sábado, 8 de fevereiro de 2014

O Grande Tuomas Holopainen

Cara, assim eu tinha que fazer uma matéria sobre esse gênio da música que é o Tuomas Holopainen. Esse homem é uma inspiração pra mim, mesmo com todos os defeitos que fazem dele humano não se pode negar que o cara é o Mozart do metal sinfônico! Além de ser altamente inteligente, Tuomas é elegante, pois manifesta seus pensamentos, sua raiva, gostos e desagrados através de composições que fazem qualquer um ficar boquiaberto, tira-se por Bey Bey Beautiful que ele escreveu para Tarja Turunen, uma maldade, mas uma maldade de excelente qualidade fônica diga-se de passagem. Não há como negar o talento extraordinário de Tuomas Holopainen e por isso esse post vai contar um pouco sobre ele, e as melhores composições do cara na minha humilde opinião.

História Pessoal: Tuomas nasceu em 25 de dezembro de 1976 em Kitee, Finlândia. Desde a infância ele é fã dos clássicos da Disney bem como seus personagens, preferindo o Pato Donald. Quanto a literatura, ele prefere histórias de fantasia pura, ou de mistérios, como O Senhor dos Anéis ou The Dark Tower, de Stephen King. Ele também é fã da série Dragonlance, na qual ele se inspira em suas composições. Tuomas é dono de uma pequena ilha próxima a Kitee onde costuma receber seus amigos pessoais e descansar nas férias.
 A Trajetória do Gênio: é um compositor, arranjador, orquestrador, tecladista e letrista. Seus estilos musicais mais frequentes são o symphonic metal, música clássica e heavy metal. Holopainen escrevia textos musicais desde a escola. Ainda com sete anos de idade, sua mãe o escreveu em aulas de piano, mais tarde ele também estudou clarinete, saxofone e música teórica. Na adolescência ele se tornou pianista de uma banda escolar de jazz.
Tuomas entrou para sua primeira banda em 1992, um pequeno projeto chamado Dismal Silence, onde esteve apenas como membro ao vivo por alguns meses. Em 1995, ele entrou para o grupo Darkwoods My Betrothed, já no álbum de estreia Heirs of the North Star, foi nessa época que ele escreveu sua primeira canção, "A New Heaven A New Earth". Nesse mesmo ano ele entrou para outra banda, Nattvindens Gråt, com a qual lançou dois álbuns, A Bard´s Tale e Chaos Without Theory, e uma Fita Demo, Dar Svanar Flyger.
Tuomas continuou trabalhando com o Darkwoods My Betrothed até 1998, lançando com a banda mais dois álbuns, Autumn Roars Thunder e Witch-Hunts.
Em julho de 1996, Tuomas decidiu criar seu próprio projeto musical para que ele pudesse escrever suas próprias músicas. Para a formação do grupo, chamou dois amigos de escola, a cantora Tarja Turunen e o guitarrista Erno Vuorinen.12 Em dezembro eles gravaram e lançaram uma demonstração intitulada Nightwish, da qual foi retirado o nome da banda.
Em novembro 1997, é lançado o primeiro álbum, Angels Fall First, o grupo fez seu primeiro show em 31 de dezembro do mesmo ano, em sua cidade natal. A banda, porém, só ficou internacionalmente famosa com o lançamento do álbum Oceanborn, em 1998. Em 1999, o grupo se apresentou em diversos lugares da Finlândia e da Europa e continuou fazendo shows pelos anos de 2000 e 2001, período de lançamento do álbum Wishmaster e do EP Over the Hills and Far Away.
Nessa época, Tuomas decidiu acabar com a banda, chegando a ligar para as duas gravadoras, Spinefarm e Drakkar para anunciar o fim, mas decidiu reconsiderar após uma conversa com o cantor Tony Kakko. Para que a banda continuasse, Tuomas demitiu o até então baixista, Sami Vänskä, e contratou Ewo Rytkönen como novo empresário. A banda também assinou um contrato com a King Foo Entertainment.
O Nightwish ao vivo em 2005.
Em 2002, o Nightwish lançou o álbum Century Child e excursionou mundialmente para divulgá-lo. O álbum Once, de 2004, vendeu mais de 1 milhão de cópias ao redor do mundo, conseguindo dois discos de platina e um de ouro. A turnê promocional do álbum acabou em21 de outubro de 2005 em Helsinque, na Finlândia, após esse show, Tuomas demitiu Tarja atráves de uma carta aberta, e anunciou que o Nightwish realizaria um pausa durante o ano de 2006.
Em Abril de 2006, Tuomas começa a trabalhar no novo álbum do Nightwish, Dark Passion Play, mas a nova vocalista da banda, Anette Olzon, só foi anunciada em maio de 2007. Em setembro de 2007, Dark Passion Play é finalmente lançado mundialmente, e no mesmo mês a banda inicia uma turnê mundial que passou por Portugal e Brasil em novembro de 2008, a turnê promocional do álbum acabou em 19 de setembro de 2009 em Helsinque, na Finlândia.
Além do Nightwish, Tuomas também produz a banda finlandesa de pop rock Indica, que se tornou o número de abertura do Nightwish em 2008 e 2009, ao lado dos suecos Pain.
Tuomas também produziu o álbum Sufferion – Hamartia of Prudence, do grupo Silentium, em 2003.
Holopainen disse que é fortemente influenciado pelos filmes. Músicas como "Beauty of the Beast", "Ghost Love Score" e "The Poet and the Pendulum" foram fortemente influenciadas no gênero. Outras como "Bye Bye Beautiful" e "Wish I Had an Angel" tem inspirações no Rock industrial, e outras como "The Islander", "Last of the Wilds", "Creek Mary's Blood" e o álbum Angels Fall First possuem raízes folclóricas e indígenas. Holopainen também disse que a trilha musical dos filmes é o que ele escuta em seus momentos de lazer, ele é fãn das música de Van Helsing e Crimson Tide, e praticamente todas as composições de Hans Zimmer.
Programas de televisão também tiveram influênia sobre o Nightwish, muitas das músicas mais clássicas da banda tem raízes em séries de TV, como Dragonlance, e também as sequências de O Senhor dos Anéis, dentre as músicas enraizadas nesses gêneros estão "Wishmaster" e "Wanderlust". Na discografia do Nightwish podem ser encontadas referências à "The Kharolis Mountains", "Shalafi", "Krynn, "Elbereth" e "Gray Havens". A música "7 Days to the Wolves" foi inspirada na série literária The Dark Tower, de Stephen King.
[Fonte: Wikipédia]
Tuomas é fã do Tio Patinhas, e uma das coisas que eu mais gosto nele é que ele consegue transformar qualquer coisa em algo grandioso, a maior prova disso é seu projeto solo que será baseado em uma edição antiga do Tio Patinhas que ele leu quando criança, uma das músicas foi lançada recentemente em um vídeo interpretado por Tuomas no piano e a namorada Johana Kurkela nos vocais, além de outros convidados. A música é fantástica, uma verdadeira obra prima sinfônica.
Algumas Curiosidades sobre o Gênio:
1. ''Tuomas era muito inteligente para a sua idade, quando ele tinha 2 anos ele aprendeu cada letra. Ele diz que uma das suas primeiras memórias era estar sentado num hospital com sua mãe, quando tinha 2 anos, após ter quebrado sua perna, ele ter olhado e lido a palavra ''X-ray'' (tradução obviamente raio-X) da parede e as enfermeiras não terem acreditado uma criança tão nova ter lido.''
2. ''Qual é a coisa mais estranha que um fã já fez por você?''
''Havia uma mulher que queria tanto casar comigo que ela realmente me mandou um certificado do divórcio dela, e ela já tinha reservado uma igreja. Eu a conheci uma vez antes, e foi realmente assustador - eu meio que a ignorei e ela ficou muito, muito irritada. Eu disse a ela que era muito estranho para mim, mas quanto eu cheguei ao meu quarto de hotel, havia uma mensagem deixada por debaixo da porta que tinha palavras bem desagradáveis'' - Tuomas Holopainen.

Melhores Composições:
Na minha opinião, eis aqui as 10 melhores obras compostas pelo maestro e gênio Tuomas Holopainen:
1. Song of Myself
2. Ghost Love Score
3. A Lifetime Of Adventure
4. Sleeping Sun
5. I Want my Tears Back
6. Passion and the Opera
7. Dead Boy's Poem
8. The Poet and the Pendulum
9. Cadence of Her Last Breath
10. Wishmaster

O Imaginaerum:
Para mim, esse album foi o mais perfeito que o Tuomas já criou, as músicas do album assim como o filme são verdadeiras obras de arte! Eu tenho que me redimir ao dizer que não gostava da Anette Olzon na banda, eu não gostava dela cantando as músicas da Tarja, mas o trabalho dela nos dois álbuns da banda do qual ela fez parte foi realmente maravilhoso, principalemente o Imaginaerum que, na minha opinião, foi o ápice do Nightwish. Sobre as músicas do álbum eu achei coisas bem interessantes na wikipédia:
"Taikatalvi", que significa "Inverno Mágico" em finlandês, descreve a vida apenas como uma lona de circo para as pessoas, e é declamada em finlandês por Marco com um acompanhamento orquestral, e "Storytime" diz que o sentido de nossa vida é construído em cima de fantasia eimaginação, e Tuomas a descreve como sua versão do clássico natalino The Snowman, sendo o principal single do álbum;3 "Ghost River" descreve a vida como um privilégio supremo, foi a primeira canção do disco a ser finalizada, sendo descrita por Tuomas como um "duelo entre o diabo e a Mãe Gaia", e "Slow, Love, Slow" diz que o amor sincero não precisa de promessas e nem de palavras, mas essa não é uma faixa de heavy metal, tendo sido ambientada como uma canção de jazz inspirada por filmes dos anos 30, possuindo a presença de umtrompete em evidência e de um violão de flamenco, e Tuomas disse que seria uma "grande surpresa" para todos.3
"I Want My Tears Back" fala da saudade de coisas do passado, e seu instrumental é baseado na gaita irlandesa de Troy Donockley, "Scaretale" é descrita como uma "viagem aos medos da infância", com a presença em evidência de um coral infantil que cria o ambiente de um filme de terror, sendo descrita por Tuomas como a versão da banda de "Enter Sandman", do Metallica, e "Arabesque" é uma faixa instrumental.3 "Turn Loose the Marmaids" fala sobre testemunhar a partida de um amor, e é descrita por Tuomas como "melancólica e triste", e segundo ele é a única balada de verdade no álbum, "Rest Calm" fala da imortalidade da esperança e da memória e possui inspirações no thrash metal, e "The Crow, the Owl and the Dove" diz que o amor e a verdade são o mais importante na vida, tendo um teor acústico e sendo uma composição do baixista da banda, Marco Hietala.3
"Last Ride of the Day" foi feita para o time de baseball  finlandês Kiteen Pallo, "Song of Myself" foi inspirada em um poema homônimo de Walt Whitman e é dividida em quatro partes, From a Dusty BookshelfAll that Great Heart Lying StillPiano Black e Love, sendo a segunda faixa mais longa na discografia da banda, apenas dezessete segundos menor do que "The Poet and the Pendulum", do álbum anterior.3 A faixa final, "Imaginaerum" é uma canção puramente orquestral, sendo um resumo das principais melodias do álbum desenvolvida e conduzida pela maestro da Orquestra de Londres, Pip Williams, sendo que ela era, originalmente, a última parte de "Song of Myself", mas durante a edição final Tuomas achou que a canção funcionava melhor como uma faixa individual.
[ Fonte: Wkipédia]

Nenhum comentário:

Postar um comentário