sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A Promessa do Tigre - Colleen Houck

Título Original: Tiger's Promise
Ano: 2014
Série: Saga do Tigre - extra
Sinopse: Medo. Esperança. Dúvidas.
Antes da maldição, uma promessa.
Mais de 300 anos antes de Kelsey Hayes surgir na vida de Ren e Kishan, uma jovem cruzou o caminho dos príncipes. Seu amor por um deles mudou o curso da história e o destino da família Rajaram.
Criada longe dos olhos da corte, isolada do convívio no castelo, Yesubai luta para suportar os maus-tratos do pai e manter em segredo suas habilidades mágicas. Lokesh é um poderoso e cruel feiticeiro que foi capaz de assassinar a própria esposa porque ela lhe deu uma filha em vez de um filho. 
Ao completar 16 anos, Yesubai é surpreendida por um anúncio do rei. Procurando fortalecer suas relações diplomáticas, o nobre acredita que um casamento entre a filha de Lokesh, comandante de seu exército, e um pretendente de algum dos reinos vizinhos será uma boa estratégia para diminuir os conflitos na região.
A jovem recebe a notícia com alegria. Pela primeira vez ela enxerga um fio de esperança, a perspectiva de escapar do controle do pai e de levar uma vida fora do confinamento de seus aposentos.
Mas esses não são os planos do feiticeiro. Ele vê no iminente casamento de Yesubai uma oportunidade de conseguir ainda mais poder e não poupará esforços para atingir seus objetivos sombrios. 
A promessa do tigre conta a origem da história dos príncipes Ren e Kishan e os acontecimentos que levaram às aventuras da aclamada série A maldição do tigre.

Eis a última resenha de 2016. Em A Promessa do Tigre, conhecemos a responsável pela maldição do tigre e a rixa entre os dois irmãos. Yesubai desde criança aprendeu a temer o pai, Lockesh, tanto quanto aprendeu, para o seu próprio bem, que postura tomar diante dele. Confinada em seus aposentos no lugar mais distante do castelo, ela tem em Isha, sua ama de leite, a única companhia e nas flores que lhe são levadas diariamente o único consolo. As únicas raras ocasiões que sai de seu quarto são os compromissos sociais que o pai leva para exibi-la e ficar ao lado dele, pelo breve momento que for, é para a menina uma experiência aterrorizante.
Ao completar 16 anos, o rei sem filhos decide usá-la como estratégia política para reforçar alianças e trazer riquezas ao reino. Ao descobrir as intenções do rei, Lockesh - que esperava ter a menina para si como seu saco de pancadas particular - vê-se furioso, mas tem então a tão esperada chance de conseguir, por meio dela, aquilo que quer. Para ela, aquela é a oportunidade de fugir do seu cruel pai, por isso, ela decide priorizar os reis mais velhos e dos reinos mais distantes, é quando um belo estranho que aparentemente não está nem um pouco interessado nela lhe chama a atenção. Mas Lockesh tem outros planos. Impiedoso e sádico, ele sequestra Isha para manter Yesubai sob seu controle e, após assassinar o rei, envia a menina para o reino Rajaram após fazer um acordo com Kishan. 
Sem alternativa, Yesubai vê com pesar seu futuro, para proteger a vida da ama, ela terá que assassinar Dihren, com quem deve conseguir se casar, e conseguir para o pai as relíquias e tesouros da família. Mas quando começa a conhecer Dechen. mãe dos meninos, ela se sente ainda pior por compactuar com as crueldades do pai. Ao se ver apaixonada por Kishan, Yesubai tem nas mãos dois dilemas, o primeiro de ser obrigada a casar-se com Dihen e o segundo o mandato do pai para assassinar Kishan e o Rajaram. Desesperada para salvar o amado, ela bola um plano para livrar a família Rajaram das garras diabólicas do pai, mas o preço a pagar por seu ato será muito caro.
Só me dei conta de como estava sentindo saudade de ler essa série quando peguei esse extra. Foi uma das melhores séries que li, apaixonante. Conhecemos um pouco Yesubai que é "vendida" por Colleen como uma garota corajosa, e eu concordo até certo ponto, às vezes penso que se ela tivesse escolhido dizer a verdade a Dechen desde o início as coisas tivessem tomado um rumo diferente, mesmo que isso implicasse sacrificar Isha. No entanto, não faria muito sentido porque nesse caso o resto da série não aconteceria, então um brinde a pequena covardia dela. 
A relação entre ela e Kishan é notavelmente forte, mesmo com Ren escrevendo aquelas cartas aparentemente amáveis, talvez até pelo fato do livro ser narrado por ela, você não consegue sentir uma afeição real pela parte dele. Também, pudera, eles não se conheciam e ele se casaria por pura obrigação. Foi bacana ter esse vislumbre da família dele, conhecê-los um pouco melhor principalmente a mãe deles, e ter uma visão mais ampla dos momentos que antecederam a maldição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário