quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Fim do dia e começo das lágrimas

Deveria ter desconfiado que eu passei o dia 'calma demais' tive uma crise na faculdade hoje, chorei tanto que estou com dor de cabeça até agora! Fazia tempo que eu não tinha uma crise tão forte e essa é a primeira desde que eu comecei o tratamento...
Eu chamei pelo David enquanto chorava, não sei porque tive a ridícula ilusão de que ele podia aparecer pra mim... Como se os mortos andassem dando as caras quando a gente chama ¬¬' eu pirei na certa!
Estava pensando antes de começar a chorar feito uma desesperada, enquanto me arrumava para ir pra aula, as pessoas ainda continuam me odiando de graça, as que me conhecem ainda continuam criando expectativas erradas comigo, como se eu nunca errasse, como se eu fosse perfeita, e quando eu tropeço ficam me criticando... Não importa o que eu faça, todo mundo sempre vai achar um motivo pra apontar o dedo pra mim... Seja por eu gostar de preto, por ouvir metal, por andar sem maquiagem e por ser virgem. Ou mesmo por ser na minha, por estudar, por andar maquiada e sorridente.
As pessoas não ligam para o que você sente, elas só querem o padrão, que você cumpra todas as regras que torne você igual a elas, o diferente incomoda, é rejeitado, excluído. Algum idiota disse que toda garota deve usar salto, vestido, maquiagem e vestir 34 no manequim. E daí se eu curto tênis, calça comprida, me maquilo quando da na telha e visto 44? Ninguém nasceu pra agradar ninguém, e regras foram feitas para serem quebradas, em algumas delas quebrar é o meu sentido de liberdade.
Não quero que me olhem, gosto de passar despercebida, não dou a mínima se me chamam de esquisita ou me julgam antes de me conhecer, a opinião alheia não define o meu caráter, não paga as minhas contas, tampouco diz quem eu realmente sou. Mas devo confessar que me machuca a pressão que eu sinto das pessoas que me conhecem bem, parece que pelo fato de eu fazer parte do 1% das garotas da minha idade, na minha cidade, que ainda são virgens, não tiveram filhos e se foca nos estudos, eu sou tida como a garota perfeita, tipo a Barbie! Isso é ridículo! Eu sou um ser humano normal como todo mundo, eu penso, eu sinto, EU ERRO! E não tenho nenhuma vergonha de admitir!
Odeio que me definam por ter passado em primeiro lugar no vestibular, por ter aprendido Inglês sozinha, por tirar nota boa, por gostar de estudar... Porque quando eu erro, quando eu tropeço vem mil e duas acusações sobre mim e dedos apontados como se eu não tivesse o direito de ser normal, de ser humana, de ser EU! Machuca muito. Todo mundo espera de mim a perfeição, a virtude extrema, o máximo da sabedoria e esquecem que eu sou uma garota de 22 anos como qualquer outra... Que não tem nada de especial comigo, eu só quero ser eu mesma e pronto. Não quero que as pessoas me aceitem, quero que me respeitem! Porque isso eu tenho direito, não invado o espaço de ninguém para violarem o meu dessa forma!
Essa semana de provas foi muito tensa pra mim... E pelo que eu vi, vai piorar no segundo exercício... Acho que eu levei bomba em filosofia :/ hoje definitivamente eu não estou no meu melhor dia... Ainda to muito tensa e cansada. Pelo menos eu tenho uma semana pra descansar e apenas escrever... Me dedicar aos meus livros sem me preocupar com mais nada. Renovar as energias porque eu vou mesmo precisar...

Um comentário:

  1. Bom dia! Aumenta minha admiração por ti em saber que és assim.
    É muito verdade que o diferente incomoda e gera o veneno nas pessoas que são acometidas pelo pobre sentimento da inveja.
    Relaxa! A verdade é que muitos queriam ser como és...e não podem!

    Uma das minhas citações favoritas é :
    "Do what thou wilt shall be the whole of the Law."
    (Aleister Crowley).
    Deixo aqui,pra ti,o link de um poeminha que fiz:
    http://betoacioli.blogspot.com.br/2012/07/sem-regras.html

    Abraço!

    ResponderExcluir