quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Como aprender um novo idioma sozinho?

Cada vez mais vejo pessoas interessadas em aprender um idioma novo, seja o Inglês que a escola não ensina ou os idiomas asiáticos que estão crescendo graças a explosão do KPOP e todo mundo agora quer estudar Coreano. Não existe exatamente uma fórmula para aprender uma língua, acho que isso é variável de pessoa para pessoa e vai muito da determinação de cada um. A intenção desse post é compartilhar experiência e, a partir da minha experiência, dar uns macetes que podem ser úteis na hora de estudar um idioma novo.
Eu comecei a me interessar por línguas aos doze anos quando comecei a ver inglês na escola, eu achava lindo e fascinante a oportunidade de falar um idioma diferente, uma língua que não tinha nada a ver com a minha. Era um mundo novo. Acontece que eu tenho um pequeno probleminha: não sou nada disciplinada. Sou aquele tipo de pessoa que precisa de alguém pra compartilhar aquilo que faz, pra conversar, dividir ideias, trocar conhecimento, senão dificilmente eu vou funcionar direito. Na escola a gente vive a base de traduzir texto e mais texto e ver o verbo to be e o simple present/past/future, na melhor das hipóteses vão te ensinar Plural of Nouns. Essa é a realidade do Ensino de Inglês da minha época. Não sei hoje, quando eu fazia estágio na faculdade, o que eu via era variável, alguns professores eram exatamente como os da minha época outros eram mais empenhados em fazer o aluno aprender e gostar daquilo.
Uma das primeiras coisas que você precisa ter em mente quando quer se aventurar em uma língua nova é que: não é impossível. Acredite, o nosso pensamento é um dos nossos maiores limitadores, quanto mais você pensar que não vai conseguir e ficar repetindo que "mal sabe português" mais sua mente vai internalizar que você é incapaz de absorver aquela língua, porque você mesmo já se determinou um estúpido. Então, não faça isso. É difícil, sim, mas impossível não. Eu comecei estudando inglês com aqueles audiocursos que vem junto de livros, dicionários, traduzindo textos e músicas que eu gostava, as minhas primeiras traduções eram horríveis, aquele tipo de tradução que não tem o menor sentido. Como eu sempre gostei muito de música, procurava sempre imprimir as letras e tentar aprender, ia ouvindo, acompanhando e repetindo até conseguir dizer todas as palavras. O exercício de ouvir e repetir ajuda você a articular os músculos do seu rosto a esse novo idioma, línguas como Inglês, Chinês, Russo, Alemão e afins movem muitas vezes músculos faciais e articulações que não usamos em português. Uma posição de língua, uma entonação, um formato diferente na boca pode fazer toda a diferença.
Hoje em dia isso parece estar lentamente desaparecendo das escolas, mas acredite, o fato de traduzir textos me rendeu uma gama de vocabulário bem útil na época. Eu ia daqueles textinhos bestas pra criança que eles passavam na escola, a textos um pouco mais complexos, com mais gírias ou palavras distantes do meu vocabulário básico. O negócio é que, quanto mais palavras você conhece, mais fácil fica para ler e reconhecer sobre o que você está lendo. Eu também tinha a mania de escrever coisas em inglês, assim, pegava um caderno qualquer, e começava a escrever pensamentos que eu tinha, criei até músicas! Não apenas para puxar da minha mente as palavras que eu sabia, mas para exercitar a lógica do idioma e me forçar a pensar naquela lógica. O que me leva a:
Segunda coisa que você precisa ter em mente: Entenda a lógica do idioma que está aprendendo. Cada língua tem a sua funcionalidade própria, você vai conhecendo ela aos poucos, foi o mesmo quando você aprendeu português, a diferença é que isso veio muito sutilmente e naturalmente para você uma vez que você cresceu em um ambiente em que todos falam essa língua e que tudo que te cerca está nessa língua. Então, para aprender esse novo idioma você precisa pesquisar a fundo a lógica desse idioma, se você compreender a mecânica dele vai conseguir assimilar com mais facilidade. Vamos exemplificar isso.
Em português nós dizemos:
Qual seu nome? (de forma coloquial mesmo)
Qual - pronome interrogativo
é - verbo ser que ficou oculto na frase
Seu - pronome possessivo e indicador de sujeito (você)
nome - objeto

Em inglês essa frase é:
What is your name?
What - pronome interrogativo
is - verbo que ao contrário do anterior não pode ser ocultado
your - pronome possessivo e idicador do sujeito
name - objeto

Em Chinês essa frase é:
你叫什么名字?(Nǐ jiào shénme míngzì?)
ou simplesmente na forma coloquial 你叫什么? (Nǐ jiào shénme?)
你 Nǐ - pronome você
叫 jiào - verbo chamar
什么 shénme - funciona aqui como pronome interrogativo, se traduz como "o que"
名字 míngzì - objeto significa nome

Em português a lógica é: PI+V+PS+O, em inglês a lógica é quase a mesma com a diferença que o verbo não pode ser ocultado como acontece no português, mas a lógica do Chinês é totalmente diferente, ele funciona com PS+V+PI+O. Vemos essa lógica na forma de perguntar outras coisas também como, por exemplo, no nosso idioma usamos o sinal de interrogação e a entonação para fazer perguntas. Em inglês a ordem da frase muda um pouco com a troca de verbo e sujeito e o acréscimo, quando necessário, de verbos auxiliares em chinês, apesar de manter a interrogação, há casos em que se usa uma partícula para pergunta: 吗 (ma) e em Japonês, além da partícula própria para perguntas, no caso é a partícula か (ka) não usa-se a interrogação quando essa partícula está presente. A entonação dá o tom da pergunta. Então, entender como a língua que você quer aprender funciona vai facilitar infinitamente a sua vida.
A terceira coisa a se fazer é: consumir a língua. Sim, você leu isso mesmo. Ouça músicas, veja filmes e séries com legenda e tente absorver o máximo que você conseguir. Se você - ao contrário de mim - for uma pessoa disciplinada, o aprendizado vai vir naturalmente e você vai se tornar fluente em bem pouco tempo, eu muitas vezes não achava o filme que queria legendado ou dublado então assistia em inglês e sem legenda. Como foi com Speak, que só vim achar legendado um bom tempo depois. Quando você se acostuma com as legendas vai passar a odiar coisas dubladas, eu mesma prefiro mil vezes legendado hoje em dia. Percebi que estava evoluindo assim, do nada, quando passei a ver um vídeo e conseguir entender o que estavam dizendo mesmo que não totalmente, mas boa parte,  começou identificando o nome de coisas, depois entendendo diálogos e até falas inteiras. Os textos eu parei de traduzir e comecei a me focar em entender, foi assim que li Kuzu no Honkai em inglês e entendi bem a história mesmo que não conheça todas as palavras, se souber pelo menos 60 a 70% delas vai conseguir compreender o contexto sem a necessidade de traduzir ou saber o significado de todas elas.
E por último, mas não menos importante, treine sempre. Isso é importante porque quando você perde o contato com a língua você esquece porque seu cérebro não armazena coisas que você não usa por muito tempo. Um exemplo bacana, quando eu estava aprendendo os números em Chinês (e abro um parêntese aqui, eu sou horrível para aprender números em qualquer língua, até hoje não sei contar em Japonês! Demorei muito para aprender em inglês, mas incrivelmente Chinês entrou facinho), eu fiz uma cadeia com post-it ao lado do computador e sempre tentava repetir os números para mim mesma, datas, telefones, números aleatórios, até fixar bem os símbolos e as pronúncias. Do mesmo jeito quando eu aprendi a cumprimentar, sempre que minha irmã ia dormir, quando acordava, quando ia sair, eu falava o cumprimento em Chinês ou praticava as frases que havia fixado em Japonês como tadaima, okaeri, itterashai. ittekimasu. Praticar, mesmo que falando sozinho, vai te auxiliar a fixar o que você aprende.
Eu não sou fluente em inglês, acho que sou uma pré-intermediária e sendo muito otimista ao dizer isso. Estou estudando Chinês ha um tempo, mas é muito difícil porque além de não ter a disciplina necessária eu não tenho ninguém com quem conversar de fato nessa língua. E isso atrapalha um pouco. Então não seja como eu, se dedique e se conseguir uma galera pra enlouquecer contigo melhor ainda!
Se você já aprendeu algum idioma sozinho me conta aí como foi!

Nenhum comentário:

Postar um comentário