terça-feira, 19 de março de 2013

Cold

Meu avô está morrendo... Quando cheguei em casa minha mãe havia me avisado que ele tinha piorado, nem mesmo meu pai voltou pra casa, imagino que as dores se agravaram e... Ele está só esperando a hora de ir. Pedi que minha irmã viesse direto para casa hoje, eu a conheço o bastante pra saber que ela nunca mais tiraria da cabeça a imagem dele dessa maneira, eu não tiraria também. Isso não ia fazer bem a nenhuma de nós. Minha mãe acabou de sair pra trabalhar e eu estou tentando concentrar minha cabeça em qualquer outro lugar. Ha pouco estava tentando dormir um pouco, mas não durou muito porque chegou gente aqui na lan... Dependendo do tanto de tempo que meu pai vá ficar em casa planejo fechar às 15h... Hoje foi puxado pra mim e amanhã não vai ser diferente, tem estágio de novo, não faço ideia de com que cabeça eu vou ver aula, com que cabeça eu vou conseguir me concentrar em alguma coisa. Enquanto a minha mãe falava com a minha tia ao telefone, chorando, eu fechava os olhos me forçando a dormir, a viajar para um lugar longe daqui... E é isso que eu quero, fugir dessa realidade dolorosa, apenas ir embora. A manhã foi cansativa, vou começar a chegar da faculdade e dormir, porque aguentar dois dias acordando seis da manhã não é pra mim... Minha cabeça ta doendo até agora, eu fico oscilando entre o chorar e o parecer calma, não sei nem de verdade como to me sentindo... O que eu to sentindo, é tanta coisa junta ao mesmo tempo que nem sei que nome dar. Queria fechar os olhos e abrir em outro lugar, em outra dimensão, longe de tudo isso...
Eu to tão cansada... É como se eu não sentisse nada... Só frio. E eu queria que esse frio me congelasse de uma vez, talvez não respirar mais fosse mais cômodo que só ter a pele do coração queimada com a temperatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário