terça-feira, 5 de junho de 2018

[Escrita] Planejamento de Enredo II - Representação Simbólica de Relações

Olá, pessoal!

Hoje a gente vai dar continuidade ao post anterior (que ficou bem grande, por sinal) e, seguindo a lógica de representação simbólica, vamos aprender como representar as relações do personagem principal com outros personagens e o uso de personagem transversal, uma ferramenta bem útil na implementação de plot twist que é a reviravolta da história.

No post passado nós vimos que a história de base é toda a linha cronológica de fatos que antecedem o início do livro e que são utilizados como forma de embasamento e construção do enredo presente na obra. É uma ferramenta importante da construção, pois é essa história de base que vai dar solidez ao enredo e densidade ao personagem. Vimos também os dados divisórios que são inícios ou fins de uma etapa/momento histórico na vida do personagem. Não ignorem esses passos gente, aquela representação simbólica faz toda a diferença na construção do seu livro, digo isso por própria experiência. Quando você cria uma história prévia para esse personagem, você evita que ele seja volúvel pelo seu humor ou inspiração na hora de escrever, conhecendo-o bem você será capaz de dar-lhe uma identidade fixa ao longo de toda a história mesmo com suas evoluções.

Outro elemento principal é a relação desse personagem com outros e com o mundo em que ele habita. Por isso, um elemento fundamental na história de base são os contextos. Eles mostram por onde esse personagem andou ao longo da vida e o que ele observou desse contexto, como ele se relacionou com esse contexto e se tornou aquilo que ele é no início do livro. Para representar as relações históricas do personagem com outros naquela mesma linha do tempo nós vamos montar meio que uma espécie de organograma, eu sugiro que façam isso numa folha de A4 que dá para ter um panorama maior e melhor.


Então, usando o mesmo personagem X do exemplo anterior, nós representamos aí a relação dele com a mãe, como ela morreu no parto, então a gente inicia a linha dela antes da linha do personagem X, marcando onde ela nasce, e finalizamos onde a vida do personagem se inicia, sinalizando a morte dela. Mas, essa mãe vai aparecer como assunto, ela vai ser citada, ao longo do livro em dois momentos, o primeiro aos 38 anos do personagem e o segundo aos 81 pouco antes de sua morte. Esse assunto pode ser em forma de lembrança, em um diálogo com outro personagem, através de um documento, etc.

Da mesma forma a gente vai representar a relação dele com o pai, do momento em que ela se inicia até o momento da sua morte no início do livro. E os aparecimentos dele como assunto ao longo da história narrada caso ele apareça. Assim como o início do aparecimento do amor do protagonista, iniciando-se quando eles se conhecem, e quando se inicia a relação até o final do livro ou até a etapa em que os dois ficam juntos. Veja que, apenas com essa representação você já tem um pequeno mapinha do seu enredo, alie a isso a história de base do personagem principal (ou dos personagens caso seja mais de um) e você vai ter ferramentas para construir uma história sólida, com causalidade, e personagens verossímeis.

Apesar de não ser de uso obrigatório, é muito interessante em uma narrativa (principalmente para um plot twist) o uso de um personagem transversal, são personagens não recorrentes (como um NPC em um jogo de RPG) que tem uma passagem rápida, mas significativa na vida do personagem principal. Eis como o representamos na linha do tempo:

A primeira aparição desse personagem ao personagem principal acontece aos 18 anos onde ele deixa um ensinamento ou  algo do tipo, ele volta então aos 42 anos desse personagem X e faz alguma espécie de revelação que pode mudar todo o enredo ou resolver o mistério (questão principal) da obra.

Antes de encerrar esse post, gostaria de indicar alguns sites que servem de guia para autores iniciantes como nós, são excelentes ferramentas de estudo da narrativa e da composição literária e oferecem cursos (pagos) de escrita criativa, mas também disponibilizam excelente conteúdo gratuito.

O Ficção em Tópicos é o maior site de storytelling e escrita criativa do Brasil. Nele você encontra ferramentas que vão desde a concepção de ideias até o passo a passo da escrita do livro. Eu já o citei aqui no post que falava sobre vozes do personagem, mas você encontra muitas outras coisas lá como:
  • Como iniciar o livro?
  • Como criar personagens?
  • Como escrever diálogos?

E muitas outras coisas! É escrito por um cara que tem uma bagagem muito grande em escrita criativa com cursos e mestrado por boa parte do mundo. O site ainda oferece cursos pagos de escrita criativa. Eu indico fortemente principalmente para quem está no comecinho, o conteúdo disponível grátis é muito rico, vale a pena dar uma estudada nos posts. As guias do site trazem as postagens por ordem de assunto e sequência de trabalho.

O Carreira Literária foi idealizado pela Flávia Iriarte, dona da Editora Oito e Meio, você encontra dicas de leitura, escrita criativa, publicação entre muitas outras coisas. Eu recomendo assinar a newsletter deles, sempre tem indicações de vídeos sobre escrita, concursos literários, sem contar que, dependendo do seu gênero, você ainda tem a oportunidade de mandar seu original para avaliação (contudo se está começando agora não recomendo).

Mais para frente vou conversar um pouco com vocês sobre publicação e autopublicação e contar como foi minha experiência com as editoras, além de dar uns toques de editores sobre o envio de originais. Contudo, vale a pena se inscrever no CL e se ligar nas dicas.

Outro canal muito bacana além do Ficçomos que já indiquei em outro post é o Exercícios de Criação Literária, conheci esse canal por acaso, mas gostei muito do conteúdo que vai além de dicas de escrita, mas fornece exercícios práticos e um pouco desafiadores até, de escrita criativa com a chance de enviar para Sabina Anzuategui, criadora do canal, ter seu exercício avaliado e comentado num vídeo. Lá você encontra temas como personagem, enredo, composição de texto, métodos de trabalho, carreira de escritor, mercado editorial. Vale a pena se inscrever e conferir.

Vejo vocês no próximo post, bons estudos e sigam escrevendo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário