terça-feira, 16 de abril de 2013

Frustrada... Ainda mais!


Ultimamente eu tenho pensado muito sobre mim, sobre a minha formação enquanto pessoa, sobre o futuro. Eu sei que possivelmente pensar sobre o futuro é idiotice, uma vez que é algo sobre o qual não temos controle, que não podemos prever. Mas não tenho como não me preocupar com isso, desde agora as coisas mostram, provam que eu não vou ter um destino muito bom.
Na maioria das vezes, as mães preparam suas filhas para a independência, para conseguir cumprir os deveres que mesmo depois de séculos ainda são de responsabilidade delas: cozinhar, administrar uma casa, limpar, passar, costurar e etc. Mas eu não fui uma aluna muito boa no que diz respeito a isso, talvez pelo fato de eu ter sido criada de maneira diferente da minha irmã... E eu me arrependo muito disso.
Quando criança, depois de escolhidas as pessoas que iriam me amadrinhar, eu fui meio que “raptada” pelas minhas madrinhas, segundo a minha mãe, elas me levavam cedinho pra lá e só me devolviam de noite. Isso quando eu ainda era uma criança de colo. Durante o meu crescimento, que foi quase todo lá, eu não fui criada para desenvolver tarefas domésticas, meu tempo era ocupado em ler, estudar e brincar. Elas não me educaram para enfrentar a vida, para fazer trabalhos de casa, para lidar com dificuldades... Fui formada para ser como elas e graças a isso até hoje não sei tratar carne!
Meu psiquiatra me disse que o meu problema de depressão vem desde o nascimento, mas as vezes eu penso que essa formação de “riquinho” que eu tive influenciou muito nessa minha frustração pessoal. Quando a minha mãe me tirou de lá, por motivos que eu não quero lembrar, eu senti diretamente esse choque... Em casa eu tinha que aprender a lavar pratos, varrer, lavar roupa, enfim... Crescer. E eu não estava preparada pra isso, não estou. Hoje eu sou muito menos resistente que a minha irmã, detesto esses serviços que na maioria das vezes depende de mim... Minha mãe me julga preguiçosa e eu não tiro a razão dela de jeito nenhum, não fui feita para isso, não consigo e no fundo não quero me adaptar a essas situações. E isso complica mais a minha vida, porque implica dizer que eu sou incapaz de manter uma casa em ordem, que eu fui feita para ter alguém que faça isso por mim, e é o mesmo que mostrar que eu não sirvo para nada além de ler e tirar notas bonitas.
Ai, quando eu penso em me ver para frente, me pergunto o que vai ser de mim... O que eu vou fazer quando minha mãe não estiver mais do meu lado, quando eu não tiver onde me refugiar, quando a minha irmã estiver casada... Quando eu estiver sozinha. Isso é lógico porque adorando trabalho doméstico e com o gênio incrível que eu tenho – Sim estou sendo sarcástica. – eu não posso me casar de maneira alguma! Seria o mesmo que pedir para que o suposto marido trocasse o conforto do paraíso pela agonia do inferno. E quando paro para pensar nisso nenhuma das possibilidades me agrada. Se eu tiver sorte – o que provavelmente não vai acontecer. – eu conseguiria um bom emprego, que não exigisse de mim mais que um esforço mental – e não muito porque eu sou uma estúpida! – e me proporcionaria condições de ter alguém comigo que mantesse minha casa em ordem. Mas como histórias de livros são só de livros, provavelmente eu vou ter um emprego de comércio que me exploraria o máximo – minha irmã trabalha em um eu sei como é. – e teria que aprender a fina força a ter jeito de gente.
Cada vez mais eu me convenço que é melhor eu dar uma de louca e me esconder num hospício... Esse mundo é muito estranho e eu não fui preparada para viver nele...

2 comentários:

  1. Kath, eu tenho a solução para os seus problemas. Eu mesma.
    Tipo eu e você em uma casa seria o ideal. Primeiro, eu te entenderia e você me entenderia, segundo, eu teria meu espaço, você teria seu espaço. Eu limparia a casa, e você aprenderia comigo, pois diferente de você, eu aprendi desde muito cedo a me virar sozinha. Tipo minha fazia assim, eu te mostrei, agora aprende e se vira sozinha.
    Eu faço exatamente tudo, desde costurar, lavar, passar, até cozinhar e arrumar.
    Todos os dias meus pais me preparam, hoje mesmo eu tomei uma bronca por ter esquecido de fazer os deveres. Meus pais dizem que é melhor eles me ensinarem a ouvir broncas aqui dentro de casa, para aprender o que é certo. Do que lá fora no mundo, que ensina da pior maneira possível.
    E tem mais um motivo para morarmos juntas, eu não quero uma familia, menos ainda um esposo. Eu nasci para ser solteira, é uma opção minha, tenho certeza que não viveria uma semana com um homem perto de mim, ainda mais se fosse meu esposo.
    Bom, pense nisso, eu amaria morar com você.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uol pessoa! Se eu for morar sozinha certamente convidarei você rsrsrs
      Essa infelizmente é a minha realidade, a coitada da minha mãe até meio que desistiu de mim... E de fato foi um erro eu ter sido criada com tudo à mão. Mas eu te agradeço muito a solidariedade e não creia nas suas palavras, na sua idade eu dizia a mesma coisa... Logo vai aparecer a pessoa certa e acredite você ainda vai ter um bb lindo *_* nossa irmandade está de pé então!
      Beijos anja!

      Excluir