sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Fênix


Respousa
no âmago dos sonhos buscando reconstrução
Inspira-se
nas dores, tristezas, diferenças
Tão inteira e tão incompleta
na utopia se faz verdade, com braços fortes abraça o infinito
segura firme
passos incertos
descansa eterna
nas trevas de luz
no seu paradóxo de alma confusa
chamado se faz
no estranho universo
criado sobre água, se torna deserto
habitado de dores, converte-se em amor
e assim como a fênix, renasce das cinzas do seu próprio desacreditar
lançando chamas ao mundo
mostrando brilho
no renascer
no recomeçar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário