrastada demais e a protagonista não ajuda, é sonsa e manipulável chegando ao ponto de ser irritante, isso acabou comprometendo a história no meu ponto de vista. De fato, só passei a gostar do livro por volta da página 270,290. A parte histórica foi a melhor, o jeito como foi desenvolvido essa outra face de Romeu e Julieta foi magistral, cheio de sangue, tortura, conspiração, mentiras, sem nenhum pingo de fantasia, mas com crueza de fatos e detalhes, gostei. Em compensação a caçada do presente foi uma mistura de Indiana Jones com a Lagoa Azul, de todos os personagens, por incrível que pareça, eu só gostei realmente da irmã gêmea de Julie, Janice, que mesmo apesar de ser uma estraga festas, foi a única personagem com personalidade realmente marcante na história. Julie é tola, de gênio fraco, manipulável, medrosa, totalmente tosca, não consegui gostar dela e o fato de ela contar a história não ajuda. O que salvou o livro foi o toque de Agatha Christie em que você começa a deduzir mil suspeitos e, no fim, é pego totalmente de surpresa pela verdade. Dei nota 3,0 de 5,0 no skoob.

Bem blogueiros, finalmente estou de férias, então é aproveitar para descansar e ler, assistir doramas e animes o máximo que puder! Até a próxima resenha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário