terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Desafio 365 dia #2: Escreva uma história usando apenas diálogos. Sem descrição. Só diálogos.

Related image

#2 Escreva uma história usando apenas diálogos. Sem descrição. Só diálogos.


— Precisava mesmo falar com você.
— Não acho que temos nada para conversar, Pietro.
— Ah, nós temos sim. Você está me evitando por alguma razão desde a semana passada, Elle, e quero saber a razão.
— Não estou não. É coisa da sua cabeça.
— O fato de você dar de ombros mostra que não é coisa da minha cabeça. Você sempre faz isso quando está magoada, o que eu fiz?
— Ah, para com isso, você está viajando.
— Pensei que eu fosse seu melhor amigo, que não escondíamos nada um do outro! O que houve na festa da Louane que te deixou tão irritada?
— Eu nem deveria ter ido naquela festa para começar. Só fui porque você me arrastou.
— Se eu soubesse por um minuto que fosse que acabaríamos assim não teria feito. Só achei que você precisava se divertir um pouco, estava te achando meio pra baixo e você não é assim.
— E me levar na festa da sua namorada “rainha-de-todos-os-mortais” é o melhor programa para animar alguém, hein?
— Espera... que namorada?
— Faça favor, Pietro. Louane não esconde de ninguém que você é propriedade privada dela, a essa altura até as revistas de fofoca tem coluna sobre isso!
— Desde quando todo mundo sabe disso menos eu?
— Depois eu que sou a desgarrada da sociedade escolar!
— Não revire os olhos, você sabe que eu odeio isso.
— Ah, me desculpe por não ser a melhor-amiga-perfeita. Com licença.
— Não senhora, não ache que vai sair assim. Você está me deixando maluco com esse tratamento! Não bebi na festa da Louane e não me lembro de ter feito nada que pudesse despertar essa ira que você tá direcionando pra mim agora.
— Eu não estou “irada” com você, Pietro. Só não quero conversar.
— Elle, sua TPM só vem na segunda semana do mês, essa ainda é a primeira. E você é regularíssima que eu sei, então faça o favor de parar de fingir a TPM antecipada e me diga a verdade.
— O que você quer ouvir, Pietro? Eu não tenho o dia todo e o intervalo está quase acabando.
— Que se dane o intervalo! Eu não vou te deixar em paz até você dizer por que tá me tratando desse jeito!
— Não grite comigo!
— Eu grito porque eu me importo, Elle! Que droga! Você é minha melhor amiga e eu não quero perder isso por nada.
— É mesmo? Então devia começar me contando mais o que acontece com você, porque até onde me lembro a gente tinha prometido não esconder nada um do outro.
— Mas eu não escondi nada de você.
— Não mesmo? Faça um esforço, Pietro. Na festa da Louane você me deixou sozinha com aquele bando de bêbados acéfalos enquanto estava com a boca engolindo o rosto dela num quarto do andar de cima.
— Como é?! Espera aí, quando isso aconteceu?
— Você tava drogado, por acaso?
— Eu subi com a Louane pro andar de cima sim, mas por uns dois minutos porque ela queria me contar sobre o pai.
— Tá. Okay. Então o fato de todo mundo estar sabendo que você é incrível na cama deve ser uma mera coincidência.
— Santo Deus, não me diga que...
— Ah, minha aula de álgebra estava mais atualizada que a coluna de fofocas do times e sabe o que é mais hilário? Eu era a única que não sabia. Descobri através da própria Louane.
— Elle... isso não é verdade! Eu nunca toquei na Louane. Levou o que? Dez minutos até você gritar quando o idiota do Larson tava tentando te agarrar à força?
— Não é que eu seja profissional pra saber quanto tempo uma relação sexual dura em média, Pietro.
— Sério, você me conhece há mais de dez anos, Elle, acha mesmo que eu seria capaz de dormir com a Louane?
— Você baba por ela desde o fundamental, conta outra.
— Por Deus, você é muito panaca mesmo. Eu nunca me interessei pela Louane, eu só olhava pra ela porque ver sua cara de raiva era a coisa mais fofa do mundo.
— O quê?
— Você fala de mim, mas acho que a cega da história é você. Elle, eu te amo, estúpida!
— Não é uma boa hora pra piadas, Pietro, não tô no humor pra isso.
— Você sabe que eu não estou brincando. Durante todo esse tempo eu vim tentando fazer você notar o que eu sentia, mas parece que não funcionou.
— Então de todas as garotas no planeta estava usando a Louane pra me causar ciúmes? Você é um panaca mesmo!
— Claro. Eu sabia que você não se ligaria se fosse outra garota.
— Ia sim. Seu trouxa! Eu ia ficar furiosa se fosse qualquer outra garota.
— Ah, finalmente você admitiu! Por que raios nunca me disse que gostava de mim?
— Tinha medo que as coisas ficassem estranhas.
— Bem, seus ataques de ciúmes são engraçados e tudo, mas dessa vez eu não gostei nem um pouco de levar gelo por duas semanas.
— Eu só... fiquei maluca. Não queria imaginar você tocando a Louane ou qualquer outra garota.
— Deveria ter me dito isso desde o começo. E se te consola, nunca pensei em tocar nenhuma garota que não fosse você.
— Que maluquice!
— Ah, um sorriso! Assim é bem melhor!
— Diga de novo?
— O quê? Que eu gosto de ver você sorrir?
— Não, que gosta de mim.
— Eu não gosto de você, Elle. Eu amo você. E já tem tempo o bastante para metade do mundo saber. Como pode acreditar nas viagens da Louane?
— Ah... nunca imaginei que você pudesse gostar de mim assim, como eu sou.
— Talvez quando eu te beijar você pare de pensar tanta idiotice.
— Ah, é? E quando você pretende fazer isso?
— Agora mesmo.

Esse me deu um pouco de trabalho hahaha. Confesso que não descrever nada foi bem difícil pra mim, mas eu gostei muito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário