sábado, 14 de março de 2015

Caminhos da Floresta e Cinquenta Tons de Cinza

Nota: **
Enquanto Cinquenta Tons de Cinza se mostrou razoavelmente surpreendente, Caminhos da Floresta me decepcionou um pouco. Achei a história totalmente previsível em quase todos os pontos e mesmo contando com ótimas atuações a Disney parece ter economizado com os efeitos especiais, que nesse filme foram bem fraquinhos e sem impacto e também parece ter ficado sem inspirações  musicais, de todo filme (que é quase todo cantado) eu só curti a primeira música I Wish (acho que o nome é esse) e a música da Chapeuzinho vermelho com o Lobo. As histórias se entrelaçam no enredo e acompanhamos a insegura Cinderella fugindo do príncipe, a desobediente Chapeuzinho vermelho que rouba doces, a pobre Rapunzel privada da liberdade, um ingênuo João cuja mãe irritadiça e muito pobre passa fome e um casal que deseja mais que tudo, um filho. A bruxa dá ao casal a oportunidade de ter um filho se eles lhe levarem até a meia noite do terceiro dia quatro itens simples aparentemente, mas difíceis de conseguir, é nessa busca que as histórias vão se entrelaçando e as lendas já conhecidas são contadas em sua maneira original. O único ponto realmente positivo que eu achei no filme foi o fato de retratarem o tal "principe encantado" de forma realista.
"Fui ensinado a ser charmoso, não sincero". Palmas para Disney por ter finalmente aceitado esse fato e dado esse "tapa" na cara do romantismo idealizado. No demais, o filme não me surpreendeu nem um pouco, achei muito chatinho para uma produção da Disney e não superou nem de longe as minhas expectativas com ele.

Nota: ***
A minha irmã assistiu esse filme antes de mim. Eu já tinha ouvido falar um monte sobre esse livro, mas nunca tive real interesse em ler (e muita amiga minha tentou me emprestar!) quando ela assistiu e me disse que não tinha "nada demais", eu pensei um pouco ainda antes de decidir por fim dar uma chance. A opinião dada aqui será exclusivamente SOBRE O FILME, uma vez que eu não li os livros e não posso falar ou comparar de maneira mais aprofundada.
Assisti muitas resenhas de Cinquenta e a maioria delas negativa. Isso diminuiu ainda mais a minha curiosidade com a história, que já não era muito grande, e pelo conteúdo ser "adulto" eu decidi não ler, porque não gosto desse tipo de literatura. Mas vi o filme no final e comparando ele ao livro Entre o Agora e o Nunca, os palavrões foram bem menos do que eu esperava. Certo, gostei das atuações, ouvi dizer que Dornan teve uma atuação "fraca", eu discordo, para a personalidade "sombria" do personagem dele achei que ele desempenhou bem o papel. A Dakota estava divina, não chegou a me emocionar, mas eu gostei da vida que ela deu a personagem, sem contar que preciso tirar o chapéu para ela, não só vida, mas personalidade também. Gostei dessa mudança no perfil da Anastásia que, nas resenhas, era descrita pelos vlogueiros como insegura, "alienada" e sem estima nenhuma. No filme, eu curti esse ar de petulante e determinado que a Dakota deu a ela, como naquela parte:
"Não, obrigada, vou continuar com meu livre-arbítrio mais um pouco."
Um ponto super negativo na trama são os cortes, ficaram muito mal feitos! Achei um desleixo por parte da produção, a gente conseguia perceber exatamente quando a cena era cortada e onde. A trilha sonora mudava bruscamente assim como a cena e isso não ficou bacana. Mas eu gostei bastante dos cortes das cenas explícitas que fizeram e, sinceramente, o filme pode ser visto a partir dos 16 sem problema e sem adultos porque não tem mesmo nada demais. Não é "pornô" como eu pensei que seria (e como todo mundo queria que fosse) e como, provavelmente, o livro deve ser. Uma coisa que eu sou obrigada a concordar com os "críticos" dessa história é a reação da Anastácia com relação ao quarto de Christian, foi muito... pacífica para a estranheza e até mesmo pavor que deveria ter sido mais "normal" a uma menina virgem embora a posição da Dakota durante o filme tenha amenizado um pouco isso, mas ainda não foi o bastante. No geral, dou três estrelinhas ao filme, é razoável e gostei por ter explorado mais o lado "romântico" da história do que, propriamente, o lado sexual. Isso tornou o filme assistível e tolerável, até interessante. A minha parabenização vai pra Dakota por ter dado mais personalidade à personagem, foi o ponto do filme que curti mais. Mesmo assim, não vou ler o livro. Como eu disse, não é um tipo de literatura que me interesse. Mas o filme é razoável.

2 comentários:

  1. Não vi caminhos da Floresta ainda, mas quero muito ver.
    Sobre 50 tons de cinza, perca de tempo total. Além desses cortes, o filme é claramente abusivo. Não consegui enxergar aquilo como erotismo, na verdade, eu achei tudo muito doentio por parte o Grey.

    http://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu particularmente não gostei, pra um filme da Disney eu esperava bem mais.
    Como eu não li o livro eu tenho uma visão bem parcial das coisas, foquei mesmo no que "deu pra salvar" do que vi, sadismos a parte, não foi tão horrível quanto achei que seria. E não tenho mesmo nenhuma base sobre erotismo para julgar isso ou refutar rsrsrs, Entre os dois, prefiro a Cinderella kkkk

    ResponderExcluir