segunda-feira, 19 de junho de 2017

[Anime-Se!] Lovely Complex Anime + Filme

Título Original: ラブ★コン RR: Rabu★Kon
Ano: 2007
Autor: Aya Nakahara
Direção: Konosuke Uda
Gênero: Shoujo, comédia, romance
Temporadas: 1
Episódios: 24
Nota: *****

Sinopse: Uma comédia romântica que conta a história de dois estudantes do ensino médio que estão desesperadamente à procura de um amor. Koizumi, uma jovem muito charmosa e engraçada, e Otani um rapaz bonito e carismático. Mas ambos possuem um pequeno impedimento ao procurarem a pessoa certa: Koizumi é alta demais e Otani baixo demais. Eles sempre andam juntos, são até apelidados de All hanshin-Kiojin (uma dupla de comediantes japonesa). Com o passar do tempo todos seus amigos vão formando casais e só os dois continuam solteiros. Quem sabe um dia os All hanshin-Kiojin arranjem alguém que os ame de verdade.

Ah, sim! Finalmente vou falar de Lovely Complex! Minha irmã estava me enchendo pra ver esse anime desde o ano passado, então, essa semana que passou a gente acabou vendo o filme e eu ri muito, decidi terminar Noragami que só faltavam cinco episódios e tirei o domingo pra maratonar o anime (terminei 1:30 da manhã!) e valeu muito a pena! Mas vamos do início.
Risa Koizumi é uma jovem cheia de vida e super engraçada que deseja ardentemente encontrar um namorado, o único problema é que ela tem 1,70 metro! Por isso, de modo algum ela aceita sair com rapazes mais baixos que ela. Em contrapartida, Atsushi Otani sofre com o problema contrário, ele tem 1,56 e de jeito nenhum sairia com uma garota mais alta que ele. Os dois estudam na mesma sala e são conhecidos por viverem em pé de guerra, mas também estarem sempre em sintonia perfeita (eles falam ao mesmo tempo com muita frequência), por isso são sempre colocados como representantes de turma e têm um apelido engraçado, all hanshin-kiojin nome de uma dupla de comediantes do Japão.
Otani é apaixonado por uma das amigas de Risa, mas a menina têm uma quase fobia de garotos. Enquanto Risa é caidinha por um novato na escola de quem Otani promete se tornar amigo para ajudá-la se ela fizer o mesmo com ele. Assim, os dois se empenham em juntar os pares sem sequer perceber que eles próprios têm muito em comum e são igualmente malucos. Acaba que os dois amigos por quem eles estavam apaixonados se apaixonam formando um casal e acabando com qualquer esperança dos amigo-inimigos. 
Derrotados, em meio a uma briga eles acabam desafiando um ao outro para descobrir quem consegue um namorado primeiro. Se ela ganhar, Otani promete comprar qualquer jogo que ela queira e, caso ele ganhe, ela tem de lhe comprar um par de tênis de basquete. Assim, começa uma correria desesperada para conseguir um namorado enquanto seus dois casais de amigos que já namoram começam a insistir que eles se tornem um casal, não apenas por serem muito parecidos e viverem brigando como um casal casado há anos, mas por terem muito em comum como a paixão musical por Umibozo, um rapper japonês (ficcional creio eu).
E de fato é quase o Umibozo que junta os dois! Mesmo tendo muito em comum, nem Risa nem Otani dão o braço a torcer em relação a se gostarem, contudo, a convivência e, principalmente a atitude de Otani no natal, começam a fazer Risa pensar no ami-nimigo (acabei de inventar isso) como um garoto e, quando menos se dá conta, está apaixonada por ele. E não fosse problema o bastante ela mesma custa a acreditar que isso está acontecendo, mas aconselhada (vulgo pressionada/forçada/intimada) por sua melhor amiga Nobu-chan a dizer a ele a verdade ela confessa seus sentimentos e BAM! Ele leva na brincadeira.
Incapaz de acreditar que Risa realmente gostaria dele Otani pensa que ela estava brincando o que acaba machucando muito os sentimentos dela. Porém, quando finalmente encara que ela não estava brincando começa a questionar os próprios sentimentos concluindo que não é capaz de vê-la como namorada, inicialmente Risa pensa que é porque ela é muito mais alta que ele e encara que, comparada a ex namorada de Otani ela não tem a menor chance. Contudo, quando um professor belíssimo que se parece muito com o namorado do jogo que Risa é fã aparece na escola e começa a dar-lhe atenção, Otani começa a perceber que não gosta quando ela olha em outra direção que não a sua e que isso não tem somente a ver com seu ego. Contudo, admitir seus sentimentos e, sobretudo, entendê-los parece ser uma tarefa difícil demais e ele não tem tempo para isso uma vez que está a um passo de perder Risa para outro.
Em contrapartida, a própria Risa dá duro para conquistar o coração do baixinho que se tornou mais especial do que ela poderia imaginar, mas a tarefa parece exigir cada vez mais dela ao ponto de perder todas as suas esperanças. Ela terá forças para desistir de vez de Otani e seguir em frente em busca de outra pessoa para dar seu coração? E Otani será capaz de admitir que está apaixonado pela gigantona que ele só via como amiga?
Não há palavras para dizer como esse anime é amorzinho! Eu dei altas gargalhadas com ele e, mesmo que não tenha chegado a me fazer a proeza de chorar, doeu bem muito algumas cenas. As caras e bocas principalmente da Risa e da Nobu são de matar a gente de tanto rir, no geral o anime é bem leve e super fofinho! Mas não se limita a isso, a mensagem por trás da história é o ponto chave de tudo. Nós temos uma protagonista alta, nem um pouco "delicada" ou "feminina" de acordo com os padrões sociais e um protagonista baixinho e comum, nada saradão ou metido a briguento e é essa divergência real de gente como a gente que faz a história ser tão tocante. Cada um deles vive sob o próprio complexo de aparência e inferioridade e eles se apoiam para amenizar isso.
Me identifiquei muito com algumas das dificuldades enfrentadas pelas personagens do anime, acompanhar o crescimento e o amadurecimento deles e dos seus sentimentos não é apenas divertidíssimo, mas muito bonito de se ver. Ele se equipara bem a Kimi ni Todoke por ser divertidíssimo e contar com um casal que pena muito pra finalmente se assumir. No caso aqui mais pelo Otani ser lento como uma competição de corrida entre lesmas. Mas, ao contrário de Kimi, Lovely Complex não nos deixa nem um pouco frustrados contando com beijinhos super fofos entre os protagonistas! Vale muito a pena ver, é sério! O final do anime não é cem por cento fechado, mas é bom e acho que conclui bem.

Título Original: ラブ★コン RR: Rabu★Kon
Ano: 2006
Autor: Aya Nakahara
Direção: Kitaji Ishikawa
Gênero: Shoujo, comédia, romance
Elenco:  Ema Fujisawa, Teppei Koike,  Nami Tamaki, Yusuke Yamazaki,  Hiro Mizushima

Se tivessem feito um dorama ou webdrama teria sido muito mais proveitoso. Como filme, Lovely Complex perdeu a maior parte do seu charme e dos personagens que contribuem para a carga cômica da obra. Eles mudaram e apressaram muita coisa pra caber em uma produção tão curta e apesar da adaptação ter ficado boa, foi o que aconteceu com Kimi ni Todoke também as melhores partes foram cortadas. Inclusive, até a família da Koizumi foi mexida, no anime ela mora com os pais e um irmão e trocaram o irmão dela por uma irmã mais velha sinistra. Cenas como o beijo do terraço, minha favorita, foi cortada no filme. na verdade basicamente todos os beijos do anime foram cortados no filme.
Achei boas as atuações na parte cômica os atores tiveram uma química até boa e gente, eu mal posso acreditar que o Teipei Koike que interpretou o Otani tem 31 anos! Que cara de 15! Enfim, o mesmo que eu disse em Kimi ni Todoke digo aqui, poderia ter sido melhor sim, acho que é uma história boa demais para ser condensada em um filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário