terça-feira, 28 de março de 2017

Mulheres Atrevidas - Annie West e Maggie Cox

NOIVA CHANTAGEADA - Annie West Dario Parisi, um magnata de coração endurecido, está convicto de que deve reivindicar seu direito de nascença roubado, mesmo que tenha de obrigar a neta de seu maior inimigo a ser sua esposa... e dormir em sua cama! Alissa Scott está longe de ser uma doce noivinha. Ainda assim, Dario se sente seduzido por ela ao máximo! Quando Alissa tenta mudar as regras, ele exige que todos os votos matrimoniais sejam obedecidos. Até que finalmente Dario consegue despi-la e descobre exatamente o tipo de noiva virgem que estava procurando... 

DESEJO EM JOGO - Maggie Cox O executivo e bilionário Piers Redfield é um predador sem igual, tanto na sala de reuniões quanto nos aposentos mais íntimos de seu apartamento. E Emma está muito longe de fazer parte do mundo dele. Mas quando ela o enfrenta para proteger uma pessoa, Piers sabe que terá de conquistar aquela morena atrevida. Nada melhor do que levá-la com ele para Paris e proporcionar à jovem garçonete um fim de semana inesquecível. Entretanto, Emma não é uma mulher para somente um caso rápido... E logo Piers descobre que seu desejo por ela é incontrolável...

Não sei se acontece quando você começa a ler uma determinada variedade de livros, mas eu tenho me tornado um pouco exigente com o conteúdo desses livrinhos que antes só lia por diversão já sabendo exatamente o que esperar deles. O problema é que agora, por eu saber o que esperar deles, por alguma razão a leitura tornou-se um pouco massante. Temos dois magnatas com mais dinheiro do que podem gastar, duas mulheres que precisam de dinheiro e, aquém do título do livro, têm pouca experiência amorosa, vivem de um trabalho duro e tem aquela tensão sexual imediata assim que se encontram com o rico, frio e imponente CEO de determinada empresa. A história se desenrola a partir da incapacidade dos dois sentarem e colocarem os pingos nos /i/ dizerem o que sente e o que está acontecendo até tudo se resolver em três ou quatro páginas no final da história com aquelas declarações meio abruptas. Quando penso nisso, queria fazer um estudo do público feminino americano para saber por que, aquém de toda padronização, isso continua sendo best seller.
Na primeira história, que das duas foi a que achei mais razoável, encontramos Alissa, uma jovem criada em uma gaiola de ouro e que, às vistas de todos, era uma princesinha mimada pelo avô, um italiano que construiu um império sob as posses dos outros. Na realidade era um velho sádico que torturava ela e a irmã psicologicamente e ainda batia nelas por qualquer motivo. Ela saiu de casa levando Donna, sua irmã mais nova, consigo sabendo que ela havia se rebelado e entrado em um mundo de drogas e promiscuidade usando o nome de Alissa. Quando as consequencias disso são uma grave lesão no fígado que pode levá-la à morte, Alissa precisa desesperadamente de dinheiro para um tratamento que só pode ser feito nos EUA (elas moram na Austrália), é quando ela tem a ideia de se casar de mentira, pois o testamento do seu cruel avô lhe deixa uma propriedade avaliada em muito dinheiro se ela se casar e conviver seis meses com seu marido.
Assim, ela tem a ideia de casar-se com seu amigo gay e conviver com ele seis meses para herdar a propriedade e pagar o tratamento da irmã. Entretanto seus planos são frustrado por Dario Parisi, inimigo do seu avô e a quem Alissa recusara duas propostas de casamento arranjado no passado. Ele a força a se casar com ele para conseguir o castelo que ela herdará e que, por direito, pertence a família dele. Sem saída, Alissa acaba aceitando, mas o envolvimento dos dois que era para ser uma farsa acaba evoluindo para algo mais forte principalmente impulsionado pelo ódio antigo entre as duas famílias.
Na segunda história, Emma é uma garçonete cuja avó precisa de uma cirurgia no coração, por isso ela trabalha arduamente noite e dia para conseguir o dinheiro necessário para o tratamento da senhora e sua estabilidade quando sair do hospital. Ela é amiga de Lawrence Redfield, o filho de um importante magnata do ramo do aconselhamento empresarial, mas que aparentemente é negligenciado pelo pai. A pedido de Lawrence ela vai até o escritório de Piers (e que nomezinho infame, viu?) na tentativa de conseguir investimento para um projeto que ele tem de um negócio de cerâmica na Cornuália. No entanto a história não lhe rende nada além de uma atração sexual inegável pelo poderoso pai de Lawrence, um tratamento gélido e uma briga feia com o próprio Lawrence.
O que Emma não poderia esperar era virar objeto de jogo entre pai e filho que disputam sua atenção e seu corpo. Piers vai jogar com tudo que tem para conquistá-la e leva-la para cama, coisa que o filho tentou por meses e não conseguiu, contudo, o que ele não esperava era querer mais e mais de Emma depois de tê-la pela primeira vez. Basicamente isso.
O bom é que as histórias são curtas, normalmente 150 páginas cada, a gente lê rapidinho, mas essa padronização irrita as vezes porque tira da gente qualquer chance de se surpreender, vamos sempre saber o que vem a seguir antes de ler. Em poucos capítulos da história você já consegue prever ela toda e, na maioria dos casos, acerta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário