quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

5 ji kara 9 ji made (From 5 to 9)

Título Original: 5時から9時まで
Gênero: Comédia romântica
País: Japão
Episódios: 10
Elenco: Ishihara Satomi as Sakuraba Junko
Yamashita Tomohisa as Hoshikawa Takane
Furukawa Yuki as Mishima Satoshi

Sinopse: Sakuraba Junko é uma professora temporária de uma escola de conversação em inglês que sonha um dia trabalhar em Nova York. Junko luta duro para atingir seus sonhos, mas Nova York parece uma realidade bem distante. Além disso, já faz um tempo em que ela também não tem tido muita sorte no amor. Mas as coisas começam a mudar repentinamente quando um dia Junko encontra o belo monge graduado na Universidade de Tokyo, Hoshikawa Takane, em um funeral. Devido a dormência em suas pernas após ficar bastante tempo sentada, Junko acidentalmente derruba o vaso com as cinzas, que cai bem em cima da cabeça de Takane —provavelmente a pior das sensações que alguém poderia ter. Após este embaraçoso contratempo, Junko imagina que ela nunca mais voltará a vê-lo novamente. Entretanto, os dois acabam se encontrando novamente em uma sessão de encontros que estava sendo executado pela mãe de Junko. 

Confesso que eu só quis ver esse dorama por causa do Tomohisa. Tenho uma fantasia indecente por ele desde Kinkyori Renai. Pode não parecer pelo fato de que aparecem realmente mais dramas coreanos aqui, mas eu realmente gosto de doramas Japoneses, é que a maioria deles ou não me chama totalmente atenção na sinopse ou tem um enredo que eu consigo prever facilmente. Entretanto, um dorama com o Tomohisa não podia ser negligenciado (Code blue, me espere!).
A trama gira em torno de Sakuraba Junko, uma professora de Inglês que sonha em conhecer Nova Iorque, ela trabalha em uma instituição particular especializada em conversação de língua Inglesa chamada ELA, 
Em um cerimonial funerário num templo budista, Junko acidentalmente - por causa da dormência nas pernas causada pela posição "nipônica" de se sentar sobre as pernas - ela derruba a urna funerárias com as cinzas do falecido na cabeça do monge que presidia a cerimônia. O belo monge nada mais é que Hoshikawa Takane, o próximo sumo sacerdote do templo. Envergonhada pelo acidente, Junko tenta se tranquilizar ao pensar que nunca mais verá o monge de novo, mas, no dia do seu aniversário, seus pais a convidam para comer em um restaurante, todavia, quando ela chega lá quem a espera é Takane, o mesmo monge que ela derrubou as cinzas. Ele é direto e enfático ao dizer que quer se casar com ela, coisa que Junko acha um completo absurdo.
Ela está decidida a recusá-lo, mas o monge começa a segui-la por todos os lugares entrando na sua vida sem permissão e com a total aprovação de seus pais. Ela então faz um acordo com ele, treinar por uma semana como "esposa do templo" e, caso não dê certo, ele a deixaria em paz. No entanto, quando o prazo acaba e ela é dispensada pela severa avó de Takane, que quer que o neto se case com a perfeita e bem treinada Kaori, Takane não desiste de Junko afirmando que a ama e que não pode se casar com outra pessoa.
Os amigos de Junko começam a se apegar a Takane e seus modos fofos e meio inocentes, entretanto a chegada de Makoto, seu ex-professor e primeiro amor, acaba por confirmar as suspeitas de que ela não será capaz de se apaixonar por Takane, porém, seu coração parece ter outros planos quando mal entendidos são trazidos à tona e Junko passa de pessoa amada para pessoa que ama. Ela será capaz de fazer Takane reconsiderar sua decisão de viver sem ela?
Não dá pra falar muita coisa porque o dorama é muito curtinho, se falar de mais vou acabar spoilando. Achei suuuuper estranho não ver todo mundo se derretendo pelo Furukawa Yuki, não consigo deixar a minha impressão dele em Itazura na Kiss, e mesmo com o Tomohisa foi impossível não dar uns suspirinhos, principalmente por vê-lo na posição de friendzone. Também aparece o bonitão de Zettai Kareshii, achei bacana demais. O drama é leve, engraçado e o tema central é o amor, ele nos torna egoístas e muitas vezes cego. Mas, sobretudo, a principal lição é que amar não é prender, mas deixar ir. Só não gostei muito porque o final, como sempre, foi às pressas e ficou aquela coisa meio incompleta.
Sakuraba Junko é uma professora de inglês batalhadora que persiste no sonho de ir para Nova Iorque, mesmo que esse sonho pareça cada dia mais distante. Ela é alegre, determinada, focada e muito inteligente. Enfrenta os desafios de frente, ávida por aprender e dá tudo de si no que faz.
Apaixonou-se por Makoto, seu professor da ELA, mas nunca teve coragem de dizer a ele. Passa em dois exames para ser admitida na academia ELA de Nova Iorque, mas desiste do sonho por causa de Takane. Não houve nada em Junko que eu não gostasse, entendi bem a posição dela em recusar se casar abruptamente principalmente considerando que teria de abandonar a sua vida em prol da vida reclusa no templo, isso sem contar que ela não sentia nada por Takane. Foi bacana vê-la se apaixonar devagar, acompanhar seus delírios e sofrer com suas dificuldades. Ela não é a típica personagem vítima dos dramas, ela é forte e segura de si. Gostei muito dela.

Hoshikawa Takane foi um personagem que dividiu opiniões. Ele é um monge destinado a ser o sumo sacerdote do templo budista. Perdeu os pais na infância e desde então treinou para ser o sumo sacerdote morando com a avó. 
Apaixona-se por Junko e faz de tudo para conquistá-la muitas vezes sem medir as consequências de suas ações. É um homem inteligentíssimo com uma memória extraordinária, formou-se em várias universidades.
Inicialmente, achei Takane meio maníaco, stalker e um pouco lunático. Você demora a entender os sentimentos dele e a insistência começa a deixar você irritada. Ele fez Junko ser reprovada em um exame que ela passou simplesmente porque não queria que ela fosse pra Nova Iorque e começou a perseguir ela por todo lugar. Mas, com o passar dos capítulos, você vai realmente começando a ver que os sentimentos dele são sinceros e que ele não tem maldade, ele age realmente no impulso dos seus sentimentos que giram em torno de Junko mesmo que isso signifique tolher os sonhos dela, coisa que ele só vem se dar conta bem depois. Conforme o drama vai passando você se apaixona por ele também, afinal, é inevitável não cair pela fofura dele.

Momoe, eu tinha que falar dessa personagem porque ela foi a minha favorita no drama. Ela é uma das professoras de inglês do ELA que esconde um segredinho que logo se torna comum, é uma aficcionada por mangá Yaoi (romance entre homens). Ela é uma graça e sua particularidade acaba atraindo a atenção do professor mais bonito do ELA, Arthur, mas ela acha que ele só está brincando com ela e, além disso, tem um determinado problema com homens uma vez que não consegue parar de compará-los com os personagens dos seus mangás e viver shippando-os por onde quer que passe. Sem contar que, por Arthur ser um dos professores mais populares, ela não consegue acreditar que ele está apaixonado de verdade por ela. 
Dei altas risadas com seus ataques explicando as relações dos personagens, comparando os acontecimentos da vida real com os mangás, pedindo ao professor Mishima que lesse a frase do seu personagem favorito simplesmente porque ele se parecia com o desenho. Os chiliques dela eram meu maior deleite nesse drama. Sem dúvida a personagem mais interessante e minha favorita no drama. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário