quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

[TAG: #Japonês] - A Escrita Japonesa


こんにちわみなさん!

Como estão? Bem, os posts de Japonês serão feitos às terças-feiras, mas enquanto eu não coloco a nova rotina nos eixos, vou adiantar já o primeiro post da Tag Japonês e hoje nós vamos conhecer os tipos de escrita do idioma. Muita gente - digo por mim - antes de ter contato real com o Japonês, olha para palavras ou frases escritas no idioma e acha que é uma coisa do outro mundo, impossível de assimilar quando, na verdade, com um pouco de dedicação e estímulo no momento que você passa a conhecer a dinâmica da língua vê que não é um bicho de sete cabeças. Como eu disse no post de apresentação, são o HIRAGANA, KATAKANA, KANJI e há também o romanji, mas ele não faz parte da escrita japonesa, já vou explicar porque, primeiro vamos conhecer sobre elas. Antes de iniciarmos nosso conhecimento, vamos entender o que é Kana, que pode ser um termo a vir ser usado em algum momento. Kana é o termo geral para as escritas silábicas japonesas hiragana (ひらがな) e katakana (カタカナ). Assim como o antigo sistema japonês conhecido como man'yogana, os kanas foram desenvolvidos para simplificar os caracteres de origem chinesa conhecidos no Japão como kanji (漢字), que se pronuncia hànzì em chinês, como uma alternativa de escrita (básica ou simplificada) e em adição a este último. Bem, esclarecido isso, vamos aos demais.

Hiragana: É o silabário básico, para escrever こんにちわみなさん (kon'nichiwa mina-san) que significa olá pessoal, foi utilizado esse silabário, ele é de uso recorrente no idioma por isso é o primeiro que precisamos aprender bem! É usado para todas as palavras para as quais não exista kanji, ou este exista mas seja pouco usado. Também é usado para substituir os kanji e nas terminações dos verbos e dos adjetivos. O japonês é escrito como é ouvido; Exceto as partículas de sentença, que possuem uma segunda leitura. É o caso de は (ha) que é lido wa quando ele é uma partícula, a partícula へ (he) que também é lido e e a partícula を (wo) que é lida como o. É de primordial importância que se aprenda o Hiragana, vai ser de muita ajuda na comunicação em Japonês e na facilitação de entender a pronúncia dos kanjis.
Tabela Hiragana
Katakana: É o silabário designado a escrita de palavras estrangeiras, pense comigo, quando escrevemos uma frase que tem um estrangeirismo como por exemplo: "Observei o estilo bad girl que ela usava" nós destacamos o termo "bad girl" porque está escrito em inglês, do mesmo modo, os Japoneses utilizam a Katakana para escrever termos estrangeiros que não fazem parte do seu idioma, por exemplo televisão que veio do inglês television e em Japonês é escrito テレビ (terebi). Os traços do Katakana, ao contrário do Hiragana, são mais retos. Dos alfabetos japoneses, este é o mais antigo e foi desenvolvido para simplificar os kanjis de origem chinesa que chegaram antes do começo da isolação cultural japonesa, que se manteve inflexível até o fim da Era Edo.
Estes caracteres, ao contrário dos kanji, não têm nenhum valor conceitual, senão unicamente fonético usado para representar onomatopeias, nomes científicos de plantas, animais e minerais, palavras e nomes estrangeiros, além de enfatizar certas expressões em textos .
Exemplos:
ミスター (misutaa, do inglês mister)
スーパーマーケット (suupaamaaketto, do inglês supermarket.)
Tabela da Katakana


Kanji: Muito provavelmente, de todo o estudo do Japonês o Kanji seja o que mais assusta os estudantes (digo por mim mesma!), ao contrário dos silabários anteriores, os Kanjis desempenham papel fundamental na comunicação escrita japonesa, além de serem palavras e não sílabas.  são caracteres da língua japonesa adquiridos a partir de caracteres chineses, da época da Dinastia Han, que se utilizam para escrever japonês junto com os caracteres silabários japoneses katakana e hiragana. 
Os kanjis são ideogramas que expressam coisas concretas e abstratas, através de radicais (partes indivisíveis dos kanjis) que dão a sugestão de que somadas formam a palavra (às vezes o radical é o próprio kanji, ou a palavra é formada por mais de um kanji). Há três tipos de kanjis: Pictográficos (São desenhos de objetos e fenômenos do cotidiano), ideográficos (Representam o abstrato (sentimentos, ideias, números, etc.) e os Complexos.

O Romanji é empregado na transcrição fonética da língua japonesa para o alfabeto latino (ou romano). Em outras palavras é um "jeitinho brasileiro" de ajudar na leitura e no aprendizado dos silabários e dos kanjis. Porém, é preciso dosar a regularidade com que é usado, quanto mais da língua própria usamos, melhor o aprendizado.
Há ainda outra ferramenta muito usada em sites para iniciantes que é o conhecido furigana você certamente vai ouvir sobre ele, também conhecido como rubi é o nome dado à forma de adicionar hiragana a um ideograma kanji. O furigana dá a pronunciação literal do kanji em questão usando o hiragana que é escrito normalmente em pequenas letras por cima ou ao lado do kanji. Geralmente utilizado para kanjis com variações ou kanjis antigos não conhecidos na atualidade. 
Exemplo:


かん
Daí a importância de aprender o Hiragana.

Por enquanto, eu não estou vendo os Kanjis, os únicos que aprendi foram 私 (watashi) que significa "eu" e 先生 (sensei) que significa "professor".  Para quem é bom de memorizar, o professor Luis Rafael diz que é possível aprender o Hiragana e o Katakana em uma semana cada um, talvez porque eu aprenda em um ritmo mais lento, não consegui essa façanha, mas a dica dele é válida e eu vou ensinar esse método dele e outros que eu uso para aprender.
Ainda não comecei a aprender a Katakana, porque mesmo que eu tenha memorizado toda a Hiragana, ainda há algumas sílabas que ainda estou "enganchada" então prefiro não avançar para o próximo silabário até garantir que eu aprendi bem o primeiro. Para isso, algumas dicas são bem legais:

Flashcards: No site goconqr é possível criar cartões de estudo online que, se quiser, você pode imprimir. Os cartões facilitam o acesso ao silabário, você pode estudá-los em qualquer lugar.
Músicas: Assim como o inglês, aprender japonês com música é a melhor coisa do mundo! A ideia para quem está começando é básica, procurar o romanji da música e transcrevê-lo para Hiragana. No começo, você vai ter muita dificuldade, mas logo conforme for estudando, as coisas se tornam mais fáceis.
App de celular. Há um monte. Como eu tenho um android baixei nele o Obenkyo que é bom porque tem testes e ainda serve para futuros estudos com o Katakana e os Kanjis. Tem também o Hiragana Learn, entre muitos outros, só soltar no playstore: learn japanese que vai sair uma infinidade.
Animes e J-Dramas: Talvez essa seja um pouco avançada, mas funcionou comigo além de me trazer um pouco de vocabulário, a dica é ouvir uma palavra e copiar o romanji como você o escuta e depois transcrevê-lo para Hiragana (ou escrever direto na Hiragana) e pesquisar no tradutor (sim, o do google!) se tem o mesmo sentido que você ouviu no anime ou drama.
O Teclado Virtual LEXILOGOS: muito útil, é um teclado virtual que permite a escrita nos silabários e pesquisa de kanjis. Um bom auxiliar!

TAREFA DE CASA!

1. Ouvir a primeira aula do curso da NHK (Clique AQUI)
2. Escrever, a partir do diálogo da aula, sua própria apresentação a alguém ;)
3. Fazer o exercício de transcrição da música com o vídeo abaixo.

Se ficou alguma dúvida em alguma coisa, me manda um comentário que eu vou tentar esclarecer, tá bom? De início é isso, foi o que eu aprendi assim que decidi estudar Japonês, então, nos vemos depois!

またね!

Referências bibliográficas: 
https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_japonesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário