domingo, 27 de novembro de 2016

North & South

Escrito por: Elizabeth Gaskell (livro), Sandy Welch (roteiro)
Dirigido por: Brian Percival
Elenco:Daniela Denby-Ashe
Richard Armitage
Sinéad Cusack
Jo Joyner
País: Reino Unido
Ano: 2004

Margaret Hale tem uma vida pacífica no Sul da Inglaterra onde seu pai é um clérigo, as pessoas são próximas e amistosas, os prados verdejantes e a quietude fazem parte da vida da região. Até que toda sua calma é abalada quando, decidido a abandonar a igreja, o pai decide ir embora para o Norte, na cidade de Milton onde o ritmo frenético da vida contradiz tudo que Margaret conhece por belo e necessário. As ruas são sujas, as fábricas muitas e a cortesia e os modos de vida totalmente diferentes. Enquanto procura uma casa com um aluguel razoável para a nova condição de sua família, ela acaba se deparando com uma propriedade do Mr. Thornton, seus empregados se recusam a tratar o valor do aluguel com ela por ela ser uma mulher, então, indignada, ela vai atrás do homem que é dono de uma fábrica de algodão, o encontro não é dos melhores, depois de ficar quase uma hora a espera, ela embrenha-se pelos corredores apertados e asfixiantes da fábrica de tecelagem e presencia o dono despedindo duramente um de seus empregados. Chocada por essa primeira impressão, Margaret decide que Jonh Thornton é alguém com quem ela não quer nenhuma intimidade, no calor da ira, ele a coloca para fora da fábrica também. Quanto mais tenta se adaptar ao ambiente rude e violento de Milton, mais Margaret desacredita que possa se adaptar aos seus costumes frios e capitalistas onde as pessoas divididas em classes sociais tratam-se rudemente, os mais ricos exploram os mais pobres que morrem de fome e excesso de trabalho para enriquecer ainda mais seus patrões frios e gananciosos. Acaba que Jonh tomará aulas com seu pai, o que a colocará, mesmo contra sua vontade, em contato com ele, ela está convencida de que conheceu o inferno no momento em que pisou em Milton - e na fábrica de Thornton - pela primeira vez.
Os desentendimentos entre os dois afloram com a greve dos funcionários da fábrica, por ser amiga da família do cabeça da greve, Margaret é mal vista por Thornton e seus amigos, a capacidade dela falar o que pensa sempre foi uma das coisas que mais gostei nela, mesmo diante de seu conhecimento relativamente limitado sobre a situação, ela sempre procura ver as coisas por todos os ângulos antes de tomar uma posição ou não se posicionar de jeito nenhum. Ao salvar John de um ataque dos grevistas furiosos, ela é ferida e ele acaba encarando seus sentimentos por ela, mas é rejeitado, não apenas por ela achar que não retribui seus sentimentos, mas por duvidar dos dele. Com o orgulho ferido ele decide se afastar dela, a mãe de Margaret fica gravemente doente e em um impulso ela escreve para o irmão que se esconde na infância por problemas na marinha inglesa, ele vem até a cidade despedir-se da mãe, mas acaba causando um mal entendido que faz com que John ache que ele é amante de Margaret e isso aumenta o seu desprezo por ela, a fuga de Fred, irmão dela, culmina na morte de um homem e John acaba salvando-a de um escândalo, ainda assim, pela segurança do irmão ela decide não contar a ele a verdade. Quando o pai dela morre e ela se vê sozinha no mundo, a tia vem buscá-la e parece ser o fim de qualquer chance para os dois, de alguma forma, quase o é, até que o jogo vira e o inesperado acontece.
É interessante observar os dois lados da história, estamos na sequencia da era industrial onde crianças são forçadas a duras horas de trabalho forçado, onde pessoas morrem e adoecem pelas jornadas exaustivas, a má nutrição e as toxinas das fábricas, ainda assim seus filhos morrem de fome e eles continuam na miséria. Em contrapartida somos levados a ver o lado de Thornton, as dívidas que precisa saldar, as encomendas que tem que entregar e a única pessoa que vê o conflito com racionalidade é Margaret, que percebe a falha no diálogo entre as partes, o tratamento péssimo do patrão para com os empregados que não tem nenhum direito trabalhista e são explorados até última instância. Justa como é, não consegue entender como aquilo pode funcionar e mesmo que sinta um profundo desprezo por Jonh, vê seus sentimentos mudando conforme o conhece, conforme se aproxima também de sua realidade.
Vale ressaltar a odiosa irmã de Jonh, uma garota mimada e insuportável que, vendo os sentimentos do irmão por Margaret, faz de tudo para denegrir a imagem dela. Poderia dizer que equipara-se a criação de Mrs Steel no livro Razão e Sensibilidade. A mãe dele é uma mulher fria, dadas as circunstâncias trágicas pelas quais passou, o tipo de realidade que ela conhece pode, até certo ponto, justificar sua postura. Não li o livro então posso falar bem pouco acerca da qualidade da adaptação, gostei das atuações, a embromação com os sentimentos de Margaret chegaram a me dar nos nervos e o fato de tudo se resolver no fim como anime shoujo não ajudou muito meu ânimo. A história é de fato muito boa, retrata uma época importante da história, aponta conflitos sociais que culminaram na sociedade que temos hoje e é rico em detalhes e reflexões. Recomendo.


Disponível em 4 partes no Daylimotion: CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário