quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Drowning


Minha vida é como o leito obscuro de uma noite tenebrosa
cujo o céu negro desprovido de estrelas leva para longe qualquer brilho de esperança
no fúnebre contexto do tempestuar de lágrimas
me afogo em meio ao meu desespero
e tão doce é a morte que me toma como esposa
no escurecer dos segundos que congelam meu espírito, perpetuado na agonia
da tristeza.
----- §§§§ -----
Com essas palavras eu começo o post de hoje, é exatamente assim que estou me sentindo e que fiquei me sentindo o dia todo. Hoje eu levantei tarde, minha mãe não se assustou porque é o meu normal embora para mim não tenha sido normal, eu tinha planejado levantar novamente às sete horas e aproveitar para estudar depois do café da manhã... Mas já abri os olhos com pré-disposição a um dia péssimo e foi exatamente assim que aconteceu. 
A minha vontade era ter passado o dia dormindo, mas isso é impossível quando eu tenho meio milhão de coisas para fazer; escrever (pufff!!!) nada! Meu cérebro ta oco e incapaz de produzir uma cena sequer. Até mesmo ler foi difícil e a música me arrancava lágrimas. Sinceramente eu preciso ficar longe do R*** o máximo possível. Como esses dias tem estado muito quente eu gosto de ler em um banco que fica quase em frente à minha sala na faculdade, o problema é que eu acabo "me afogando" no livro e esqueço que a sala dele fica bem atrás do banco, resultado: Ele me vê. Hoje ele veio falar comigo... Incrível como eu fico idiota quando ele está perto de mim, tremendo, coração acelerado, e encantada com a voz doce e aveludada e os olhos expressivos e tão ternos. Ai nessa hora eu esqueço que ele não é pra mim e volto a gostar dele mais do que deveria. 
Já dizia os mais antigos: O que os olhos não vêem o coração não sente e eu realmente espero que isso funcione! A partir de amanhã eu vou ficar na minha sala da hora que chego até ir embora para evitar encontrar com ele, eu sei que ele não vai na minha sala... Ele não é desse tipo e nós não somos amigos. Somos só colegas e isso não parece ter muita importância na hierarquia do relacionamento humano. Sinceramente, acho que eu não tenho importância em hierarquia nenhuma, eu nem sei porque eu não deixo logo de existir e facilito a vida de todo mundo! Eu to me sentindo esgotada, a vontade que eu tenho é de desistir de tudo, da faculdade, dos livros, dos planos, dos sonhos, do mundo, de tudo! Aquela história de Letras da Depressão que tem no facebook não é brincadeira, não acredito que Letras seja pior que Matemática, NADA consegue ser pior que matemática! Mas é literalmente um curso complicado, se você não tem depressão adquire e se tem piora. Hoje eu recebi a notícia que estou automaticamente reprovada em Linguística 2. (Se você não sabe o que é isso me pergunte que terei prazer em respondê-lo.) Mesmo o veredicto tendo sido dado por mim mesma, já está me causando calafrios, se eu ficar devendo qualquer matéria que seja eu acho que tenho um colapso nervoso! Eu só fiquei em dependência 2 vezes na minha vida e todas duas foram em Educação Física e porque eu quis mesmo. Afinal era só uma prova e eu odiava tanto os exercícios físicos quanto a professora. Eu nunca fiquei devendo matéria nenhuma fora isso, porque eu sempre dava sangue para aprender e tirar a melhor nota que os meus neurônios loiros me permitissem... A minha mãe me acha mais inteligente do que eu realmente sou e isso me frustra porque odeio decepcioná-la... Meu pai ainda ta vivendo na nota do vestibular! Queria que ele entendesse que aquilo é só um número idiota e que eu sou uma imbecil estúpida e não a bisneta de terceira geração do Albert Einstein. Por algum motivo torpe todo mundo enxerga em mim mais do que eu realmente sou e nem sabem que isso só piora as coisas pra mim... Queria que o R*** arrumasse logo uma namora à altura dele, talvez assim ficasse mais fácil pra eu tirar ele da cabeça e de todos os outros lugares onde o upload foi feito...
Tudo gira na minha cabeça ao mesmo tempo: bolsa, projeto, monografia, R***, Latim, Inglês, R***, tristeza, superação, tratamento, R***... E eu só queria dar um basta! Desistir. Eu não sou professora, não consigo pensar como uma, não consigo agir como uma e não pretendo ser uma. Ensinar nunca foi minha pretensão, eu não levo jeito pra isso... Na verdade já to começando a achar que eu não levo jeito pra nada! Mas eu não vou dizer que não aguento mais, isso não adianta. Além de não resolver nada, a gente sempre tem que aguentar mais alguma coisa.

Um comentário:

  1. Oi Kath,
    Como está? Não precisa responder. Acho que você está igual a mim. Torcendo para alguém fazer o favor de nos tirar desse mundo cruel e difícil.
    Eu li esse seu post e queria mesmo saber o que é Linguística 2.
    A proposta que eu te enviei poe e-mail está em pé, pode me procurar, mesmo que seja por e-mail.
    Para mim, virtual ou não, amigo é amigo.
    Beijos e te desejo muita força para permanecer em pé.

    ResponderExcluir