domingo, 19 de novembro de 2017

Evanescence - Synthesis


tracklist:
1. Overture 
2. Never Go Back 
3. Hi-Lo
4. My Heart Is Broken 
5. Lacrymosa
6. The End Of The Dream
7. Bring Me To Life 
8. Unraveling (Interlude) 
9. Imaginary 
10. Secret Door 
11. Lithium 
12. Lost In Paradise 
13. Your Star 
14. My Immortal 
15. The In-Between
16. Imperfection 

Vocês sabem que eu acompanho o Evanescence já tem um tempo bem grande, conheci a banda no ano do The Open Door, em 2006, com a música Lithium que foi a primeira música deles que eu ouvi. De lá pra cá, a voz doce de Amy Lee foi soundtrack de inúmeros momentos da minha vida. Com todas as mudanças da banda, comecei a ficar um pouco apreensiva diante da possibilidade do grupo acabar de alguma forma descaracterizado com a proposta que conhecemos e amamos, o que mais ou menos aconteceu com o ultimo CD do Linkin Park, Amy começou a lançar músicas solo e, mesmo que eu tenha gostado muito, a marca do Evanescence ainda era soberana para meus ouvidos chatos pra c***lho em questão de música.
No momento que a proposta do Synthesis foi lançada eu vi no facebook e, pouco tempo depois, uma amiga me marcou na "estreia" de Bring Me To Life versão do álbum, por essa música eu percebi que o CD seria mais ou menos aqueles Reckpage que os coreanos fazem, só que no caso do Evanescence fazendo essa pegada mais clássica, basicamente, ouvindo o álbum, a gente tem uma versão "sinfonizada" de algumas músicas antigas da música, como o caso da citada, e ainda conta com três inéditas.
O álbum, ao meu ver, tem a proposta de ser uma espécie de sinestesia para quem ouve, se você ouvir com os olhos fechados, por exemplo, é capaz de visualizar cores, sentir arrepios realmente incríveis, as músicas ficaram com aquela cara de pop sinfônico como se fossem algo mais ao estilo Bach do rock. Quem curto música clássica vai amar, contudo quem não tem costume com esse estilo vai achar um pouco estranho ou só detestar mesmo. De todas as músicas com arranjos novos, Imaginary e Death of a Dream. A melhor parte desse disco é que a gente pode ter uma visão mais clara da voz da Amy, ela aparece mais e se solta mais também, até ousa mais eu diria. Gostei muito o álbum, vale a pena conferir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário