domingo, 9 de setembro de 2012

Domingo calmo

Bem que eu presumia que toda aquela irritação e falta de paciência era a bendita tpm! Acordei em meio ao rio de sangue ¬¬' ninguem merece!
O dia hoje foi relativamente tranquilo, quer dizer... Eu acho. Pela manhã, quer dizer, quase meio dia, eu me levantei, também depois de dormir as duas da manhã eu não poderia esperar acordar as oito da manhã!
Ajudei minha mãe na cozinha afinal era a vez da minha irmã lavar as calcinhas, ela ta me devendo duas semanas u.u', ela não passou o dia muito bem... Nem ela e nem a minha mãe :/ ela estava enjoadinha de novo até tomou o remédio de vômito... Minha mãe é a bendita dor na coluna... Tadinha, me parte o coração em mil vendo ela assim... Pelo menos ela descansou um pouco e ao que parece está um pouco melhor porque vai fazer a unha :D isso me deixa um pouco mais feliz..
A tarde eu fiz o relatório de um trabalho de metodologia, tenho que levar na quarta para dividir com o grupo. E por falar em quarta, os estágios começam na quarta feira! E Priscilla entrou no nosso grupo. Eu to cansada de fazer nada! Impressionante, eu sempre fico quando estou menstruando, minha mãe me disse uma vez que a menstruação é uma amostra dolorosa grátis do que é a gravidez... Dor, cansaço, fragilidade...
Amanhã ja é segunda  :/ por um lado estou feliz de não ter que ir para faculdade... Quero descansar um pouco e vou aproveitar para fazer a minha unha.
Eu estava pensando aqui... Acho que eu estou mesmo destinada a ficar sozinha, e por um lado isso está começando a me fazer bem, pelo menos eu não me machuco, dizem que todo mundo precisa de alguem, que ninguem pode viver sozinho e blá blá blá! Mas eu sempre fui convicta de que conseguia e até funcionava melhor sozinha e, depois do que aconteceu com o Julio eu tenho ainda mais certeza disso. Vou focar na minha vida profissional e deixar os romances para os livros que eu escrevo. No fim, acabou que ser livre não era fazer o que eu achava que nunca ia fazer, ou mesmo viver sob minhas próprias regras, no fim das contas a minha liberdade foi, finalmente, conseguir me perder pra me encontrar. Acho que estou no caminho certo... É uma questão de tempo e eu vou finalmente encontrar a felicidade que eu luto todos os dias pra achar e ela não vai vir em forma de homem, ela vai vir em forma de música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário